Polícia de Manaus tem imagens do momento do assassinato do advogado Jakson Silva

imageO titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Ivo Martins, afirmou que a polícia deve usar imagens do circuito de vigilância de uma casa para tentar identificar os suspeitos de assassinar o advogado Jakson Silva. A polícia também já tem imagens do taxi que conduziu o advogado do aeroporto Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, situado na Zona Oeste de Manaus, até a próximo a casa de uma amiga, onde ele teria desembarcado para comprar comida e tenta descobrir se o advogado foi seguido desde então.

Segundo o delegado, Jakson Silva teria ido a Manaus para o aniversário de uma amiga. O advogado voltaria ao Estado do Pará na quarta-feira (28).

Ele desembarcou em Manaus por volta de 22h30. Pegou um táxi e foi para a casa da amiga. Ele parou em um local antes para comprar comida. Antes de entrar na residência, ele foi atingido. A gente tem uma imagem de uma casa do lado, em que duas pessoas chegam ao local de moto por volta do horário descrito na denúncia (23h30). Em contrapartida, a gente tem um depoimento que coloca a motocicleta em outro local. Estamos confrontando as informações para ver qual das duas motos pode ser realmente aquela que participou do crime“, informou Ivo Martins.

O delegado informou ainda que a amiga do advogado e outas pessoas serão ouvidas ao longo desta semana.

O corpo do advogado Jakson Silva saiu de Manaus às 8h39 com destino a Parauapebas, onde será velado na sede da OAB local, localizada na Rua D, 137. O enterro está previsto para às 10 horas da terça-feira (27).  O avião fará ainda uma parada em Itaituba, no Pará, para abastecer e depois segue para Parauapebas.

A OAB-PA programou para hoje, 26, às 16h, uma grande manifestação em todas as subseções da Ordem no estado. Elas deverão promover caminhadas nos seus municípios em repúdio à onda de violência no estado e que já vitimou de morte oito advogados nos últimos quatro anos.

Com informações do G1-AM

Nota de pesar da Prefeitura de Parauapebas

A Prefeitura de Parauapebas vem a público expressar seu pesar pelo inesperado e violento falecimento do Sr. Jakson Souza e Silva, presidente da Subseção Parauapebas da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que ocorreu no final da noite deste sábado (24) em Manaus, Amazonas.

O Governo Municipal, que sempre se mostrou parceiro da OAB, se solidariza e une em oração aos amigos e família da vítima neste momento onde somente o Criador poderá trazer paz.

Presidente da OAB em Parauapebas é assassinado em Manaus

Jakson SilvaÉ com pesar que informo a morte do advogado Jakson Souza e Silva, presidente da Subseção Parauapebas da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB –, ocorrida no final da noite deste sábado (24) em Manaus – Amazonas.

Segundo as primeiras informações de advogados que militam com Jakson em Parauapebas, ele estava em Manaus a trabalho quando teria sido abordado por dois meliantes em uma moto, não se sabe ao certo se para assaltá-lo e se houve reação do advogado, e estes lhe desferiram um único tiro de calibre 12 e se evadiram do local sem levar dinheiro, celular ou a pasta que carregava.

Jakson Silva foi socorrido por populares e levado a um hospital próximo, mas não resistiu ao ferimento.

A OAB Pará tenta, ainda neste domingo, a remoção do corpo do advogado para o município de Parauapebas, onde será velado e sepultado.

Jakson Silva, que era formado pela UFPA, deixa esposa e quatro filhos, o mais novo com apenas 18 meses de idade.

Em nota enviada por seu presidente, Thiago Carvalho de Pinho, a  Associação dos Procuradores do Município de Parauapebas – APMP lamentou profundamente o falecimento do Advogado e amigo Jakson de Sousa e Silva, presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Subseção de Parauapebas/PA, e registra aqui as condolências à família enlutada, colocando-se à disposição para auxiliar naquilo que for necessário e possível.

Ha 1250 dias o STF definia que todos os eleitores do Pará deveriam votar no Plebiscito que pretendia criar Carajás e Tapajós.

Há 1250 dias, o Supremo Tribunal Federal (STF), por unanimidade, definiu que a população inteira de um estado a ser desmembrado deveria ser ouvida em plebiscito. Ao julgar uma ação direta de inconstitucionalidade (ADI), os ministros entenderam que não são apenas os moradores da área que pretende se separar que devem formar o colégio eleitoral.

