Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Jacundá

Escola “Raimunda Tavares” apresenta Projetos Científicos em Jacundá

Quatro projetos foram selecionados na Mostra Científica do Sul e Sudeste do Pará

Em Novo Repartimento, sudeste do Pará, a persistência em estimular o ensino e a aprendizagem motivou alunos da Escola “Raimunda Tavares” a se tornarem pesquisadores de temas e problemáticas que chamaram a atenção na sociedade. Assim, quatro projetos de cunho científico e abordados em pesquisas de campo e análise dos resultados foram selecionados.

Na sexta-feira passada (9) aconteceu a culminância da iniciativa no Auditório da Prefeitura, onde os alunos fizeram a apresentação dos resultados das pesquisas, com a presença do prefeito Deusivaldo Silva Pimentel, o Amizade, da secretária de Educação Wanilza Lima, e secretário de saúde, Paulo Geovani Silva Sousa. “É um momento importante para a Educação e desenvolvimento social de Novo Repartimento”, destacou o gestor.

De acordo com o professor Carlesom Silva, “as pesquisas científicas podem e devem ser realizadas desde a educação básica, melhorando consequentemente o aproveitamento e habilidades do aluno pesquisador”.

Os trabalhos estudantis foram submetidos à Mostra Científica do Sul e Sudeste do Pará (Mocisspa), que será realizada em Marabá pela Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa).

Projetos selecionados apresentados e submetidos na Mocisspa:

Tema: ESCOLHA PROFISSIONAL E FORMAÇÃO ESCOLAR

Autores: Emylle Martins (9º ano) e Pedro Nilton Ferreira (8º ano)

Orientador: Carlesom dos S. Piano

Tema: UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE: ACOLHIMENTO E ACESSIBILIDADE

Autora: Lucilana de Andrade (9º Ano)

Orientadora: Jhéssica Elayne G. da Cruz Piano

Tema: ALFABETISMO FUNCIONAL EM MATEMÁTICA DOS JOVENS REPARTIMENTENSES

Autores: Davi de Souza e Thalysson Chaves (9º ano)

Orientador: Carlesom dos S. Piano

Tema: VACINAS NA INFÂNCIA: A COMPREENSÃO DOS PAIS QUANTO AOS TIPOS E

FUNCIONALIDADES
Autoras: Karen Alves Leite e Regiane de Lima Vasconcelos (9º ano)

Orientadora: Jhéssica Elayne G. da Cruz Piano

ORÇAMENTO

Despesas com serviços básicos em Parauapebas em 2019 sustentariam milhares de cidades

Orçamento da Semed é maior que arrecadação anual de 137 das 144 prefeituras paraenses, enquanto o da Semsa bate com folga receita de 128 governos municipais. Municípios famosos Brasil adentro, como Gramado (RS), ficam tímidos.

Cinco mil e trezentas prefeituras brasileiras, de um total de 5.568, não conseguem arrecadar durante o ano inteiro o mesmo que a Prefeitura de Parauapebas prevê gastar apenas com a educação pública municipal ao longo do ano que vem. Em 2019, o município pretende desembolsar R$306,6 milhões, dos quais R$187,6 milhões serão direcionados ao ensino fundamental.

O Blog do Zé Dudu folheou a Lei Orçamentária Anual (LOA) 2019 do município e foi às contas para comparar a grandiosidade das despesas das sete funções que mais consomem fatia da receita orçamentária, prevista para atingir R$1,243 bilhão no decorrer do próximo ano. Os montantes são invejáveis e suficientes para sustentar a esmagadora maioria das prefeituras paraenses, e até brasileiras, por muito tempo.

Educação

O orçamento da pasta para 2019 — R$306,6 milhões para atender uma rede composta por 45 mil alunos e 2.800 profissionais da educação — é maior que arrecadação inteira de 137 municípios paraenses, ou 95% deles. Hoje, só as prefeituras de Belém, do próprio Parauapebas, Marabá, Ananindeua, Santarém, Barcarena e Castanhal conseguem ajuntar receitas superiores à gerida pela Secretaria Municipal de Educação (Semed). A Prefeitura de Abaetetuba, por exemplo, só alcança receita anual de R$230 milhões para cuidar de 156 mil habitantes. É, portanto, R$76 milhões a menos em recursos, no comparativo com a Semed, para cuidar de três vezes mais pessoas.

