Parauapebas

Quinze pessoas assassinadas em Parauapebas nos últimos 21 dias

Reportagem de Ronaldo Modesto e Waldyr Silva veiculada no jornal Correio do Tocantins deste sábado mostra a quantas anda a segurança pública em Parauapebas. E o governador Jatene alardeando aos …

Reportagem de Ronaldo Modesto e Waldyr Silva veiculada no jornal Correio do Tocantins deste sábado mostra a quantas anda a segurança pública em Parauapebas. E o governador Jatene alardeando aos quatro cantos que o índice de criminalidade baixou no Estado. Confira a reportagem:

No período de 29 de junho até a última quinta-feira (19), quinze pessoas foram executadas com golpes de arma branca e disparo de arma de fogo no município de Parauapebas. No dia 29 de junho, foram assassinados Jardson Pinheiro Souza, no Bairro Casas Populares I, e Francisco Sousa, no Bairro Cidade Jardim, enquanto no dia 30 de junho a vítima foi Jhonata da Silva, na Vila Palmares I.

No dia 2 de julho, foi vítima de homicídio Sérgio Jerônimo da Silva, no Bairro Primavera; dia 5 do corrente, Francisco, no Bairro da Paz; dia 8, Diogo de Jesus Montelo, no Bairro Liberdade; dia 12, as vítimas de assassinatos foram Bruno Leite da Silva e Renan Pinheiro Ramos, ambos no Bairro Rio Verde; dia 14, Antônio da Conceição, na região conhecida por “Pé Inchado”; dia 15, foi a vez de Jailson Gomes da Silva, o “Lorinho”, ser executado; dia 16, a vítima de morte violenta foi Carlos Chaves do Amaral, conhecido por “Beterraba”, no Bairro Rio Verde; dia 17, um homem identificado apenas por “Velhinho”, na Vaquejada Chico Oliveira, zona rural; dia 18, Genival Costa e Silva, no Bairro Nova Vida. Por último, na última quinta-feira (19), foram executados Daniel Monte Silva, no Bairro Nova Vida, e um agricultor identificado apenas pelo prenome de Leandro, na zona rural.

Diante deste alto índice de violência no município, a reportagem procurou o subcomandante do 23º Batalhão de Polícia Militar, major Benedito Sabbá, e o diretor da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil em Parauapebas, delegado Antônio Miranda, para falar sobre o assunto.

Na avaliação do subcomandante da PM, mesmo com este alto índice de criminalidade na cidade, no período de janeiro a junho deste ano foram registrados 176 homicídios nos município de Parauapebas, Canaã dos Carajás, Curionópolis, Eldorado do Carajás e região de Marabá, contra 202 no mesmo período do ano passado.

Com relação às mortes ocorridas até o dia 19 deste mês de julho em Parauapebas, major Sabbá admite que o índice de violência está muito alto, mas, segundo o oficial, a maioria das vítimas era formada por pessoas criminosas, envolvidas por tráfico de droga e outros tipos de crime.

O subcomandante garante que a Polícia Militar, em parceria com a Polícia Civil, está trabalhando para baixar o índice de violência na região, fazendo policiamento ostensivo nos bairros das cidades e investigando os crimes cometidos.

Para o delegado Antônio Miranda, a motivação que levou à ocorrência de tantos crimes nos últimos dias é excesso de bebida alcoólica, acerto de conta com tráfico de droga e o efetivo policial reduzido para atender uma cidade com aproximadamente 200 mil habitantes.

Perguntado por que dos autores dos 15 homicídios só um se encontra preso e os demais foragidos, a autoridade policial respondeu que 50% desses assassinos já foram identificados e devem ser presos a qualquer hora.

Provocado pela pauta da reportagem, Antônio Miranda Neto anunciou que nas noites de ontem (sexta-feira) e de hoje (sábado), a partir das 23 horas, as polícias Militar e Civil estariam deslanchando blitz em bares e casas noturnas de Parauapebas, com o objetivo de fazer com que a paz volte a reinar na cidade.