A decisão foi aplicada para o plebiscito que pretendia dividir o estado do Pará em três, criando os estados de Tapajós e Carajás, ocorrido em 11 de dezembro de 2011.

A decisão do STF foi marcante para a derrota dos que pretendiam dividir o Pará.

Até então, havia uma dúvida na constitucionalidade do artigo 7º da Lei 9.709/98. Antes da lei, havia apenas a Constituição, que diz que deve votar a “população diretamente interessada”. Até então, entendia-se que “população diretamente interessada” era a da parte do estado ou município que pretendia se emancipar. A lei alterou esse entendimento dizendo é população diretamente interessada “tanto a do território que se pretende desmembrar, quanto a do que sofrerá desmembramento”. Em ação direta de inconstitucionalidade, a Assembleia Legislativa de Goiás queria que a interpretação fosse no sentido de liberar a manifestação das pessoas que vivem nas áreas desmembradas. E que a lei valesse somente para estados e não para municípios.

Resultado do plebiscito:

“Você é a favor da divisão do estado do Pará para a criação do estado do Tapajós?”

Não 2.344.654 votos – 66,08%

Sim 1.203.574 votos – 33,92%

Branco – 17.729 votos – 0,49%

Nulos – 35.892 votos – 1,00%

Votos válidos – 3.548.228 – 98,51%

“Você é a favor da divisão do estado do Pará para a criação do estado de Carajás?”.

Não – 2.363.561 votos – 66,60%

Sim – 1.185.546 votos – 33,40%

Branco – 14.895 votos – 0,41%

Nulos – 37.847 votos – 1,05%

Votos válidos – 3.549.107 – 98,54%

Na capital do estado, Belém, o não à criação do estado de Tapajós chegou a 93,88% dos votos e o não à criação do estado de Carajás foi de 94,87%. Já nas possíveis capitais dos novos estados, Santarém e Marabá, o apoio à divisão do Pará foi maciço. Em Santarém, indicada para ser a capital do Estado do Tapajós, 97,78% dos eleitores que compareceram às urnas votou a favor da criação de Carajás e 98,63% a favor da criação de Tapajós. Em Marabá, indicada para ser a capital de Carajás, 93,26% dos votos foram favoráveis à criação de Carajás e 92,93% a favor da criação de Tapajós.

Resultado da Mega-Sena 1672 – Um ganhador

image

image

UFPA divulga listão dos aprovados no vestibular 2015

listaO listão de aprovados no vestibular 2015 da Universidade Federal do Pará (UFPA) foi divulgado neste sábado (24) e está disponível no site da instituição. Cinco mil, quinhentos e cinquenta e cinco vagas foram preenchidas no Processo Seletivo (PS) tradicional deste ano, que teve 128.462 inscritos. Dentre as oportunidades, 164 vagas foram destinadas a pessoas com deficiência.

Pará é o 8º Estado que mais cria emprego no Brasil

ResizeOs indicadores da geração de empregos medidos pelo Ministério do Trabalho colocam o Pará em posição de destaque no ranking nacional da oferta de vagas. O índice de crescimento do emprego no Estado em 2014, divulgado nesta sexta-feira (23), alcançou 2,16%. Superou de longe a média nacional de 0,98% e foi quase três vezes a média regional de 0,93%.

No total, no Pará, foram admitidos 406,8 mil trabalhadores e demitidos outros 389,8, gerando um saldo positivo de 17 mil novos postos de trabalho. O resultado colocou o Estado novamente na primeira posição na região Norte. Além disso, pelo segundo ano consecutivo, as admissões formais ultrapassaram 400 mil, um recorde digno de comemoração.

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos no Pará (Dieese), que analisa os indicadores a partir da base de dados do Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (Caged) do Ministério do Trabalho, acredita que em 2015 a geração de novos postos de trabalho permanecerá em alta. Mas faz uma advertência.

“Torna-se necessário um maior investimento e ampliação nas políticas de educação e qualificação profissional, por parte tanto do governo quanto do setor empresarial, para que não só tenhamos mais empregos em todo o Estado, mas também uma mão de obra mais qualificada e com rendimento melhores”, diz o economista Roberto Sena, coordenador técnico do Dieese. “A qualificação profissional também poderá servir de apoio para uma melhor e maior fixação dos trabalhadores em seus postos de trabalho”, ratifica ele.

