Ex-secretário de saúde de Marabá deve pagar multa de mais de R$ 24 mil, diz TCM-PA

Eugênio Caetano AlegrettiR$ 24.298,06 06 (vinte e quatro mil, duzentos e noventa e oito reais e seis centavos). Esse é o valor que o ex-secretário de Saúde do município de Marabá, Eugênio Caetano Alegretti (foto) deverá recolher aos cofres municipais e ao Fundo de Modernização, Reaparelhamento e Aperfeiçoamento do Tribunal de Contas dos Municípios (FUMREAP).

A multa é referente à prestação de contas do exercício financeiro de 2003 e foi aplicada pelo Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Pará (TCM/PA), ainda em 2015. Eugênio foi notificado via edital publicado no Diário Oficial do Estado desta quinta-feira, 11. O edital ainda será publicado outras duas vezes, nos próximos dias.

À época do julgamento pelo TCM/PA, a prestação de Contas do Fundo Municipal de Saúde de Marabá foi aprovada com ressalvas. Segundo a decisão, mesmo com falhas, “a ausência de processos licitatórios e de prestação de contas de suprimento de fundos não se mostraram suficientes para reprovar as referidas contas”, razão pela qual foram aplicadas as multas.

Eugênio era o responsável pelo Fundo Municipal de Saúde de Marabá. Do valor total da multa, deverá ser recolhido aos cofres municipais R$ 17.298,06 (dezessete mil, duzentos e noventa e oito reais e seis centavos), no prazo de 60 dias, e R$ 7.000,00 (sete mil reais) ao FUMREAP, no prazo de 30 dias. O comprovante do pagamento deve ser enviado ao TCM/PA, em Belém. No caso de descumprimento da determinação, os autos serão encaminhados para cobrança judicial.

Ulisses Pompeu: crônica boicotada

O medo que a gente tinha da pinta miúda

“Naquele tempo, a gente aprendia que para a pinta crescer devia esticar,esticar e esticar como se fosse uma baladeira feita com liga de soro”

Por Ulisses Pompeu *

pintoVou confessar uma coisa pra vocês. Tenho um amigo de trabalho que vive aperreado com alguns e-mails que recebe. Semanalmente, lhe enviam propostas de aumentar a pinta. “Olá! Esta é sua chance de aumentar o pênis em espessura e tamanho”.

E continua: “Método seguro e recomendado pela classe médica. Em pouco tempo alcança o resultado desejado. Tenha orgasmos mais demorados e intensos. Auxilia na ejaculação precoce. Combate a impotência sexual…”.

Além de tudo, oferta “ereções em menos de meio minuto… E muito mais! Acesse nosso site. Conheça o produto. Leia os testemunhos. Irá te surpreender. Acesse www.superaumento.net”.

E aí, meu amigo, preocupadíssimo, achou que alguma foto íntima dele havia vazado na rede e os robozinhos do Google teriam identificado o seu trauma. Para acalmá-lo, disse que também recebia vários spans com a proposta de esticar. Mas é preciso dizer que não vou revelar o nome do amigo, nem em outra crônica.

Ora, ora, tem uma época na vida em que o tamanho não nos tortura tanto como machos. Quando meninos, de calções sem cueca, o tamanhozinho ainda não é imperativo. Tanto que mijávamos no pé do poste, do meio fio, sem fazer cerimônias para esconder o pirulito. Naquele tempo, diferente das propostas hoje pela Internet, a gente aprendia que para a pinta crescer devia esticar, esticar e esticar como se fosse uma baladeira feita com liga de soro.

Mas as coisas vão mudando. Na escola, na rua, nas revistas fomos “crendo” que tamanho era documento. Quem tinha milonga avantajada, a pivetada encarnava. Mais por inveja. Chamavam de “Mangueira”, “Três pernas”, “Coca-Cola no bolso”, “aloprado”, “bengala”, “jiboia”…

Mas o pênis tem, hoje, muito mais apelidos. É bom que se diga que o primeiro nome que ouvi na infância para denominar esse membro do meu corpo era pinta (uma variação de pinto). Por aí, a gente houve a galera falando em alavanca, bengala, bráulio, cacete, cobra, espeto, ferramenta, manjuba, pau, pepino, pica, piroca, piu-piu, rola, trolha, vara, entre outros.

