Prefeitura de Tucuruí quer estúdio para dar suporte a aulas remotas

Rede municipal da “Capital da Energia” tem 21 mil alunos, de acordo com último censo escolar. Governo local diz que ensino-aprendizagem na pandemia exigiu adaptações à nova realidade.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O governo da “Capital da Energia” bolou uma ideia que vai custar R$ 1,165 milhão aos cofres públicos: vai comprar diversos equipamentos de informática para montar estúdio a fim de tocar o projeto “A Educação está no Ar”, com a finalidade de, segundo a Prefeitura de Tucuruí, democratizar o ensino remoto imposto pela pandemia de coronavírus. O município ficou de realizar pregão eletrônico no próximo dia 19 de maio para tentar adquirir itens como notebooks, câmeras digitais, webcams, monitores e tripés.

As informações foram levantadas pelo Blog do Zé Dudu, que folheou o edital do certame, o qual já está disponível no mural de licitações do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), conforme se pode verificar aqui. O recurso que será aplicado para aquisição dos acessórios é, segundo a Secretaria Municipal de Educação e Cultura, a quota federal do salário educação.

Em nota para pautar a aquisição dos produtos, a Prefeitura de Tucuruí justifica que a pandemia de Covid-19 trouxe mudanças significativas relacionadas ao ensino-aprendizagem e que exigiu adaptações para uma nova realidade. A oferta de aulas remotas, por meio virtual, tornou-se mais um novo mecanismo fundamental para reunir alunos, professores, pais e a sociedade ao debate do contínuo acesso à educação de forma segura mediante uso de tecnologia moderna.

Diante da necessidade de dar início ao retorno do calendário letivo e a retomada das aulas, “faz-se necessária a compra de materiais de informática para dar suporte à implementação do ensino remoto”, alega o governo municipal, afirmando que a Secretaria Municipal de Educação e Cultura seguirá a plataforma de colaboração e comunicação integrada nas escolas para que professores possam reger suas aulas com os equipamentos necessários para gravação de vídeos, áudios e de edição enquanto os estudantes acompanham pela internet.

Publicidade