Entre os setores da economia paraense com melhor desempenho estão o Extrativo Mineral (4,68%), Serviços (3,01%), Construção Civil (2,75%), Indústria da Transformação (1,84%) e Comércio (1,52%). Na região Norte os maiores saldos na geração de emprego foram registrados pelo Pará (17.016), Tocantins (7.316), Roraima (2.054) e Acre (1.060). As quedas mais significativas foram do Amazonas (-6.027), Amapá (-1.914) e Rondônia (-1.853).

A geração de empregos no Brasil fechou com índice de crescimento de apenas 0,98%, o mais baixo da série histórica iniciada em 2002, de acordo com dados do Caged.

Em nota Vale diz que não participará de reunião agendada para tratar da área do linhão de transmissão de energia em Parauapebas

A Vale emitiu hoje (24) nota onde comenta a situação da área conhecida como “Linhão”, em Parauapebas, e afirma que não participará da reunião com a comissão de moradores agendada para o dia 29 de janeiro. A mineradora afirma ainda que não reconhece os métodos utilizados pelos moradores para forçar um acordo. Confira a íntegra da nota:

A Vale esclarece que, em função das últimas ações e manifestações de populares do bairro Jardim Tropical I e II que culminaram na interdição da Estrada de Ferro Carajás, nos dias 17 e 18 de janeiro, e da portaria de Parauapebas que dá acesso à Serra dos Carajás, nos dias 18 e 19 do mesmo mês, não participará da reunião agendada para o dia 29 de janeiro, com a comissão de moradores, Eletronorte e prefeitura de Parauapebas, por entender que o diálogo que vinha mantendo com a comunidade ficou comprometido.

Sobre a situação de invasão da faixa de servidão das duas linhas de transmissão de energia, que hoje atendem à Vale e também a outros municípios do Sul e Sudeste do Pará, a Vale esclarece que desde agosto de 2014 intensificou as conversas com a comunidade e o diálogo com o poder público e Eletronorte, buscando discutir alternativas que garantam a segurança de todos.

O compromisso com a segurança de suas operações, bem como das comunidades, é uma constante para Vale. A empresa reafirma seu respeito aos moradores, mas reforça que não reconhece os métodos utilizados recentemente para “forçar” uma solução fora do acordo estabelecido.

A Vale espera o fim do clima de ameaças e manifestações e a volta da normalidade para, junto com a prefeitura e Eletronorte, retomar o diálogo.

Histórico das linhas de transmissão

  • Existem duas linhas no local invadido com áreas de servidão, com 35 metros para cada lado. Nestas faixas não são permitidas edificações ou estruturas definitivas, de acordo com a ABNT, por razão de segurança das pessoas.
  • As duas linhas foram construídas pela Vale, uma inicialmente implantada para atender ao Sossego em 2004, e outra implantada em 2008 para atender Onça Puma, S11D e Sossego, de forma integrada com a primeira linha (através da subestação chamada Integradora).
  • Em 2010, o Operador Nacional do Sistema elétrico (ONS) aprovou a conexão de outra linha de transmissão entre a Subestação Integradora e o município de Xinguara. A partir deste fato, por força da legislação do setor elétrico brasileiro, a Vale está obrigada a doar as linhas à Eletronorte, que é a concessionária que fornece energia para os estados do Norte e responde pela subestação Integradora. Os ativos passaram a atender consumidores múltiplos e não mais apenas à Vale, tornando-se ativos de uso e interesse público. Hoje, uma das linhas já foi doada à Eletronorte e a outra encontra-se em processo de doação.

Futebol: Parauapebas vence em jogo treino no Rosenão

Por Fábio Relvas

Poucos torcedores acompanharam o jogo treino do Parauapebas Futebol Clube diante de um combinado formado por jogadores amadores que atuam na cidade, na tarde noite desta sexta-feira (23), no Estádio Rosenão. A partida terminou com vitória do PFC por, 4 a 2. Os gols do jogo foram marcados por Célio Codó, Juninho, Régis e Magno para o Parauapebas, enquanto que Oliveira e Anderson descontaram para o Combinado.

IMG_2007O jogo começou equilibrado, mas logo o PFC mostrou superioridade e abriu o marcador através do atacante Célio Codó, que driblou o zagueiro e tocou com categoria no canto esquerdo do goleiro Thiago, aos sete minutos de jogo. O time do Combinado não se intimidou e foi para cima, chegando ao empate através de Oliveira, que acertou uma bela cabeçada no canto direito de Paulo Rafael, após cobrança de falta de Júnior Chico, aos 17 minutos. Logo após o gol do adversário, o Parauapebas voltou a marcar. Em uma jogada trabalhada, Mocajuba cruzou rasteiro da esquerda para a conclusão de Juninho, aos 23 minutos, 2 a 1 PFC.

