Quadrilha presa pela PM horas antes de atacar agência do Bradesco de Jacundá

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on print

Continua depois da publicidade

Uma quadrilha fortemente equipada foi presa no início da madrugada desta terça-feira, 27, na cidade de Jacundá. O bando pretendia assaltar a agência do Banco Bradesco. Após o flagrante efetuado pelo contingente da 18ª Companhia Independente da Polícia Militar, os envolvidos foram transferidos para a cidade de Tucuruí, onde estão presos. Nenhuma arma de fogo foi encontrada com eles.

Estão presos Cleberson César de Arruda, Talita Santos Farias, Vítor Hugo Santana Mateus, Felipe Lucas Batista e Rafael dos Santos Lacerda. Apenas Felipe é da cidade de Jacundá. Com eles, os policiais encontraram um bloqueador de celular, furadores de concreto, ferramentas, fios, aparelhos celulares e outros equipamentos para uso no arrombamento do prédio e cofre da agência do Bradesco. Participaram das prisões o capitão Rogério, tenente S. Cruz, sargento Waldemir, cabo César e soldado Hélio.

O capitão Rogério Pereira, comandante da CIMP, detalhou como efetuou a prisão da quadrilha. Segundo ele, era por volta de 23 horas de segunda-feira quando a viatura policial realizava rondas pelas ruas da cidade e os policiais militares perceberam um veículo C4 Pallace, com a placa de Marabá (NPQ 1510), o qual trafegava com algumas pessoas consideradas suspeitas.

Essa atitude chamou atenção da guarnição, que decidiu fazer uma simples abordagem. Ao revistar o veículo, foram encontrados vários objetos suspeitos. Então, os policiais acionaram o comandante da companhia, Capitão Rogério. “Ao indagá-los, o grupo começou a se contradizer e logo revelaram a intenção criminosa”, conta o oficial.

Capital Rogério detalhou que os ocupantes do carro revelaram onde estava o restante da quadrilha, dos quais dois suspeitos se encontravam com outros equipamentos escondidos num matagal próximo à região central da cidade e aguardava o momento para efetuar o arrombamento da agência Bradesco.

Após a prisão dos homens veio outra revelação. A participação de uma mulher que estava com outro equipamento também para ser utilizado no crime. Com as informações, a guarnição da PM seguiu para a casa onde a suspeita estava, e na residência foi dada voz de prisão a mesma, onde foi encontrado um bloqueador de sinal de celular.

Os equipamentos tecnológicos foram uma surpresa para os policiais. “Somente em filmes vi tanto equipamento de tecnologia de ponta. Impressionante o poderio de ferramentas que seria utilizado no arrombamento ao banco”.

O capitão informou nesta manhã que o caso foi informado ao comando de Policiamento Regional de Tucuruí, que determinou a condução do bando e a apresentação fosse procedida na Regional Tucuruí devido à periculosidade da quadrilha.

Publicidade