Carajás: Vale suspende contrato de parceira após ter título protestado e deixa 1.500 funcionários desempregados

Continua depois da publicidade

A empresa ATA Engenharia, que presta serviços para a Mineradora Vale, está com suas atividades paralisadas em Carajás. A informação, não confirmada pela Vale, é de que a empresa teria protestado um título de R$30 milhões por falta de pagamento. Tal valor seria relativo a um imbróglio contratual que já perdura por oito meses sem que as partes chegassem a um consenso.

Em virtude do título protestado, a Vale teria suspendido o contrato com a ATA Engenharia, fato que teria provocado a paralisação de cerca de 1.050 funcionários lotados nos contratos em Carajás.

O Blogger contactou a Assessoria de Imprensa da Vale em Carajás solicitando uma posição da empresa sobre o fato.

Em nota,  a Vale esclarece que não deixou de cumprir quaisquer compromissos ou obrigações contratuais e financeiras com a empresa Ata Engenharia e que foi surpreendida com a notificação da mesma informando da paralisação de suas atividades em Carajás.

A nota esclarece ainda que a Vale está analisando internamente as medidas a serem adotadas em relação a atitude tomada pela empresa Ata Engenharia que, segundo ela, contraria as disposições contratuais. A nota reitera que as relações comerciais da Vale mantidas com seus fornecedores em sua cadeia produtiva são orientadas pela responsabilidade econômica, social e ambiental.

8 comentários em “Carajás: Vale suspende contrato de parceira após ter título protestado e deixa 1.500 funcionários desempregados

  1. ... Responder

    Sem contar o absurdo que foi demitir todos os treinees em Canaã dos Carajás, inúmeros jovens que estudaram durante dois anos, fizeram estágios e estavam na iminência de ser efetivados, foram cortados com a alegação de corte nas despesas. Qualquer empresa comprometida com o social, cortaria as diárias de hotel 5 estrela dos seus diretores e funcionários…

    • zésacoroxo Responder

      que outra empresa na região investe tanto em programas de capacitação gratuitas? Se o Zé ruela estudou por dois anos, que ótimo.. já pode se virar sozinho e procurar emprego!!!

      • João Saldanha Responder

        Pelo buraco que a vale tá deixando, pela exploração e “capa” de programas sociais e pela farsa do pagamento dos royalties… o que a vale faz é pouco.
        E você como quiçá mero funcionário ou apenas um louco apaixonado pela empresa sem sequer ter algum ganho real desta, faz um belo papelão defendendo-a. Troxa!

  2. Paulão Responder

    A Vale paga quando quer ! Não paga juros! Qualquer virgula na medição ela contesta e atrasa tudo

    • zésacoroxo Responder

      fornecedor local não sabe fazer composição de preço, não sabe fazer concessão de crédito e acha que sua incompetência deve ser tolerada a qualquer preço… vai estudar pseudo empresário

Deixe seu comentário

Posts relacionados

%d blogueiros gostam disto: