Associação dos magistrados do Pará emite nota de repúdio contra deputado federal

A Associação dos Magistrados do Estado do Pará – AMEPA, entidade que congrega os juízes estaduais, por meio de seu presidente, vem externar irrestrito apoio e solidariedade ao magistrado César Leandro Pinto Machado, que responde pela 3ª Vara Cível da Comarca de Marabá, acerca das insinuações assacadas pelo Deputado Federal Beto Salame, em manifestação sobre os acontecimentos judiciais naquela cidade.

O legislador federal, aparentemente divorciado de qualquer conhecimento técnico, questiona dois atos perpetrados pelo magistrado: a) o afastamento do gestor municipal em ação de improbidade, irmão do Deputado; b) a prisão do servidor público Pedro Souza. Ataca, ainda, o Egrégio Tribunal de Justiça quando afirma que Desembargadores se esquivam de decidir.

A atitude do Deputado Federal mostra o quanto vivemos tempos de assombro com a política brasileira: sua nota não tem qualquer conteúdo aproveitável para a discussão na esfera jurídica democrática. É verborragia de esperneio e ofende à magistratura paraense sem precedentes, no tocante ao relacionamento entre os poderes. Tal manifestação de um membro do legislativo ao Judiciário é inédita e mostra rancor e desconhecimento dos meandros dos processos.

O associado Cesar Leandro vem demonstrando coragem e independência na condução dos processos na Comarca de Marabá, que, como todos sabem, é uma sede historicamente conhecida pela dificuldades no exercício da judicância. Forças poderosas sempre tentaram calar a magistratura e repulsar juízes que não se calam diante de pressões.

Quem não entende a força da magistratura, realmente não vai compreender decisões de afastamento de prefeito e prisão de vereador. O nobre Deputado Federal deve aprender que se tratam de feitos conduzidos com imparcialidade e sem temor de inconformismos dados na base da “carteirada”.

Diferentemente de negar a Justiça, aplicá-la indistintamente mostra à sociedade que ela pode confiar nos seus juízes, pois não nos rendemos ao que outrora imperava nos rincões mais afastados: a lei do silêncio e do medo contra os “donos do poder”.

As decisões proferidas em Marabá se sujeitam ao duplo grau de jurisdição e não representam qualquer perseguição. Ao contrário, são resultado de um amadurecimento democrático que descortina que ocupantes de cargos públicos não são soberanos ou déspotas: devem prestar contas diuturnamente de seus atos, seja quem for.

A AMEPA, mais uma vez, como tem feito a cada ataque à magistratura estadual paraense, faz a defesa de seus associados e atuará para evitar que pessoas divorciadas de conhecimento de causa maculem a honra de magistrados.

Belém, 23 de julho de 2016

HEYDER TAVARES DA SILVA FERREIRA
Presidente da AMEPA

Marabá (PA) é única cidade com mais de 150 mil habitantes a unir PT e PMDB

charge-11-de-marao_853O processo de impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff, no Congresso Nacional separou o PT e o PMDB também nas eleições municipais. Segundo levantamentos internos das legendas, os dois partidos não dividirão a mesma chapa, com candidato a prefeito ou a vice, em nenhuma capital na campanha deste ano.

Nas eleições de 2012, quando eram aliados no plano nacional, peemedebistas e petistas estiveram juntos em oito capitais. Até agora, as legendas de Dilma e Temer formaram alianças para dividir a chapa em apenas uma cidade com mais de 150 mil habitantes: Marabá, no Pará.

Neste sábado (23), a convenção do PT em Aparecida de Goiânia, em Goiás, pode determinar um segundo acordo, mas a aproximação enfrenta resistências na cidade. O prazo para que os partidos realizem suas convenções termina no dia 5 de agosto.

A única capital onde os antigos aliados estarão juntos na mesma coligação será Aracaju, no Sergipe. Lá, porém, o candidato a prefeito será do PCdoB e o vice do PT, e o PMDB, que estará no mesmo palanque, cedeu seu tempo de TV na propaganda eleitoral.

“O afastamento é natural. No processo de golpe contra a presidente Dilma Rousseff, o PSDB perdeu o protagonismo para o PMDB”, disse Florisvaldo Souza, secretário de Organização do PT nacional.

Para Gaudêncio Torquato, um dos principais consultores políticos do presidente em exercício Michel Temer, a ruptura no plano nacional teve impacto nas médias e grandes cidades. “A tendência é de o PMDB se aproximar do PSDB e do DEM nos próximos tempos. O afastamento do PT é um caminho sem volta até 2018″, afirmou.

A aliança não sobreviveu nem em cidades onde o comando do PMDB está nas mãos de representantes da “dissidência” contra Temer, como Curitiba, onde o candidato da legenda será Maurício Requião, filho do senador Roberto Requião, que é contra o impedimento de Dilma. O PT lançará Tadeu Veneri na disputa da capital paranaense.

Em maio, a cúpula petista chegou a debater a possibilidade de vetar totalmente alianças com o PMDB e outros partidos que apoiaram o impeachment, mas optou por deixar uma porta aberta para os “dissidentes”.

Próprios

O PT pretende lançar neste ano 83 candidatos nas 118 cidades com mais de 150 mil eleitores e vai encabeçar a chapa em 20 capitais. Esse é maior número desde 2004, quando o partido teve 23 candidatos nas capitais. As principais articulações do PT para 2016 são com legendas mais à esquerda, como o PCdoB e o PDT. As informações são do jornal “O Estado de S. Paulo”.

Doddy Amâncio lança primeiro livro LGBT em Parauapebas

Sergio e BacoSergio e Baco uma Historia de Fé, Amor e Fidelidade será lançada pela primeira vez em Parauapebas. Inicialmente foi lançada no Rio de Janeiro pela Editora Metanoia na Livraria Cultura.

Trata-se da primeira dramaturgia teatral para a região e primeira literatura LGBT local a receber uma publicação. A referida obra levou 4 anos de pesquisa para ser produzida e contém ilustrações do artista plástico parauapebense Afonso Camargo. A obra literária foi financiada com recursos do próprio e possui como inspiração a teologia inclusiva, além da textualidade ser baseada em fatos reais.

Obra e conteúdo

A obra é um roteiro teatral que reconstrói a vida dos cristãos primitivos durante o Império Romano a partir da história de Sérgio e Baco, dois oficiais que integraram o exército do imperador romano Maximiano (286 d. c. – 305 d. c.). Convertidos ao Cristianismo, eles constituíam um casal homossexual respeitado pela Igreja da época. Viveram na Síria, atual Capadócia estabelecendo uma relação de fé, amor e fidelidade um para com outro, ajudando a igreja cristã ali presente e enfrentando perseguição religiosas a mando do imperador Diocleciano.

Serviço

O lançamento do livro será na plenária cultural da Secult, às 19h do dia 13/08/2016.

Contatos – 94- 992128084 – 84138448- 84043757

Sobre o autor 

Doddy Amâncio nasceu em Belém do Pará e reside há 5 anos em Parauapebas. É formado em Biblioteconomia pela UFPA e Especialista em Docência do Ensino Superior pela Universidade Estadual do Ceará. Ator formado pela Escola de Teatro e Dança da UFPA e atual Coordenador da ATP- Associação de Teatro de Parauapebas e diretor fundador da Cia. Gente de Teatro, organizada em março de 2013, cujos os seus trabalhos sempre estão em cena na cidade, entre eles ”O gato de botas”, “Letras em Cena, uma Performance Poética” e ”A filha Prodiga”.

Aos 23 anos, o paraense Bruno Gomes Pereira é o mais jovem professor universitário do Brasil

000874O paraense Bruno Gomes Pereira é reconhecido pelo RankBrasil em 2016 como o Mais jovem professor universitário do país. Nascido em 29 de julho de 1988, começou a lecionar na Universidade do Estado do Pará (UEPA) em fevereiro de 2012, aos 23 anos e sete meses.

Na ocasião foi contratado como professor de Linguística, já sendo graduado em Língua Portuguesa e especialista em Linguística Aplicada. Natural de Rondon do Pará, concluiu o curso universitário aos 22 anos pela UEPA, no município de Conceição do Araguaia. Na sequência realizou especialização pela Faculdade Antônio Propício de Aguiar Franco, em Tocantins.

Precoce, também fez mestrado e doutorado mais rápido que o normal, ambos em Ensino de Língua e Literatura, com ênfase em Estudos Linguísticos, pela Universidade Federal do Tocantins (UFT). Ele obteve o título de mestre em um ano e dois meses, e de doutor em um ano e três meses.

Bruno revela que sempre gostou de ensinar e desde o início trabalhou com Língua Portuguesa. Aos 15 anos já se sustentava, atuando como professor substituto no ensino fundamental I e II. “Tive o prazer de escolher minha profissão e não a profissão me escolher. Sou feliz com o que faço”, afirma.

Questionado sobre os desafios na área, o recordista aponta a dificuldade de ensinar uma língua que o aluno já aprendeu em casa ou em outros contextos sociais. “A palavra certa para isso não é ensino, mas ‘reflexão’ sobre o uso contextual da Língua Portuguesa: é algo mais voltado para o letramento, porque todos, de alguma forma, já sabem seu próprio idioma”.

Para o professor, o recorde brasileiro significa uma alegria imensa, uma vez que representa o reconhecimento de uma vida de luta, mas cheia de vitórias. “Já ganhei alguns prêmios em nível municipal, mas é a primeira vez que recebo algo de âmbito nacional”.

Ele acredita que isso pode servir como incentivo para essa geração que está vindo. “Fico ainda mais feliz em poder fazer uma pequena parte na história de nosso país, entendendo que a educação é sempre o melhor caminho”, enfatiza.

Atualmente Bruno reside em Araguaína (TO), onde trabalhou como docente da UFT. “Estou voltando à minha instituição de origem, a UEPA, que tanto amo”, conta. Na universidade, o paraense deve lecionar Leitura e Produção Textual, Linguística Aplicada, Linguística Textual e Estágio Supervisionado em Língua Materna.

Caso Ipasemar: em Marabá, vereador é preso por desobedecer ordem judicial

pedro souzaNo dia 4 de maio passado, o juiz da 3a Vara Cível Empresarial decretou o afastamento dos cargos por 180 dias do prefeito do município, João Salame Neto, da secretária de Assistência Social, Adnancy Rosa de Miranda, do secretário de Saúde, Nagib Mutran Neto, do secretário de Educação, o vereador Pedro Ribeiro de Souza, e do secretário de Finanças, Pedro Rodrigues Lima, acusando-o de reter o desconto dos servidores ao Instituto Previdenciário do município – Ipasemar.

Hoje, 21, estava marcada a Audiência de Instrução e Julgamento do caso. O vereador Nagib Mutran não compareceu e deve ser julgado à revelia. Já ao prefeito afastado João Salame Neto, em virtude das prerrogativas da lei, foi concedida a escolha de três datas para que ele se apresente ao juízo (08-16 ou 26 de agosto).

Terminada a audiência, o juiz César Leandro Pinto Machado, deu voz de prisão ao vereador Pedro Ribeiro de Souza (foto). É que quando do afastamento pelo juiz ficou determinado que nenhum dos acusados poderia ocupar cargo público. Acontece que Pedro Souza, que é sargento reformado do Exército Brasileiro, reassumiu sua vaga na Câmara Municipal de Marabá 15 dias após ser afastado do cargo de secretário de Educação do município de Marabá. O representante do Ministério Público na Comarca, Julio César Costa, então, pediu a prisão do vereador justificando que o mesmo havia descumprido uma determinação judicial, o que foi acatado pelo magistrado.

Pedro Souza foi encaminhado à delegacia de Polícia Civil de Marabá e posteriormente para o Instituto Renato Chaves, onde se submeteu ao exame de corpo de delito. O vereador está recolhido no quartel da 23ª Brigada de Infantaria de Selva à disposição da justiça.

Defesa contesta prisão

O advogado do vereador Pedro Souza, Odilon Vieira Neto, impetrou na tarde desta quinta-feira (21), no Fórum de Marabá, pedido de relaxamento de prisão preventiva contra o professor Pedro Souza, vereador da Câmara Municipal e ex-secretário municipal de Educação, decretada pelo juiz César Leandro Pinto Machado, respondendo pela 3ª Vara Cível Empresarial de Marabá, que, em sua justificativa, afirmou que Souza não poderia ter assumido o mandato de vereador após ter sido afastado do cargo de secretário.

Odilon Neto entende que a decisão do juiz, emitida em 4 de maio deste ano, em momento algum cita que Pedro não pode assumir a vereança, diz apenas que ele fica impedido de assumir qualquer cargo na administração municipal. Ou seja, não fala em mandato legislativo. O defensor afirma ainda que o juiz também, em momento algum, enviou comunicado à Presidência da Câmara Municipal orientando para que Pedro Souza não retomasse o mandato de vereador.

Odilon diz também que, de outra parte, tomou conhecimento de parecer existente na Câmara Municipal, o qual autoriza a posse de Pedro ao cargo de vereador e que esse ato não afronta a decisão do juiz César Leandro Pinto Machado. Por fim, o advogado afirma que Souza continua com os direitos políticos intactos e que espera que se faça justiça ao vereador e que ele seja libertado ainda nas próximas 24 horas.

TSE divulga limites de gastos de campanha nas Eleições 2016

Foram publicadas no Diário de Justiça Eletrônico do Tribunal Superior Eleitoral (DJe/TSE) as tabelas atualizadas com os limites de gastos de campanha, conforme previsto na Lei das Eleições (Lei nº 9.504/97).

Após publicação dos valores preliminares de gastos de campanha, o TSE atualizou os valores de acordo com a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) da Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de acordo com o parágrafo 2º, art. 2º, da Resolução TSE nº 23.459/2015.

O índice de atualização dos limites máximos de gastos foi de 33,7612367688657%, que corresponde ao INPC acumulado de outubro de 2012 a junho de 2016. Para os municípios de até 10 mil eleitores e com valores fixos de gastos de R$ 100 mil para prefeito e R$ 10 mil para vereador, o índice de atualização aplicado foi de 8,03905753097063%, que corresponde ao INPC acumulado de outubro de 2015 a junho de 2016, visto que esses valores fixos foram criados com a promulgação da Lei nº 13.165/2015 (Reforma Eleitoral 2015).

De acordo com a tabela, o maior limite de gastos para campanha para o cargo de prefeito está previsto para o município de São Paulo (SP), que tem hoje 8.886.324 eleitores. No primeiro turno eleitoral, os candidatos à Prefeitura da cidade poderão gastar até R$ 45.470.214,12. Já no segundo turno, o teto de gastos será de R$ 13.641.064,24. De outro lado, os candidatos a prefeito em 3.794 municípios somente poderão gastar até R$ 108.039,00.

Para o cargo de vereador, o maior limite de gastos foi estipulado para o município de Manaus (AM), que possui 1.257.129 eleitores. Os candidatos a uma cadeira na Câmara Municipal da capital do Amazonas poderão gastar, no máximo, R$ 26.689.399,64. O piso de gastos para as campanhas para o cargo de vereador ficou em R$ 10.803,91, alcançando 3.794 municípios.

Limites para contratação de pessoal

A Reforma Eleitoral 2015 também estipulou limites quantitativos para a contratação direta ou terceirizada de pessoal para prestação de serviços referentes a atividades de militância e mobilização de rua nas campanhas eleitorais, em consonância com o art. 36 da Resolução TSE nº 23.463/1995.

Segundo a Lei das Eleições (Lei n° 9.504/1997), em seu art. 100-A, parágrafo 6º, para fins de verificação dos limites quantitativos de contratação de pessoal não são incluídos: a militância não remunerada; pessoal contratado para apoio administrativo e operacional; fiscais e delegados credenciados para trabalhar nas eleições; e advogados dos candidatos ou dos partidos e das coligações.

O maior número de contratações poderá ser feito pelos candidatos da cidade de São Paulo. Para o cargo de prefeito, poderão ser feitas até 97.719 contratações. Já para o cargo de vereador, o número máximo será de 27.361. O município do Rio de Janeiro vem logo atrás, podendo seus candidatos contratar até 53.848 pessoas para as campanhas de prefeito e até 15.077 para as de vereador.

Os candidatos das cidades de Serra da Saudade (MG) e Araguainha (MT), que possuem 959 e 954 eleitores, respectivamente, somente poderão contratar até 10 pessoas para as campanhas ao cargo de prefeito e até 5 para as de vereador.

Com pressão nas alturas, prefeito interino de Marabá pede pra sair

Luiz-Carlos-1Luiz Carlos Pies (PT), o prefeito interino de Marabá, não é Capitão Nascimento – personagem do filme Tropa de Elite -, mas mesmo assim está pedindo à Câmara Municipal de Marabá para deixar o cargo. Pelo menos pelo prazo de cinco dias para cuidar da saúde.

É que o reserva de João Salame Neto, afastado pela Justiça por dívidas milionárias com o Ipasemar (Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Marabá) estaria sofrendo com pressão alta. Segundo uma fonte ligada ao “Prefeito Chapéu”, como Luiz Carlos é chamado por usar sempre um chapéu no dia a dia, um médico de sobrenome Miranda aferiu a pressão de Pies e constatou que ela media 13 por 19, ou seja, bem mais alta do que o recomendável para sua idade. Ele recebeu ultimato médico para cuidar do problema com urgência.

Diante disso, o prefeito em exercício enviou documento para a Câmara nesta terça-feira, dia 19, solicitando seu afastamento por cinco dias, de 20 a 25 de julho. A Reportagem do blog apurou que os 21 vereadores de Marabá deverão se reunir na manhã desta quarta-feira, 20, para analisar o pedido de Luiz Carlos Pies.

O dilema está em quem vai substituir o prefeito que já é substituto. O presidente Miguel Gomes Filho, o Miguelito, não deverá assumir o cargo porque perderia o direito de candidatar-se à sétima reeleição no dia 2 de outubro deste ano. Os outros cinco nomes na cadeia sucessória no Legislativo marabaense: Beto Miranda, Leodato Marques, Gerson do Badeco, Pedro Correa e Ubirajara Sompré também evitam assumir a cadeira de prefeito para não ficarem inelegíveis.

Em Marabá, especula-se entre militantes do PT que Luiz Carlos não teria um problema tão grave assim, devendo bater em retirada antes do retorno de João Salame ao cargo de prefeito ainda esta semana.

Motivos para estar estressado o prefeito interino tem de sobras. Travou embates recentes com 1.100 educadores a quem diminuiu drasticamente seus salários; demitiu 80 agentes de endemias que atuavam em programa financiado diretamente pelo governo federal e ainda liderou uma batalha contra o vereador e ex-secretário de Educação Pedro Souza, braço direito de João Salame e que ainda exerce uma grande influência em setores específicos da Secretaria Municipal de Educação.

Atualização às 9h30

Hoje pela manhã, o prefeito interino Luiz Carlos Pies enviou nota pelas redes sociais onde afirma: “desmentindo boatos oportunistas de caluniadores, informo que não deixei o comendo interino da prefeitura de Marabá. Acontece que por recomendações médicas, tive que reduzir o ritmo de trabalho para respeitar o repouso necessário para manter o controle da minha pressão arterial. Até o início da próxima semana espero estar melhor”.

NOTA OFICIAL
Por motivo de tratamento de saúde, o Prefeito Municipal interino Luiz Carlos Pies licenciou-se cargo durante cinco dias, a partir desta quarta-feira, dia 20 de julho de 2016.
Em ofício, enviado na manhã desta terça-feira (19), ao qual foi anexado atestado médico, o Presidente da Câmara Municipal, Miguel Gomes Filho, foi comunicado para tomar as devidas providências, devido à vacância do cargo.
Assessoria de Comunicação – Ascom
Atualização às 10 horas
Com o impedimento do presidente da Câmara Municipal de Marabá, vereador Miguel Gomes Filho de assumir o cargo, já que é candidato à reeleição, deve assumir nesse período o juiz Amarildo José Mazzuti, diretor do Fórum e titular da Vara Agrária de Marabá, já que houve uma reunião entre alguns dos 11 juízes da Comarca de Marabá onde foi decidido que ele assumirá por ser o diretor do Fórum local.

Governo financiará setor energético e projetos de infraestrutura urbana na região Norte‏

Decisões foram tomadas em reunião do Conselho Deliberativo da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia, nesta segunda-feira (18).

Barbalho

O financiamento a pequenas centrais hidrelétricas, parques eólicos e centrais fotovoltaicas, pelo Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO), e o investimento em projetos de infraestrutura urbana, pelo Fundo de Desenvolvimento da Amazônia (FDA), foram aprovados nesta segunda-feira (18), durante a 15ª Reunião Ordinária do Conselho Deliberativo da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Condel – Sudam), em Belém (PA). Com a decisão, o FNO passa a financiar até 60% do investimento total de empreendimentos voltados à geração de energia por aproveitamento das fontes de biomassa, pequenas centrais hidrelétricas, parques eólicos e centrais fotovoltaicas. Já no setor de infraestrutura urbana, a partir de agora será possível abrir financiamentos para a implantação de Centros Administrativos voltados à prestação de serviços aos cidadãos ofertados pelo poder público. Para ter acesso aos recursos é preciso que o projeto obedeça aos princípios de sustentabilidade.

O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, presidiu a reunião do Condel e defendeu que a Sudam, os governos estaduais e organizações trabalhem de forma integrada na busca por mais desenvolvimento da Amazônia. “Nós estamos aqui em favor Brasil, dos nossos estados e da nossa região. Todos temos uma bandeira única, que é o desenvolvimento da Amazônia. E o papel do Ministério da Integração Nacional, da Sudam e desse Condel contam com a deliberação de todos os governadores dos estados. Portanto, as decisões são coletivas, colegiadas e legitimadas”, explica.

