Câmaras Criminais Reunidas do TJ-PA nega Habeas Corpus e mantém afastados vereadores parauapebenses.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Josineto Feitosa, Major da Mactra, José Arenes e Luzinete Feitosa ingressaram com Habeas Corpus nas Egrégias Câmaras Criminais Reunidas do Tribunal de Justiça do Estado do Pará solicitando o retorno ao cargo de vereador em Parauapebas, assim como a retirada das condicionantes determinadas pelo juiz Líbio Araújo Moura quando da concessão da liberdade condicional aos edis. Dos vereadores afastados, apenas Devanir Martins, do PP, ainda não ingressou com HC.

Os desembargadores das Câmaras Criminais Reunidas já se manifestaram a respeito de três Habeas Corpus. Foram negados os pedidos de Josineto Feitosa, Major da Mactra e Luzinete Feitosa. O pedido de José Arenes foi negado liminarmente, mas houve uma solicitação do desembargo para que o juiz Líbio Moura enviasse algumas informações sobre o´paciente, para que se julgasse o mérito.

Os nobre edis foram afastados dos cargos preliminarmente para que não atrapalhassem ou interferissem nas investigações. Eles devem se manter afastados de quaisquer órgão da Administração Púbica, não manter contato com agentes públicos do município, assim como com outros investigados na Operação Filisteus, do Ministério Público.

Odilon Rocha de Sanção, também afastado do cargo devido à Operação Filisteus renunciou no mês passado e responde as acusações em liberdade.