Na segunda etapa o jogo ficou mais aberto, com os dois times atacando. Melhor para o Parauapebas que chegou ao terceiro gol através de Régis, em uma cobrança de falta com perfeição, aos 12 minutos. Sete mudanças foram feitas pelo técnico Léo Goiano, entre elas do jogador Magno. O atleta não perdeu tempo e entrou no jogo deixando sua marca. Após lançamento de Juninho, Magno recebeu e tocou no canto do goleiro, aos 40 minutos. No finalzinho do jogo, aos 44, o Combinado chegou a marcar o segundo gol, através de Anderson. Placar final Parauapebas 4 x 2 Combinado.

Este foi o segundo jogo treino do PFC visando sua estreia no Parazão 2015. O primeiro teste foi contra o mesmo Combinado, quando as equipes ficaram no empate em 1 a 1, na última quarta-feira (21). “É um processo de evolução, uma montagem de um elenco, de uma maneira de jogar. Eu gostei da atitude hoje. Temos muito a evoluir, mas de passo a passo. Vamos continuar com humildade, com trabalho. Nós temos uma semana e temos que fazer as coisas por etapa”, ressaltou o técnico Léo Goiano.

FICHA TÉCNICA

PARAUAPEBAS: Paulo Rafael (Marcos); Rodrigo Siqueira (Léo), Negretti (Magno), Henrique e Mocajuba (Gustavo); Régis, Dedeco, Juninho (Juninho) e Diego Lira (Wesley); Fabiano e Célio Codó (Romeu). Técnico: Léo Goiano

COMBINADO: Thiago; Hernane (Marcelo), Flávio (Jorge), Daniel (Almir) e Nonato (Dudu); Maranhão (Matheus Moreno), Choco (Nilson), Carlinhos (Matheus) e Júnior Chico (Juruna); Oliveira e Hábio (Anderson). Técnico: Santos

ÁRBITRO: Jânio Balsac

ASSISTENTES: Isael Silva e Cleomarques Leal

LOCAL: Estádio Rosenão, em Parauapebas

Assentamentos do sudeste paraense recebem Planos de Desenvolvimento

Assentados recebem o PDADezoito assentamentos do sudeste paraense receberam o Plano de Desenvolvimento do Assentamento (PDA) ou o Plano de Recuperação do Assentamento (PRA), conforme o caso. Os documentos foram entregues nesta sexta-feira (23), na sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), em Marabá – PA, acompanhados do Estudo para Licença de Instalação e Operação (LIO).

O PDA traz um diagnóstico completo que leva em conta a situação do solo, as reservas naturais, a capacidade dos lotes, a vocação dos agricultores, entre outros fatores econômicos, sociais e ambientais. Esse relatório permite definir as atividades de produção que serão desenvolvidas no assentamento. O Plano é resultado do trabalho conjunto das famílias de agricultores e da equipe de técnicos da prestadora.

A empresa Agroatins, contratada pelo Incra por meio da Chamada Pública 01/2012, foi a responsável por orientar o estudo e a confecção dos planos, dentro da programação prevista no contrato de Assistência Técnica Social e Ambiental. Durante a reunião a prestadora ainda apresentou uma série de atividades a serem realizadas em 2015. Dentre elas, a inédita “Caravana da Agricultura Familiar”, que consiste em realizar visitas de intercâmbio com outros assentamentos. Para isso, apresentaram um veículo caracterizado do tipo micro-ônibus para o deslocamento dos assentados.

Estes trabalhos vão qualificar as atividades produtivas de 3.500 famílias de agricultores familiares dos municípios de Marabá, Jacundá, São João do Araguaia, São Domingos do Araguaia, Breu Branco, Goianésia do Pará e Rondon do Pará.

O superintendente regional do Incra no Sul do Pará, Eudério Coelho, colocou a potencialização da assistência técnica nos próximos anos. “Estivemos reunidos, ontem em Brasília, com o novo ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, e pudemos ouvir dele que a assistência técnica será prioridade e deverá ser integrada com a questão da água e energia elétrica. Os assentamentos serão produtivos”, finalizou.