Lá no futuro, o rapaz diferente seria cantado em verso e cordel por causa do “defeito” de nascença. Cobiçado por meninas e, também, pelos homens afeitos a olhar os alheios mijando nos banheiros de shoppings e terminais de ônibus.

Pois muito bem. Quase todo adolescente, um dia, pegou a trena ou a régua e se trancou para medir o que tinha. Em grupo ou sozinho. Quando foi além da média, saiu se empabulando e, por qualquer coisa, botava a bicha pra fora. E os outros admiravam. Empunha respeito…rsrsrs.

Essa ditadura do tamanho e do machismo que vai nos equivocando. É paia, como dizia Eliezer Santana (ele não é o amigo do trabalho preocupado com os emails, fique dito). Ter uma pomba miúda, mediana ou graúda, não é garantia de menos ou mais prazer.

Mas é assim, sobrecarregamos a pinta e lhe atribuímos poder demais. Coitada! Tem de ser sempre potente, nunca falhar, ser provedora, fértil, ereta, quilométrica, negona… Li algo parecido num livro de Garcia Marquez que não me lembro o título agora.

O machismo ainda me consome além da conta, mas prefiro os prazeres possíveis. O inimaginável fica para os spans que prometem transformar um botão no tronco de castanheira.

E que besteira, a dependência da pinta (miúda ou grande)! Como diz outro amigo meu, o Edson Arruda, “é mais fácil mudar a genitália de alguém do que sua mente”.

* O autor é jornalista do CORREIO há 21 anos e escreve crônica nas edições das quintas-feiras

Verduras e legumes mais caros já afetam o orçamento familiar do parauapebense

VerdurasQuem costuma comer verduras e legumes todos os dias enfrenta a alta do preço nos produtos comercializados em feiras e supermercados de Parauapebas. Segundo pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese/PA), no mês de janeiro, os produtos que tiveram os reajustes mais expressivos foram a batata, cenoura, beterraba e o repolho. 

A consumidora Meiriane Gomes conta que percebeu o aumento e passou a comprar os alimentos em quantidade menor. “Precisei reduzir o consumo de algumas verduras e até substituir por outros alimentos. O aumento afeta diretamente o orçamento familiar e os costumes em casa”, declara.

Outros produtos que entram na lista do Dieese são: a chicória, com alta de 3,45%; pimentão verde (kg), com alta de 2,18%;  batata doce branca (kg), com aumento de 1,46%. Ainda no mês de janeiro, poucos produtos apresentaram recuo de preços, com destaque para a cebolinha (maço), com queda de 2,75%. 

Gerente de um supermercado em Parauapebas, Francisco de Sousa, destaca que os produtos sofreram um aumento significativo e isso reflete na mesa do consumidor. “O aumento chega para todos e, muitas vezes, não temos como evitar que o consumidor pague mais caro”, ressalta.

Marabá: professores da rede municipal deflagram greve

Iniciou nesta quinta-feira (11), a greve geral dos trabalhadores em educação da rede pública municipal de Marabá. Conforme divulgação do Sindicato dos Trabalhadores na Educação Pública do Pará (Sintepp), a decisão pela greve ocorre por conta do pagamento do piso salarial e da hora atividade dos professores.  

Sintepp Marabá_1

Segundo o sindicato, a pendência em relação à folha salarial da Educação, que vem se arrastando desde o final do ano passado, é o motivo real para a ruptura do diálogo entre trabalhadores e educação municipal. “A Prefeitura de Marabá entende que existem distorções salariais e será necessário reduzir vencimentos que teriam sido conquistados ilegalmente, enquanto o Sintepp pensa o contrário”, destaca trecho de conteúdo relacionado à greve.

