Só 29% dos eleitores de Marabá cadastraram biometria

TRE alerta que títulos poderão ser cancelados se eleitores não aderirem ao novo sistema de votação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O Tribunal Regional Eleitoral de Marabá (TRE) está convocando os eleitores do município para o cadastramento biométrico obrigatório nos postos de atendimentos localizados na folha 16, Nova Marabá, e no antigo TRE localizado na praça São Francisco, Cidade Nova. A partir de fevereiro, o serviço será ampliado para o núcleo São Félix. O eleitor que não fizer a biometria terá o título eleitoral cancelado.

De acordo com Francinete Castelo Branco, chefe da 23ª zona eleitoral, Marabá tem aproximadamente 156 mil eleitores, mas até o momento apenas 29% se regularizaram junto ao TRE. A baixa procura preocupa porque a biometria é e quesito obrigatório para a validade do título eleitoral.

“Aquele eleitor que não tiver a biometria terá o título cancelado e não vai poder votar, dentre outras consequências, como fazer empréstimo, matrícula em instituição pública, receber benefícios sociais, não podem tomar posse de cargo público e também terão cancelamento do CPF”, destaca Francinete.

Ainda segundo a chefe do Cartório, a estrutura está montada para receber a população até o dia 31 de maio. A prefeitura cedeu 45 servidores para auxiliar no serviço. Dona Aparecida Bardini procurou o cartório na segunda-feira (21) e foi atendida em menos de 15 minutos. “Quanto antes vier melhor porque deixar para última hora vai enfrentar fila e agora está muito tranquilo”, enfatizou.

A professora Rubenilde Abreu também não perdeu tempo. “Fiquei sabendo que estava bem acessível e como não gosto de enfrentar fila, corri e foi rápido”, afirma.

Os postos de atendimentos funcionam de segunda a sexta-feira, das 8 às 16 horas. O eleitor deve levar consigo os documentos pessoais e o comprovante de residência.

Quem não fizer o recadastramento, terá o título de eleitor cancelado, pode perder benefícios sociais e ainda ficar impossibilitado de tomar posse em concursos públicos, retirar passaporte, pedir empréstimos em bancos públicos, entre outras restrições.

Publicidade