11 comentários em “Quinze pessoas assassinadas em Parauapebas nos últimos 21 dias

  1. Lucas Responder


    Eleitor Arrependido:

    Primeira Verificação
    O que tenho visto por todos os lados da cidade é a PM fazendo segurança particular em comércios, bares, danceteria, se quiser ver é só ir até lá em frente do bar Opção, Piramide, Vips entre outros, em horário de festas, é certo que a guarnição recebem o do LANCHE (mais de R$ 500,00), o motivo da propina é o funcionamento irregular destas casas noturas até altas horas. E as casas que não pagam o LANCHE é claro que é fechada.
    Temos ainda os policiais rodoviário do estado cobrando PROPINA na cara dura durante todo o dia nas proximidades do shopping e no trecho entre Parauapebas e Canaã, quer comprovar é só passar por lá com veículo irregular que eles querem logo os R$ 100,00 do cafezinho.
    Além disso tem a velha história o ABUSO DE PODER, boa parte dos munícipes tem um caso pra contar.
    Segunda Verificação
    É certo que o SALÁRIO da polícia do estado é MUITO BAIXO diante da periculosidade que o policial enfrenta no dia-a-dia, todos sabemos, mas este é o PREÇO DA VOCAÇÃO de usar a FARDA. Tivemos uma oportunidade única de reverter este quadro salarial, mas devido a insensibilidade do povo paraense em não ter dividido o estado, resultado: continuamos a merce do HUMOR do policial.
    Sem denúncia, nada muda!

    Falou muito bem!!! Sim a Policia Militar do Pará é uma vergonha, vivem de bicos, em casas de show, boates, prostibulos, hotéis, bares, são muito mal treinados, ignorantes, analfabetos, mal educados, e não poderia ser diferente aqui nessa cidade de pistoleiros. UMA VERGONHA ESSA POLICIA DO PARÁ!!!

  2. (...) Responder

    Na verdade aqui nessa cidade, ninguém se importa com SEGURAÇA, (há não ser os candidatos em época de eleição ( o que está acontecendo esse ano)), a única coisa que vc ouve falar é: “SE ELEITO FOR IREI MELHORAR A SEGURANÇA DE PARAUAPEBAS”, só se pode melhorar algo quando existe algo a ser melhorado, pra se melhorar a segurança de Parauapebas primeiro ela tem que EXISTIR.
    É fato que essas ultimas mortes ocorridas na cidade estejam realmente ligada com pessoas envolvidas com tráfico de drogas, mais e os tantos que já se foram e não tinham envolvimento, exemplo?; é facil, será que alguém ainda lembra do jovem André, morto no Bairro Liberdade I ? Motivo?: Dois ladrões em uma moto o abordaram chegando em sua residência para efetuar o roubo de sua moto, motivo banal pelo qual ele foi morto, e que até hoje nada foi feito, (e concerteza não será) visto que o caso já tem uns 3 anos. Desculpem pelo desabafo, mais isso é apenas o suspiro de uma decepcionada eleitora que a cada quatro anos vê seu voto sendo jogado no lixo, pois no quesito SEGURANÇA estamos cada vez pior e desamparados. Se vc realmente quiser segurança aqui em Parauapebas, contrate uma particular, quem sabe funciona.

  3. Marcos Cardoso Responder

    Na verdade quem ainda trabalha em Parauapebas é a Policia Militar. Uma coisa eu digo, se a Policia Civil fosse extinta em Parauapebas não faria falta pois não fazem nada. Todos as prisões que ocorre são em flagrante e realizado pela PM, a PC não elucida crime, e ai conta vantagem dizendo que elucida os crimes.

  4. Eleitor Arrependido Responder

    Primeira Verificação

    O que tenho visto por todos os lados da cidade é a PM fazendo segurança particular em comércios, bares, danceteria, se quiser ver é só ir até lá em frente do bar Opção, Piramide, Vips entre outros, em horário de festas, é certo que a guarnição recebem o do LANCHE (mais de R$ 500,00), o motivo da propina é o funcionamento irregular destas casas noturas até altas horas. E as casas que não pagam o LANCHE é claro que é fechada.

    Temos ainda os policiais rodoviário do estado cobrando PROPINA na cara dura durante todo o dia nas proximidades do shopping e no trecho entre Parauapebas e Canaã, quer comprovar é só passar por lá com veículo irregular que eles querem logo os R$ 100,00 do cafezinho.

    Além disso tem a velha história o ABUSO DE PODER, boa parte dos munícipes tem um caso pra contar.

    Segunda Verificação

    É certo que o SALÁRIO da polícia do estado é MUITO BAIXO diante da periculosidade que o policial enfrenta no dia-a-dia, todos sabemos, mas este é o PREÇO DA VOCAÇÃO de usar a FARDA. Tivemos uma oportunidade única de reverter este quadro salarial, mas devido a insensibilidade do povo paraense em não ter dividido o estado, resultado: continuamos a merce do HUMOR do policial.

    Sem denúncia, nada muda!

Deixe seu comentário