Na tarde de hoje, o coordenador-geral da Subsede de Marabá, Wendel de Lima Bezerra, usou as redes sociais para divulgar a agenda de luta e mobilização nas ruas da cidade. Amanhã (12) a categoria pretende ocupar o prédio da prefeitura e, no dia 15, o prédio da Secretaria Municipal de Educação. Já nos dias 16 e 17, a categoria visa mobilizar todos os trabalhadores em Educação para caminhadas, e no dia 18 uma assembleia deve acontecer em frente à prefeitura.

Divulgação Sintepp

A paralisação atinge cerca de 60 mil estudantes da rede municipal.

Prefeitura de Marabá

Em nota, a Prefeitura de Marabá, por meio de sua Assessoria de Comunicação, esclarece que: “ao contrário do que está sendo noticiado nesta quinta-feira (11), nenhum pacote de medidas administrativas será anunciado hoje pela Prefeitura de Marabá, por intermédio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), determinando redução de carga horária nem demissão de servidores contratados. A Semed também informa que qualquer decisão que porventura venha a ser tomada nessa direção será anunciada oficialmente”.

Pré-matrícula para escolas estaduais encerram este fim de semana

topo_mat_2016

Encerra neste domingo (14), o prazo para realização das pré-matrículas na rede estadual de ensino do Pará. Essa fase é destinada somente a alunos novos, ou seja, aqueles que ainda não estudavam em uma das escolas estaduais em Parauapebas.

De acordo com a assessoria da Seduc em Parauapebas, as escolas centrais, como Eduardo Angelim (sede) e Euclydes Figueiredo, as vagas disponíveis foram ocupadas imediatamente após a liberação do sistema para pré-matrículas. “Em 24 horas, já não havia uma só cadeira a ocupar nessas escolas”, afirma a nota.

Quem acessar o site hoje notará que em alguns horários apenas encontrará disponíveis anexos de algumas escolas. Mesmo assim, de acordo com a assessoria, todas as salas atendem as necessidades dos alunos. Os três anexos do município estão localizados no Bairro Novo Horizonte, Cedere I e Vila Paulo Fonteles.

A pré-matrícula pode ser realizada pelos alunos, inclusive para aquele que têm deficiência, através do site Secretaria Estadual de Educação (Seduc), o www.seduc.pa.gov.br. Alunos que já estudam em escola da rede estadual ou queiram solicitar transferência para outra escola da rede não poderão acessar a pré-matrícula.

Os alunos que já fazem parte da rede serão automaticamente rematriculados após o resultado final do ano letivo de 2015. Caso o aluno queira ser transferido para outra Escola, deverá procurar a secretaria da sua escola para fazer a referida solicitação. O ano letivo de 2015 deve encerrar na próxima semana, enquanto 2016 deve acontecer no início de março.

Ministério Público do Pará abre investigação contra atual presidente da CBF

IMAGEM_NOTICIA_5O Ministério Público do Pará (MP-PA) iniciou investigação ao Coronel Antônio Nunes, atual presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) pela sua atuação como mandatário da Federação Paraense de Futebol (FPF) nos anos de 2011 a 2013, quando a entidade recebeu quase R$ 3,5 milhões de verba pública.

“O Governo do Estado patrocina o Campeonato Paraense de Futebol, por isso o Ministério Público pediu a prestação de contas da federação para saber se todo o dinheiro está sendo realmente investido no futebol”, afirmou o promotor Sávio Rui Brabo de Araújo em entrevista ao Estado de S. Paulo, onde alegou que o atual presidente da CBF entregou uma prestação de contas incompleta do MP. “Tivemos de pedir que fossem apresentados os extratos bancários e estamos cruzando os dados. Esses procedimentos ainda estão em análise na Auditoria Contábil do Ministério Público porque cada um tem mais de 60 volumes de papel”, reiterou.

Em 2011, a FPF recebeu R$ 1.375.810,00, sendo R$ 100 mil da Assembleia Legislativa do Estado do Pará e R$ 1.275.810,00 da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer. No ano seguinte foram mais R$ 1.105.810,00 da secretaria. Em 2013, a Secretaria de Estado de Esporte e Lazer diminuiu o repasse à federação para R$ 1 milhão.

O MP pretende saber se a administração de Nunes na federação estadual não usou verba pública para contratar serviços prestados por parentes. Por meio da assessoria de imprensa da CBF, Nunes afirmou que não comentaria as investigações.