Por outro lado, o atual Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de Parauapebas, tanto no ensino fundamental menor (5º ano) quanto no maior (9º ano), não chega a estar sequer entre os mil melhores do país, segundo o Ministério da Educação (MEC).

Administração

O orçamento da pasta será de R$237,50 milhões, mais que a receita inteira de 133 prefeituras do Pará, entre as quais a de Marituba, que arrecada R$212 milhões, em média, anualmente e tem aproximadamente 130 mil habitantes para tomar conta.

Para se ter ideia da grandiosidade do caixa da Secretaria Municipal de Administração (Semad), nem o famosíssimo município gaúcho de Gramado, que recebe eventos e turistas internacionais, consegue arrecadar tanto: só R$218 milhões.

Saúde

O orçamento da pasta é previsto em R$200 milhões e só 16 prefeituras paraenses têm fôlego para ajuntar tal montante no ano. Com essa quantia, a Prefeitura de Redenção, no sul do estado, conseguiria pagar todas as suas contas sem atropelos durante um ano e quatro meses.

Em nível nacional, a receita gerida pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) bate com folga a arrecadação de 5.160 prefeituras Brasil adentro. Mesmo com todo o investimento, a saúde de Parauapebas não aparece sequer entre as 1.500 melhores do país, de acordo com levantamento elaborado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) e divulgado no meio deste ano.

Transporte

O orçamento da função é estimado em R$77,9 milhões para o ano que vem e é superior ao de 90 prefeituras paraenses. Com esse recurso, a Prefeitura de Eldorado do Carajás passaria um ano e três meses com todas as contas — inclusive a despesa com folha de pagamento — quitadas.

A injeção da Prefeitura de Parauapebas na área de transporte seria suficiente, ainda, para pagar quatro anos de conta das prefeituras de Palestina do Pará e Abel Figueiredo, entre outras.

Urbanismo

O orçamento da pasta é previsto em R$74,65 milhões para 2019 e é maior que o de 88 prefeituras do Pará, inclusive a receita total deste ano do vizinho próspero Curionópolis, cujo recolhimento de recursos deve atingir R$ 72,5 milhões este ano.

Se fosse um Poder Executivo, a Secretaria Municipal de Urbanismo (Semurb) teria cacife para pagar as contas de 4.300 prefeituras do Brasil.

Encargos especiais

O orçamento destinado aos encargos especiais é de incríveis R$63,63 milhões, o suficiente para pagar despesas por um ano de 78 prefeituras paraenses. Só com a provisão de encargos, a Prefeitura de Parauapebas liquidaria durante um ano e quatro meses as despesas totais da Prefeitura de Água Azul do Norte.

Além disso, os encargos especiais previstos em orçamento pelo Executivo municipal compõem uma quantia suficiente para sustentar 4.000 prefeituras brasileiras.

Saneamento

O orçamento destinado ao saneamento básico de Parauapebas é de R$ 45,6 milhões, muito mais que a arrecadação inteira de 48 prefeituras do Pará. No sudeste do Pará, há vários governos municipais que passam o ano com bem menos, a saber: Santa Maria das Barreiras (R$45,2 milhões), Floresta do Araguaia (R$44,7 milhões), Rio Maria (R$41,5 milhões), Bom Jesus do Tocantins (R$35,2 milhões) e Nova Ipixuna (R$33,5 milhões), entre muitas outras.

No Brasil, 3.000 prefeituras que não arrecadam tanto adorariam ter um orçamento desse para gerir, muitas das quais atendidas com 100% de saneamento básico.

Marabá

UFPA trará bacharelado de Biblioteconomia para a UAB de Marabá

No primeiro semestre de 2019 as duas universidades vão oferecer um curso inédito no município de Marabá

Numa parceria com a Universidade Federal do Pará, a Universidade Aberta do Brasil, polo de Marabá, receberá no primeiro semestre de 2019 o curso de bacharelado de Biblioteconomia em EAD, que só será ofertado em 14 instituições de nível superior do País no próximo ano. A confirmação de que Marabá terá uma turma nessa modalidade foi dada pela CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), ligada ao Ministério da Educação.

Bibliotecário há 28 anos, Williams Pinheiro é formado pela Universidade Federal do Pará (UFPA), onde mais tarde cursou mestrado em serviço social. Hoje é professor do quadro permanente da instituição, vinculado ao Instituto de Ciências Sociais Aplicadas da Faculdade de Biblioteconomia, da qual já foi diretor. Nos últimos anos Williams tem se dedicado ao planejamento da instalação do curso de biblioteconomia a distância. A previsão dele é que as aulas iniciem em março de 2019 e a modalidade alcance cerca de 280 alunos em seis municípios do Estado.

Além de ser uma profissão regulamentada por lei, a Biblioteconomia tem grande valor se considerada a necessidade e o respeito que ela pode exercer nos espaços das bibliotecas (escolares, públicas, universitárias, comunitárias etc). “A relação da profissão com aspectos ligados à inclusão social é de tamanha importância, uma vez que trabalhamos para levar às pessoas facilidade no acesso à informação – mas não só isso: hoje as bibliotecas passaram a exercer a função da aprendizagem, possibilitando uma atuação mais proativa”, explica Williams.

O coordenador do polo da UAB em Marabá, Ademar Filho, prevê que o edital com as informações detalhadas do curso seja divulgado no início de 2019. “Vale salientar que os cursos de graduação ou pós-graduação oferecidos na UAB são gratuitos, mas ao mesmo tempo têm grande interesse da comunidade”.

Enem

Veja os possíveis temas que podem ser cobrados no segundo dia do Enem 2018

Neste domingo (11), as questões serão de Ciências da Natureza e Matemática

Chega à reta final do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018. A primeira etapa da prova ocorreu no último domingo (4), onde os candidatos precisaram lidar com a temida redação. Porém, ainda não acabou. No próximo domingo (11), ainda tem a segunda parte da avaliação do exame, com questões de Ciências da Natureza – biologia, química e física – e matemática.

É difícil saber quais os temas que serão abordados nas 90 questões da prova em meio a tantas temáticas possíveis. Entretanto, o Enem vem mantendo um mesmo padrão nos últimos anos. Por esse motivo, é sugerido que os candidatos peguem provas anteriores e resolvam as questões. Com base nos exames passados, veja agora os possíveis temas que podem ser cobrados neste domingo.

Matemática – Razão e proporção é um dos temas possíveis e apesar dos alunos considerarem esse tema fácil, no Enem, eles podem aparecer contextualizados com exemplos de aplicação prática, como o lucro de uma empresa ou os juros compostos de uma aplicação financeira. Ainda entre as questões de matemática, são relevantes os conteúdos sobre geometria espacial e funções.

Ciências da Natureza – Essa parte se divide entre Física, Química e Biologia e não há necessariamente 15 questões de cada uma dessas disciplinas, geralmente, os conteúdos são cobrados de forma interdisciplinar. Em Física, um dos assuntos mais cobrados é mecânica e, em Química Geral, o assunto mais cobrado é Cálculo Estequiométrico, que envolve raciocínio lógico, razão e proporção. Já em Biologia, cerca de 35% da prova é sobre Ecologia, que se desdobra em temas como poluição e preservação ambiental, além de conceitos de sustentabilidade, agricultura e uso de defensivos agrícolas.

Como será a prova?

O esquema é o mesmo do primeiro dia de exame. Os portões abrem às 12h e fecham às 13h, com início das provas marcado para as 13h30 (horário de Brasília). Uma novidade é que este ano os candidatos terão 30 minutos a mais, em comparação ao ano passado, para responder as 90 questões – serão 45 questões de Ciências da Natureza e 45 sobre Matemática. No total, serão cinco horas para responder a avaliação.

No ano passado, o Ministério da Educação (MEC) já havia mudado a divisão das disciplinas, com a aplicação das provas em dois domingos. No entanto, os candidatos reclamavam que o tempo de quatro horas e meia era insuficiente para resolver os cálculos exigidos no segundo dia do exame.

Os gabaritos do Enem serão divulgados no dia 14 de novembro e, o resultado, publicado em 17 de janeiro de 2019. Caso você não consiga obter a pontuação necessária para ingressar no curso com ajuda dos programa de incentivo governamental, como ProUni, FIES e Sisu, não precisa se preocupar. Você pode também contar com a ajuda de programas da iniciativa privada, a exemplo do Educa Mais Brasil. Bolsas de estudo de até 70% são oferecidas para graduação e várias outras modalidade de ensino. Acesse o site do Educa Mais Brasil e veja todas as oportunidades disponíveis para o curso do seu interesse. A inscrição é gratuita.