De acordo com o superintendente da Sudam, Paulo Roberto Correia da Silva, o órgão administra o Fundo de Desenvolvimento da Amazônia (FDA), que disponibilizou recursos de aproximadamente R$ 4 bilhões para financiamentos nos últimos nove anos. “Esses recursos geraram investimentos de cerca de R$ 21 bilhões. Neste período, mais de R$ 16,5 bilhões já foram injetados no setor produtivo, cerca de 1,9 mil incentivos fiscais foram concedidos e mais de 100 mil empregos diretos e indiretos”. O superintendente ressalta que o Ministério da Integração Nacional criou o Grupo de Trabalho para o Desenvolvimento da Amazônia, com objetivo de ampliar ainda mais esses investimentos. “Em menos de um mês, esse grupo já apresentou significativos resultados para o desenvolvimento da região”, completa.

Após as discussões e deliberações do Condel, os participantes também aprovaram a criação de um Fórum Permanente para discutir os entraves para o desenvolvimento da região, em especial os prazos para a obtenção de licenças ambientais. O ministro Helder assumiu o compromisso de levar a pauta à presidência do Ibama e voltar a se reunir na Sudam no próximo dia 04 de agosto com os secretários estaduais de meio ambiente da Região Norte.

Condel-Sudam

O Condel é responsável pelo desenvolvimento inter e intra regionais e prioriza a aplicação de políticas públicas voltadas para a promoção da economia e aplicação de incentivos e benefícios fiscais e financeiros.

A próxima reunião do Conselho será no dia 11 de agosto, com o objetivo de votar as proposições que tiveram pedido de vistas: a aprovação da Política de Desenvolvimento Industrial da Amazônia Legal (PDIAL), elaborada sob um contexto de parcerias com os agentes regionais e com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC); e a atualização do Plano Regional de Desenvolvimento da Amazônia (PRDA), desenvolvido pela Sudam e que traz novos objetivos e programas relacionados ao desenvolvimento da região.

Além do ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, e do superintendente da Sudam, Paulo Roberto Correia da Silva, a reunião contou com a presença do secretário nacional de Fundos Regionais e Incentivos Fiscais, Djalma Bezerra Mello; dos vice-governadores do Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia, Pará, Roraima e Tocantins; de representantes do Banco da Amazônia; das Confederações Nacionais da Agricultura, do Comércio, dos Municípios, dos Trabalhadores no Comércio e dos Trabalhadores na Agricultura; e da Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso.

Motos raras são apresentadas em exposição no Partage Shopping Parauapebas

Imagem7

Mais de 20 motos de vários modelos foram apresentadas na Exposição Parauapebas Moto Clube no último final de semana, nos dias 16 e 17, na Praça de Eventos do Partage Shopping Parauapebas.

A exposição foi uma parceria entre o Parauapebas Moto Clube e o Partage Shopping Parauapebas.

O evento atraiu centenas de apaixonados pelo estilo de vida que as motos proporcionam. Um deles foi o empresário Bruno Silva, que ficou encantado pelas motos. “Eu ainda não tinha visto pessoalmente tantas máquinas com essas potências. Uma mais fascinante que a outra”, conta o empresário.

O Parauapebas Moto Clube surgiu há um ano quando um grupo de amigos decidiu se organizar legalmente para fazer passeios pela região e em outros estados, representando a cidade de Parauapebas. Algumas motos usadas pelos esportistas chegam a custar R$ 85 mil. “Sonho não tem preço”, resume um dos associados.

Associação Mulheres de Barro recebe profissionais para oficinas formativas.

equipe mulheres de barroNo período  de 11 à 15/07/16 aconteceram na Cooperativa Mulheres de Barro, oficinas formativas do Projeto de Implantação do Centro Mulheres de Barro e Educação Patrimonial da Serra dos Carajás. A oficina de Design foi ministrada pela designer Lidia Mara Pereira Abrahim e a oficina de Técnicas Cerâmicas Avançadas pelo artista, ceramista e professor José Levy de Lima Cardoso.
Tais oficinas fazem parte do projeto do Pronac 1414337 – Lei Roaunet (incentivo fiscal), que visa a qualificação do produto artesanal para os artesãos da Cooperativa Mulheres de Barro de Parauapebas.