Polícia Civil faz balanço das ações realizadas em Parauapebas durante o Carnaval 2016

Delegado Thiago CarneiroO Delegado Thiago Carneiro (foto), diretor da Vigésima Seccional de Polícia Civil Urbana de Parauapebas, divulgou no final da tarde da quarta-feira (10) um balanço das ações realizadas naquela Depol no que se refere ao Carnaval 2016 no município. Segundo o delegado, foram registrados:

  • Homicídios : 05, sendo 04 referentes à chacina que ocorreu no bairro Caetanópolis e 01 no bairro Ipiranga. Sobre os números, o delegado afirmou: “Acreditamos que estes crimes não tenham envolvimento direto com o evento carnavalesco”.
  • Alcoolemia: 14 pessoas foram autuadas por dirigir embriagadas;
  • Furto: 01 pessoa foi presa;
  • Roubo: 03 pessoas foram autuadas pelas autoridades policiais;
  • Lesão corporal: 02 procedimentos foram registrados;
  • Receptação: 06 pessoas foram presas;
  • Falsificação de documento: 01 preso
  • Total: 24 procedimentos, sendo 16 flagrantes, 06 TCO’s e 02 BOC’s (Procedimento investigativo quando envolve menor de idade), além dos Inquéritos Policiais que tramitam de forma sigilosa.

Rapidinhas

Carnaval
Foi um sucesso o Carnaval 2016 em Parauapebas. Além do recorde de público, os dias de folia apresentaram outro ponto positivo: o menor índice de confusões dos últimos dez anos. A preocupação com a segurança parece ter sido o ponto chave do grupo que conduziu os preparativos do Carnaval 2016 em Parauapebas. Segundo a organização do evento, mais de 100 mil pessoas passaram pelo Corredor da Folia nos quatro dias de carnaval.

Microdutos
A instalação de fibras ópticas para os sistemas de automação, telefonia e internet no projeto S11D, em Carajás, tem sido feita pela Vale por meio de microdutos. Um cabo rígido formado por pequenos dutos agrupados, por onde passam as microfibras ópticas. A mineradora disse que essa tecnologia economiza tempo, diminui custos e dá mais segurança à operação.

Mais cargos
A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados aprovou proposta do Tribunal Superior do Trabalho (TST) que cria 152 cargos efetivos (101 de analistas e 51 de técnicos), 84 cargos em comissão e 211 de funções comissionadas no quadro de pessoal do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 8ª Região, sediado em Belém, com jurisdição nos estados do Pará e Amapá. O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado agora nas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Forças contra o mosquito
O Estado do Pará terá aproximadamente 9,5 mil militares das Forças Armadas atuando na campanha contra o mosquito Aedes aegypti, no dia 13 de fevereiro, em oito cidades. Eles irão às ruas para distribuir material impresso com orientações para a população sobre como manter a casa livre dos criadouros do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e do Zika vírus. A ação vai ocorrer simultaneamente em todo o País, com o total de 220 mil militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica mobilizados.

DMTU
Em Marabá, o DMTU (Departamento Municipal de Trânsito e Transporte Urbano) está convocando todos os mototaxistas auxiliares para recadastramento no órgão, a partir do próximo dia 15 até o dia 19, de 8h às 12h e das 14h às 17h30. O recadastramento atende ao que determina a Portaria 01/2016-DMTU. O recadastramento, com a entrega dos documentos necessários, deve ser realizado pelo próprio interessado, com o objetivo de avaliação e aprovação. Quem não procurar o Departamento para se recadastrar não terá renovado o cadastro de condutor auxiliar.

Testes
A Vale informou na última sexta-feira (5) que realizou os primeiros testes na correia do Transportador de Longa Distância (TCLD) do projeto S11D, em Carajás, no Pará. Os testes fazem parte da etapa de comissionamento e permitem avaliar se o funcionamento dos equipamentos está conforme o planejado.

