Réu é condenado a 12 anos de prisão por tentativa de homicídio

Pouco mais de sete horas foram suficientes para o Júri Popular entender que o réu Daniel Moura tentou assassinar a golpes de arma branca o aposentado e pequeno pecuarista Joel de Oliveira
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on print

Continua depois da publicidade

O Tribunal do Júri Popular de Jacundá, no Sudeste do Estado, condenou um réu a 12 anos de prisão pelo crime de tentativa de homicídio. Vítima e acusado eram conhecidos, frequentavam a mesma congregação religiosa, mas a noite do dia 26 de janeiro de 2018 a amizade teve um desfecho trágico. Joel Ramos de Oliveira, hoje com 68 anos de idade, foi vítima de Daniel Souza Moura Costa, 32 anos de idade.

O Ministério Público do Pará, representado pelo promotor Charles Pacheco acusou o réu pelo crime de tentativa de homicídio. Na defesa do réu atuaram os advogados Rafael Mendes Altoé e Claudionor Gomes da Silva, que defenderam duas teses: legítima defesa e lesão corporal. O Tribunal do Júri foi formado por três homens e quatro mulheres, que se reuniu sob a presidência do juiz Jun Kubota, na Comarca de Jacundá, na quarta-feira, 29.

Pouco mais de sete horas foram suficientes para o Júri Popular entender que o réu Daniel Moura tentou assassinar a golpes de arma branca o aposentado e pequeno pecuarista Joel de Oliveira, na noite do dia 27 de janeiro de 2018.

Segundo depoimento da vítima, que conhecia o acusado, Daniel chegou à sua residência com sintomas de embriaguez e relatou problemas pessoais de cunho amoroso sem especificar o que estaria acontecendo. “Ele (Daniel) pediu dois copos com água. Na segunda vez percebi que ele me seguia pela casa. Quando me virei ele estava com uma faca na mão dizendo que era um assalto. Em seguida me atingiu com vários golpes”.

Por usa vez, o acusado confirmou que pediu os dois copos com água, no entanto, Joel teria ficado assustado quando o viu. “Ele (Joel) pegou uma espingarda e bateu na minha cabeça. E depois com um facão me atingiu algumas vezes”. Daniel mostrou a mão com musculatura atrofiada que seria decorrente de um dos golpes”.

A sentença foi anunciada pelo juiz Jun Kubuta, por volta de 16h de quarta-feira, e condenou o réu a 12 anos de prisão pelo crime de tentativa de homicídio. Daniel está preso desde o dia 27 de janeiro de 2018.

Publicidade