Bragantino vence o Paysandu nos pênaltis e garante o terceiro lugar no Parazão 2019

Além de ficar em terceiro, o Tubarão conquistou vaga na Copa do Brasil de 2020
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

A torcida do Paysandu Sport Club saiu decepcionada mais uma vez com o seu time. Na noite deste sábado (13), valendo pela disputa do terceiro lugar do Campeonato Paraense de 2019, o Papão recebeu o Bragantino, no Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém, e acabou empatando no tempo normal em 1 a 1, e sendo derrotado nos pênaltis pelo placar de 5 a 3. Com a derrota, o time bicolor terminou o Parazão apenas em quarto lugar e só vai disputar a Copa do Brasil de 2020 se for pelo ranking da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Já o Bragantino Clube do Pará, conquistou o terceiro lugar do estadual e a vaga para a Copa do Brasil de 2020. Com uma bela campanha no Parazão, o time do interior do Pará, da cidade de Bragança, conseguiu despachar um dos grandes da capital, o Paysandu, e se garantiu dentro de campo na competição nacional. Na edição deste ano, o Tubarão do Caeté já está classificado para a terceira fase e vai enfrentar o Vila Nova-GO e a partir de maio vai disputar o Campeonato Brasileiro da Série D.

O jogo: Papão 1 x 1 Tubarão: 5 a 3 Bragantino nos pênaltis!

Apesar de o terceiro lugar do Parazão garantir vaga na Copa do Brasil de 2020, o público foi muito pequeno no Estádio da Curuzu. O Paysandu chegou primeiro, depois que o volante Ricardo Capanema fez lambança e entregou de presente para Leandro Lima, que chutou cruzado e a bola passou na frente da meta do Bragantino. No lance seguinte, o Papão chegou de novo, depois que Nicolas cruzou para a grande área, Vinícius Leite ajeitou de cabeça para o chute de primeira de Paulo Rangel, a bola foi em cima do goleiro Axel Lopes.

O Tubarão quando chegou, quase marcou. Lukinha avançou pela direita e tocou para Fidélis, que dominou e rolou para o chutaço do lateral Bruno Limão, a bola explodiu no travessão do goleiro Mota, quase o primeiro gol do jogo. A torcida do Paysandu começou a pegar no pé dos jogadores. Em uma tentativa de lançamento para Vinícius Leite, Willyam deu um passe totalmente equivocado, que a bola se perdeu pela linha de fundo, e recebeu vaias da Fiel Bicolor.

O time bicolor chegou duas vezes e com dois impedimentos assinalados. No primeiro, Fábio Alemão, que é zagueiro e entrou no decorrer da partida improvisado de lateral-direito, recebeu passe e antes de cruzar o assistente Rafael Bastos Cardoso assinalou posição irregular. No lance seguinte, Leandro Lima recebeu na esquerda e cruzou rasteiro na área, o atacante Paulo Rangel mandou para o fundo do barbante e o novamente o assistente levantou o seu bastão e anulou o gol do Papão.

O Paysandu chegou com Vinícius Leite, que entrou sozinho, mas na hora de finalizar tentou driblar Bruno Limão que chegou afastando o perigo. O Tubarão quase abriu o marcado, após lançamento, a zaga bicolor bateu cabeça e Mauro Praia ficou sozinho com o goleiro Mota, que salvou o Papão com uma grande defesa. O time da capital Belém deu o troco com Vinícius Leite, que chegou na linha de fundo e cruzou, Paulo Rangel cabeceou por cima da meta de Axel Lopes.

O jogo era lá e cá. Mauro Praia dominou uma bola na frente e rolou para o chute de Marco Goiano, o goleiro Mota defendeu para o Papão. Vinícius Leite deu passe de calcanhar para Willyam que cruzou na área e a zaga do Bragantino chegou despachando o perigo. Mauro Praia encarou a marcação de Micael e chutou, o atacante Fidélis estava só esperando para marcar, mas Diego Matos chegou na hora “h” e aliviou o perigo que rondava a meta bicolor.

Em uma boa triangulação do Bragantino, Bruno Limão tocou com Lukinha, que meteu bom passe para Fidélis, o atacante chutou e a bola bateu no zagueiro Victor Oliveira e foi para escanteio. Vinícius Leite chegou pela direita e cruzou para Nicolas, que desviou caindo, a bola passou pelo goleiro Axel Lopes e Bruno Limão cortou quase em cima da linha. Marcos Antônio cobrou escanteio no primeiro pau, Nicolas cabeceou em direção da segunda trave para Micael, que tentou marcar, mas parou na boa defesa de Axel Lopes.

A partida estava movimentada. Após cruzamento da direita na área bicolor, o goleiro Mota desviou e a bola sobrou para Mauro Praia, que cruzou para trás e ninguém do Bragantino chegou para completar para o gol. No segundo tempo, o Bragantino começou pressionando o Paysandu. Após bola na área bicolor, no bate e rebate Mauro Praia chutou caindo e parou na defesa do goleiro Mota, na sobra de bola, Fidélis disparou a redonda explodiu na zaga e o arqueiro do Papão saiu para fazer a defesa, mas a arbitragem deu escanteio para o time do Braga.

No lance seguinte, Fidélis passou bem da marcação dentro da área e rolou para trás, Lukinha sozinho chutou por cima. A torcida do Tubarão foi a loucura. O Paysandu deu resposta com Vinicius Leite, que partiu com a bola, entrou na área e disparou cruzado, o goleiro Axel Lopes fez uma grande defesa. Outra vez o time bicolor assustou, quando Marcos Antônio cruzou para Paulo Rangel, que tentou de cabeça, mas acabou perdendo uma boa chance.

O Tubarão era perigoso e quase abriu o placar, quando Mauro Praia cruzou e Marco Goiano acabou furando e perdendo uma chance real para o time do interior. O Paysandu chegou com Nicolas, que recebeu bom lançamento e acabou cometendo falta em cima de Bruno Limão e o árbitro Marco José Soares de Almeida parou o ataque bicolor. Vinícius Leite fez um carnaval na zaga do Bragantino e a bola ficou para Nicolas, que disparou e a redonda explodiu na zaga e foi para escanteio.

O meia Alan Calbergue cobrou escanteio, Paulo Rangel subiu de cabeça e na sobra, Micael chutou e a bola bateu outra vez na zaga e se perdeu pela linha de fundo. O árbitro paralisou o jogo, aos 24 minutos, devido a um apagão em uma das torres de refletores do Estádio da Curuzu.  Depois de 23 minutos de espera, a bola voltou a rolar para Paysandu e Bragantino. Micael descolou um bom lançamento para Paulo Rangel, que chutou de primeira para a boa defesa de Axel Lopes, mas a assistente Nayara Lucena Soares assinalou impedimento.

Quem marcou foi o Tubarão. Fidélis recebeu passe, driblou três jogadores do Papão e tocou na saída do goleiro Mota, um golaço, aos 32 minutos. Festa de Bragança em plena Curuzu. O Papão não demorou muito para empatar. Vinícius Leite cruzou da direita e Paulo Henrique subiu de cabeça para mandar para o fundo do barbante, aos 40 minutos, 1 a 1. O atacante Fidélis recebeu passe na segunda trave, encarou a marcação e chutou, a bola passou raspando a meta do goleiro Mota. O árbitro levou até aos 49 minutos. Placar final: Paysandu 1 x 1 Bragantino. Decisão do terceiro lugar foi para a disputa de pênaltis.

O Bragantino começou cobrando com Lukinha, que converteu: 1 a 0. Paulo Henrique foi para a primeira cobrança para o Paysandu, e bateu com estilo, 1 a 1. Keoma cobrou no cantinho e fez 2 a 1 Tubarão. Paulo Rangel deslocou o goleiro Axel Lopes e deixou tudo igual, 2 a 2. Bruno Limão cobrou rasteiro, o goleiro Mota foi e não achou nada, 3 a 2 Braga. Diego Matos cobrou e o goleiro Axel Lopes defendeu para o Bragantino. Fidélis cobrou e marcou 4 a 2 Tubarão. Fábio Alemão cobrou e marcou para o Paysandu, 4 a 3. Esquerdinha cobrou com categoria e marcou 5 a 3. O Bragantino ficou com o terceiro lugar e garantiu vaga na Copa do Brasil de 2020, já o Paysandu acabou apenas em quarto lugar e só entra na competição nacional se for pelo ranking da CBF.

FICHA TÉCNICA

PAYSANDU: Mota; Bruno Oliveira (Fábio Alemão), Micael, Victor Oliveira e Diego Matos; Willyam, Marcos Antônio (Paulo Henrique) e Leandro Lima (Alan Calbergue); Vinícius Leite, Nicolas e Paulo Rangel. Técnico: Léo Condé

BRAGANTINO: Axel Lopes; Bruno Limão, Romário, Gabriel Gonçalves e Esquerdinha; Ricardo Capanema, Paulo de Tárcio (Rafinha), Lukinha e Marco Goiano (Keoma); Fidélis e Mauro Praia (Will). Técnico: Samuel Cândido

Árbitro: Marco José Soares de Almeida – CBF

Assistentes: Rafael Bastos Cardoso – CBF e Nayara Lucena Soares – CBF

Quarto árbitro: Joelson Nazareno Ferreira Cardoso– CBF

Cartões amarelos: Micael e Paulo Rangel (Paysandu); Romário e Fidélis (Bragantino)

Gols: Fidélis, aos 32 minutos do 2° tempo para o Bragantino; Paulo Henrique, de cabeça, aos 40 minutos do 2° tempo para o Paysandu

Local: Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém

Renda: R$ 12.715,00

Pagantes: 396

Sócio Bicolor: 567

Credenciados: 1.374

Total: 2.337

                                                            Por Fábio Relvas / Foto: Cláudio Pinheiro

Publicidade

Relacionados