Prisão de Charles Trocate pode ser deferida ainda hoje

Continua depois da publicidade

O Tribunal de Justiça do Pará informou, na manhã desta segunda-feira (9), que o pedido de prisão preventiva do coordenador estadual do MST (Movimento de Trabalhadores Sem-Terra), Charles Trocate, deve chegar às mãos do juiz Alexandre Hiroshi Arakaki, da comarca de Curionópolis ainda hoje.

De acordo com o TJE, o pedido foi protocolado no sábado na comarca do município, mas como o juiz também responde pela comarca de Parauapebas, onde está na manhã desta segunda-feira, ele deve ser encaminhado ao magistrado por fax para avaliação. Não há previsão para que a decisão seja proferida, mas tudo indica que o magistrado analise o pedido ainda hoje.

O coordenador do MST teve o pedido de prisão preventiva sob a acusação de vandalismo em duas fazendas no sul do Pará na semana passada, uma delas, a fazenda ‘Maria Bonita’, que pertence ao Grupo Santa Bárbara, que tem como um dos sócios o banqueiro Daniel Dantas.

Fonte: Alerta 96

2 comentários em “Prisão de Charles Trocate pode ser deferida ainda hoje

  1. Charles Trocate Responder

    PARA QUEM QUISER…

    Se é agosto

    A concepção vai torta

    Tudo anda avesso e daí?

    Quem governa não sabe de mim,

    Nem dos camaradas afáveis.

    Mais meu amor

    É um plano invicto e tem dorso

    Beija a outra margem do sol,

    É um ato sem nome

    [perambulando!

    A vida não é apenas isso.

    Mais o que fazer se a política endoideceu as palavras

    Não sabe nada de coisas passadas.

    O que torno dizer

    É indivisível

    Não pode ser paradoxal

    A geografia de tudo não cabe

    [no coração.

    Se me escapo

    O riso é de pura aventura

    O fio da razão seqüela ainda mais a imperfeição,

    O que fazer?

    Entre o fervo

    E a palavra toda aflição

    Que a lucidez implora.

    Não há consenso

    A pedra é pedra e fura o desespero

    É inútil tanto palácio!

    Meu silêncio tem um estômago

    Confronta sem amizade,

    Seu equilíbrio

    É música que danço sem

    [fim!

    Nessa distância

    Só posso me inventar.

    O medo tem sua estratégia

    Arrogante se joga no ar!

    Aqui entre as rugas do poder

    Só há destinos tímidos

    Fantasmas letrados?

    Pelas ruas de mim

    Não passará o hipócrita!

    O cuscuz das horas beira a

    [intimidade

    Resmunga

    Um sabor de tão futuro,

    O que querem vocês com os muros?

    Se o mundo é pequeno saio de dentro dele, e daí?

    A luta como meio

    O poema como fim!

    A carícia é apenas slogan.

    Em todos os cantos

    O cartaz do passado devora e etc…

    E o olhar deixou de ser

    A fronteira da dor.

    Quem quer essas rimas, quase infames?

    Só peço, meu sobrenome

    Não é panfleto

    Seu uso é apenas da classe.

    Quem é mesmo esse obeso Hiroshi?

    A fala não entende nada de mim

    O superficial já esgotou-se

    Tem bolso

    O delírio que se faz assim?

    Entendam, o mapa quer outro mapa.

    Mesmo uma felicidade!

    E os lobos, mil estepes

    Como não quer o covarde.

    Como sangra

    O presente e seus bajuladores!

    A ordem, sinto muito…

    Ficará sem meu amém!

    A luta como meio

    O poema como fim!

    A carícia é apenas slogan.

    Charles Trocate

    Novembro de 2.009

    De algum lugar desse país, de notícia de jornal.

Deixe seu comentário

Posts relacionados

%d blogueiros gostam disto: