Parauapebas

Após denúncia de vítimas, Polícia de Parauapebas captura dupla de assaltantes

Tiago Oliveira da Costa e Ezequiel Silva dos Santos são de Marabá e vinham cometendo assaltos em Parauapebas. Ezequiel é foragido do Crama desde 2016, com passagens por assalto a mão armada.

Dois bandidos foram capturados pela Polícia Militar de Parauapebas, na manhã desta segunda-feira (25), após cometerem assaltos. A guarnição da PM que estava posicionada nas imediações do bambuzal, na PA-275, foi abordada por um cidadão informando que havia sido roubado por dois elementos numa motocicleta e que estava rastreando-os pelo aparelho celular.

Deslocando-se ao local apontado pelo rastreador, o bairro do Rio Verde, a guarnição escutou a população informando que havia ladrões pulando o muro. Os policiais conseguiram pegá-los. Dentro da residência, foram encontrados um revólver calibre 38 com numeração raspada, sete munições, 33,85 gramas de pedra de oxi; 6,65 gramas de maconha e produtos do roubo (celular, documentos, carteira e a bolsa de uma das vítimas). Também foi recuperada uma Honda Biz cinza, roubada no domingo à noite.

Segundo informou o Tenente Freitas, são dois elementos altamente perigosos, que vinham cometendo vários assaltos no início do dia. Ao checar os nomes, foi observado que um deles, Ezequiel Silva dos Santos (vulgo Neguinho), era foragido do sistema penal de Marabá desde 2016.

O tenente aproveitou nossa reportagem e fez um apelo para que, caso haja alguma outra vítima, compareça à delegacia para reconhecê-los. “Seria muito bom, pois, pelo menos assim, estes vagabundos ficarão presos por mais tempo”, explicou.

Segundo Tiago Oliveira da Costa (vulgo Orelha de Macaco), de 20 anos, ele nunca havia sido preso. Trabalhava como açougueiro em Parauapebas e justificou o crime por necessidades financeiras. “Estava sem dinheiro, precisando mesmo, estava passando fome. Pedi esse dinheiro a meu patrão, mas ele estava só me enrolando”.

Já Ezequiel Silva dos Santos, o Neguinho, tem 32 anos e não apresentou justificativa para o assalto. “Não tem nada que justifique. Não adianta eu botar desculpinha não, que desculpinha não resolve a vida de ninguém”. Ele assumiu a posse do revólver, mas quanto à droga apreendida, não reconheceu. “Eu não sei dessa droga não; o revólver é meu”.

Uma das vítimas, Gizael da Silva reconheceu os bandidos e nos contou que eles o abordaram às 7h30 de hoje, nas imediações da Câmara Municipal de Parauapebas. Levaram sua carteira, com todos os documentos e o valor de R$ 300,00. “Reconheci todos os dois, eles estavam numa moto Honda Biz vermelha”.

Deixe seu comentário