Parauapebas

Rede municipal de Parauapebas ganha mais 59 professores

Os novos servidores foram empossados no auditório da prefeitura e agora têm a missão de trabalhar na formação de cidadãos críticos e atuantes na sociedade

O sentimento de dever cumprido marcou a manhã de ontem, quarta-feira (7), no auditório da Prefeitura de Parauapebas, onde foi realizada a cerimônia de posse de 59 professores aprovados no concurso público realizado em fevereiro deste ano. “Sei da responsabilidade que assumo frente à sociedade de Parauapebas, quero crescer profissionalmente e ser uma profissional reconhecida pelo meu trabalho. Formar cidadãos críticos e atuantes na sociedade de hoje é nosso grande desafio, pois o papel do professor tem sido banalizado e, resgatar a nossa identidade de formador, é um grande desafio”, relata a professora Gerlane Pereira de Lima.

Quem encara um processo seletivo como esse sabe muito bem que não é nada fácil enfrentar a concorrência. E, para obter êxito, a dedicação e disciplina nos estudos devem ser aliadas. Gerlane foi uma das mais de 10 mil pessoas que se candidataram às vagas ofertadas pela prefeitura para os cargos de professor de Educação Básica I (creche, educação infantil e ciclos iniciais) e professor de Educação Básica II (Língua Portuguesa, Matemática, Educação Física, Ciências, História, Geografia, Artes, Ensino Religioso e Inglês).

Agora, a expectativa é de que esse novo grupo possa complementar o quadro de servidores da Secretaria Municipal de Educação (Semed) com muita energia para o ano letivo de 2019. “Recebemos todos com muita alegria já que todos estão ingressando por meio de concurso público como prevê a nossa constituição. Foi um concurso realizado com a maior lisura possível contando com o envolvimento do sindicato e hoje eles estão integrando o quadro do magistério municipal e pedimos que exerçam suas funções com amor, com comprometimento na formação cidadã”, afirma Raimundo Neto, secretário de Educação.

Enem

Enem nota 10: Confira as dez dúvidas mais frequentes sobre o exame

Prova acontece nos dias 4 e 11 de novembro

Falta menos de uma semana para a primeira etapa do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que, nesta edição, conta com a participação de mais de 5,5 milhões de escritos. O Enem é a segunda maior prova de acesso ao ensino superior no mundo e, atualmente, é o exame que seleciona os estudantes para 240 mil vagas em 130 instituições públicas brasileiras, além de particulares de outros países, como Portugal.

Para quem pretende concorrer a uma vaga no ensino superior gratuito, o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) é a principal forma de ingresso. Para os estudantes interessados em instituições particulares, o Programa Universidade para Todos (Prouni) oferece bolsas de estudo integrais e parciais para alunos com pelo menos 450 pontos na média das notas, que não tenham zerado a redação. E há ainda o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), que cobra a mesma pontuação do Prouni.

Os alunos também podem aproveitar o Pronatec para formações técnicas em cursos gratuitos. E caso, o estudante não consiga nota suficiente no exame ou por algum motivo, não consiga fazer o Enem esse ano, eles podem contar com a ajuda de bolsas de estudos, que são oferecidas por programas educacionais como o Educa Mais Brasil. Para graduação, o programa oferece até 70% de desconto nas mensalidades.

Os estudantes que irão participar da prova precisam estar cientes do que pode eliminar um aluno, além dos documentos válidos para apresentar no local de aplicação e das regras de uso da nota após a divulgação dos gabaritos. Você já esclareceu todas as suas dúvidas? Se não, confira agora dez perguntas que podem ajudar você a tirar uma nota mil.

1-Quando vai ser a prova? Por que ela é aplicada em dois domingos?

Nos dias 4 e 11 de novembro, pelo segundo ano consecutivo, ela será aplicada em dois domingos. Até então, as provas aconteciam em um único fim de semana, no sábado e no domingo.

A mudança ocorreu após uma consulta pública feita pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) no início do ano passado. Mais de 600 mil pessoas responderam às perguntas do governo federal e 42% optaram por mudar a prova para dois domingos.

2-Como faço para saber qual será meu local de prova?

É preciso acessar o cartão de confirmação de inscrição na Página do Participante (https://enem.inep.gov.br/participante), com CPF e senha.

O cartão contém informações como número de inscrição, endereço do local onde o aluno fará as provas, número da sala e outros detalhes como a língua estrangeira escolhida pelo candidato – inglês ou espanhol.

