Tucuruí: Estudante de Teologia mata ex-companheira transexual por término de relacionamento

Erick Matheus nutria ciúme excessivo por Danielly do Carmo Santos, que por esse motivo decidiu se separar dele

Continua depois da publicidade

Em Tucuruí, a Polícia Civil procura Erick Matheus, 26 anos, que, na noite de quarta-feira (15), matou, com uma facada no pescoço, a transexual Danielly do Carmo Santos, 24 anos, com quem mantinha união estável havia cerca de um ano. Porém devido à convivência conturbada, segundo parentes da vítima, já que ele alimentava ciúme doentio por ela, Danielly resolveu terminar o relacionamento, mas Erick não aceitava.

No dia do crime, por volta das 22h, após acirrada discussão na casa da mãe de Danielly, Erick, que é estudante de Teologia e mantém um canal religioso no Youtube, desferiu o golpe fatal. O crime aconteceu na Rua Cametá, no Bairro Peniel.

Dany, como também era conhecida, ainda chegou a ser socorrida pela irmã, Daiane do Carmo Santos, que a conduziu à UPA (Unidade de Pronto Atendimento), onde foi constatado que ela já estava morta.

Brasil lidera há 13 anos o assassinato de pessoas trans

Em 2021, foram registrados 140 assassinatos de pessoas trans no Brasil. Deste total, 135 tiveram como vítimas travestis e mulheres transexuais e cinco vitimaram homens trans e pessoas transmasculinas.

O número foi menor do que o do ano anterior, quando foram registrados 175 assassinatos de pessoas trans. Mas foi superior ao de 2019, no período pré-pandemia, quando foram contabilizados 124 óbitos. O número de 2021 está acima da média desde 2008, de 123,8 homicídios anuais de pessoas pertencentes a esse segmento.

Os dados estão no Dossiê Assassinatos e Violências Contra Travestis e Transexuais Brasileiras em 2021. O estudo foi realizado pela da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra) com apoio de universidades como a Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), Federal de São Paulo (Unifesp) e Federal de Minas Gerais (UFMG).

O Brasil foi, pelo 13º ano consecutivo, o país onde mais pessoas trans foram assassinadas. Em relação à distribuição geográfica, São Paulo foi o estado com mais homicídios (25), seguido por Bahia (13), Rio de Janeiro (12) e Ceará e Pernambuco (11). Além dos casos no Brasil, foram identificados dois assassinatos de brasileiras trans em outros países, um na França e outro em Portugal. (Imagem: Facebook)

Por Eleuterio Gomes – De Marabá, com informações da Agência Brasil