Quinze pessoas assassinadas em Parauapebas nos últimos 21 dias

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Reportagem de Ronaldo Modesto e Waldyr Silva veiculada no jornal Correio do Tocantins deste sábado mostra a quantas anda a segurança pública em Parauapebas. E o governador Jatene alardeando aos quatro cantos que o índice de criminalidade baixou no Estado. Confira a reportagem:

No período de 29 de junho até a última quinta-feira (19), quinze pessoas foram executadas com golpes de arma branca e disparo de arma de fogo no município de Parauapebas. No dia 29 de junho, foram assassinados Jardson Pinheiro Souza, no Bairro Casas Populares I, e Francisco Sousa, no Bairro Cidade Jardim, enquanto no dia 30 de junho a vítima foi Jhonata da Silva, na Vila Palmares I.

No dia 2 de julho, foi vítima de homicídio Sérgio Jerônimo da Silva, no Bairro Primavera; dia 5 do corrente, Francisco, no Bairro da Paz; dia 8, Diogo de Jesus Montelo, no Bairro Liberdade; dia 12, as vítimas de assassinatos foram Bruno Leite da Silva e Renan Pinheiro Ramos, ambos no Bairro Rio Verde; dia 14, Antônio da Conceição, na região conhecida por “Pé Inchado”; dia 15, foi a vez de Jailson Gomes da Silva, o “Lorinho”, ser executado; dia 16, a vítima de morte violenta foi Carlos Chaves do Amaral, conhecido por “Beterraba”, no Bairro Rio Verde; dia 17, um homem identificado apenas por “Velhinho”, na Vaquejada Chico Oliveira, zona rural; dia 18, Genival Costa e Silva, no Bairro Nova Vida. Por último, na última quinta-feira (19), foram executados Daniel Monte Silva, no Bairro Nova Vida, e um agricultor identificado apenas pelo prenome de Leandro, na zona rural.

Diante deste alto índice de violência no município, a reportagem procurou o subcomandante do 23º Batalhão de Polícia Militar, major Benedito Sabbá, e o diretor da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil em Parauapebas, delegado Antônio Miranda, para falar sobre o assunto.

Na avaliação do subcomandante da PM, mesmo com este alto índice de criminalidade na cidade, no período de janeiro a junho deste ano foram registrados 176 homicídios nos município de Parauapebas, Canaã dos Carajás, Curionópolis, Eldorado do Carajás e região de Marabá, contra 202 no mesmo período do ano passado.

Com relação às mortes ocorridas até o dia 19 deste mês de julho em Parauapebas, major Sabbá admite que o índice de violência está muito alto, mas, segundo o oficial, a maioria das vítimas era formada por pessoas criminosas, envolvidas por tráfico de droga e outros tipos de crime.

O subcomandante garante que a Polícia Militar, em parceria com a Polícia Civil, está trabalhando para baixar o índice de violência na região, fazendo policiamento ostensivo nos bairros das cidades e investigando os crimes cometidos.

Para o delegado Antônio Miranda, a motivação que levou à ocorrência de tantos crimes nos últimos dias é excesso de bebida alcoólica, acerto de conta com tráfico de droga e o efetivo policial reduzido para atender uma cidade com aproximadamente 200 mil habitantes.

Perguntado por que dos autores dos 15 homicídios só um se encontra preso e os demais foragidos, a autoridade policial respondeu que 50% desses assassinos já foram identificados e devem ser presos a qualquer hora.

Provocado pela pauta da reportagem, Antônio Miranda Neto anunciou que nas noites de ontem (sexta-feira) e de hoje (sábado), a partir das 23 horas, as polícias Militar e Civil estariam deslanchando blitz em bares e casas noturnas de Parauapebas, com o objetivo de fazer com que a paz volte a reinar na cidade.

Publicidade