Carestia
Alimentos e bebidas mais do que dobraram de preço nos últimos dez anos, período em que avançaram acima da média inflação geral do país. O cálculo, feito pela consultoria Tendências com a base de dados do IBGE, mostra que a inflação do grupo alimentação e bebidas foi de 124,12% de fevereiro de 2006 a janeiro de 2016, o maior avanço entre os nove grupos acompanhados. No mesmo período, o índice oficial de inflação teve um aumento de 78,42%.

Em Minas Gerais, Vale faz acordo para pagar dívidas a municípios

cfemOs municípios mineradores de Minas Gerais onde a Vale extrai minério de ferro começam a receber essa semana parte do pagamento de dívidas que a mineradora contraiu ao longo dos anos por deduzir do royalty do minério os gastos com transporte. A cifra chega a R$ 1 bilhão e ainda é discutida judicialmente, mas um acordo selado nas últimas semanas viabilizou o pagamento de R$ 250 milhões referentes a sua operação no Estado. Do valor, R$ 162,5 milhões serão pagos a cidades mineiras.

Quem cobra a dívida da Vale é o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), responsável por arrecadar o royalty. A Vale defende que a decadência da cobrança da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM) se daria em cinco anos, já o DNPM, que isso ocorreria após 20 anos. Desta discordância surge a diferença de valores cobrados e o que a empresa julga dever.

Um parecer da Advocacia-Geral da União (AGU) colocou prazo de dez anos para a decadência. O parecer fundamentou o acordo, e a Vale pagará o que deve referente a este período. A mineradora não informa valores, mas diz que foram provisionados.

A negociação ocorre há pelo menos um ano, de acordo com o presidente da Associação dos Municípios Mineradores de Minas Gerais (Amig) e prefeito de Congonhas, José de Freitas Cordeiro (PSDB).

Ele comemorou o resultado das negociações e disse que novos acordos poderão ser firmados com outras mineradoras com dívidas relativas à CFEM, o chamado royalty do minério. “É importante primeiro pela grave situação financeira que estão os municípios, e depois porque se lá na frente a Justiça decidir que o valor correto é de R$ 1 bilhão, a empresa terá de pagar, isso (o acordo) não acaba com a ação na Justiça”, afirmou. A Congonhas caberão R$ 5,2 milhões.

Do valor de R$ 250 milhões devidos à Minas Gerais, 65% (R$ 162,5 milhões) serão destinados aos municípios mineradores, 23% (57,5 milhões) para os estados, e 12% (30 milhões) ficam com a União.

Segundo o acordo, a Vale pagará em fevereiro 30% da dívida e o restante será parcelado em quatro vezes. Em Minas foram arrecadados de CFEM em 2015 R$ 675 milhões, uma queda de 15% sobre os R$ 800 milhões de 2014.

Fonte: Bruno Porto – Site Hoje em Dia

TCM notifica ex-prefeito Darci Lermen para pagamento de multa

DARCI-LERMEN-2O Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Pará (TCM/PA) notificou o ex-prefeito de Parauapebas, Darci José Lermen (foto), para que ele pague uma multa referente à sua prestação de contas de 2006. A multa é de R$ 10.620, 00 (dez mil, seiscentos e vinte reais), e a notificação foi realizada por meio de edital publicado no Diário Oficial do Estado.

O valor será recolhido ao Fundo de Modernização, Reaparelhamento e Aperfeiçoamento do Tribunal de Contas dos Municípios (FUMREAP/TCM) e é decorrente do Processo nº 980012006-00, cujo resultado foi publicado ainda em 2015. Darci deverá enviar o comprovante do recolhimento ao TCM em até 30 dias.

Caso a comprovação não ocorra dentro do prazo, os autos serão encaminhados para cobrança judicial. O valor total da multa está especificado da seguinte forma: R$ 9.120,00 (nove mil, cento e vinte reais), pelo envio fora do prazo dos Relatórios de Gestão Fiscal; R$-500,00 (quinhentos reais), pelo envio fora do prazo da documentação dos 1º e 2º quadrimestres; R$-1.000,00 (mil reais), pelo envio fora do prazo dos Relatórios Resumidos de Execução Orçamentária.

Instado a se pronunciar sobre as multas, o ex-prefeito não respondeu as mensagens do Blog.