Antigamente, o MEC enviava estes cartões pelos Correios mas, para economizar, optou somente pela versão digital.

3-É possível mudar meu local de provas?

Não. O Inep já definiu toda a logística para aplicação do exame a partir dos endereços distribuídos.

4-Posso comparecer somente em um dos dias?

O edital não proíbe que um candidato faça apenas um dos dias de provas. Entretanto, este aluno dificilmente vai atingir pontuação necessária para conseguir vaga na faculdade ou ser beneficiado pelos programas de acesso do governo federal.

5-O que cai em cada um dos dias de provas?

No primeiro dia, são as provas de linguagens, ciências humanas e redação. São cinco horas e trinta minutos de duração. No segundo dia, é a vez de ciências da natureza, que compreende as disciplinas de química, física e biologia, além de matemática. A prova deve ser respondida no tempo máximo de cinco horas.

6-São quantas questões?

Cada prova objetiva tem 45 questões. São, portanto, 180 questões de múltipla escolha no total. A redação deve ter o mínimo de sete e, no máximo, 30 linhas.

7-É possível deixar a sala de prova a qualquer momento?

Não. Nenhum candidato poderá deixar o local de prova antes das duas primeiras horas, segundo o Inep. Caso seja um dos três últimos participantes presentes na sala de provas, só poderá sair juntamente com os outros dois candidatos, depois de assinar a ata de sala.

8-Possuo alguma deficiência ou sou lactante, tenho direito a algum atendimento especial?

Pessoas com algum tipo de deficiência, idosos, gestantes e lactantes têm direito a atendimento especial. Entretanto, esta solicitação deveria ser feita durante o período de inscrição. Agora não há mais tempo hábil para este tipo de pedido. Segundo o Inep, os candidatos que solicitaram algum atendimento especial e tiveram seus pedidos negados foram informados por email ou via SMS.

9-Com o Enem eu consigo a certificação do Ensino Médio?

Não mais. Desde o ano passado, o Enem perdeu essa função e a certificação do Ensino Médio voltou a ser feita por um exame específico chamado Encceja.

10-Quando saem os gabaritos? E os resultados?

Os gabaritos serão divulgados até o dia 14 de novembro, segundo o Inep. Já os resultados, só em janeiro de 2019. Logo depois das provas, cursinhos pré-vestibulares costumam fazer correções extraoficiais.

Por meio delas, o candidato pode ter uma ideia de como foi na prova – mas só vale para tentar conter a ansiedade porque este resultado não é oficial.

Fonte: Bárbara Maria – Ascom Educa Mais Brasil
Brasil

Enem pode ser a porta de entrada para uma faculdade no exterior

Portugal foi a primeiro país a aceitar a nota do Enem em suas instituições

Considerado o maior exame educacional do país e uma das principais formas de acesso ao ensino superior no Brasil, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) também é aceito em algumas instituições de ensino no exterior. E, embora o Ministério da Educação só tenha convênio oficial com Portugal, universidades de outros países, como França, Irlanda, Reino Unido e Canadá, também utilizam as notas do Enem em seus processos seletivos.

Foi depois de uma alteração na legislação portuguesa, que permitiu que as universidades criassem processos seletivos para estrangeiros, que a Universidade de Coimbra, em 2014, se tornou a primeira instituição de fora do país a utilizar o exame como forma de seleção para brasileiros. Desde então, várias instituições firmaram acordo com o Inep a fim de aproveitar os resultados do Enem para ingresso de brasileiros em suas graduações. Hoje, o exame é critério de seleção em 31 instituições portuguesas.

Para conseguir uma vaga em uma universidade portuguesa de ponta, as notas exigidas são consideradas baixas se comparadas com as do Brasil. Aqui, por exemplo, para cursar Direito, é preciso, pelo menos, uma média de 700. Para Portugal, a média mínima exigida é de 600 pontos.

O que é necessário para se estudar lá fora com a nota do Enem?

Para quem pretende se candidatar a uma vaga no ensino superior no exterior, a primeira dica é estar informado sobre os prazos e a documentação exigida, pois costuma ser diferente da do Brasil. Algumas universidades solicitam documentos extras, como carta de recomendação, redações e exame de proficiência em inglês. Outra dúvida que surge é como funciona caso o estudante brasileiro tenho dupla cidadania. E a verdade é que isso pode atrapalhar. Nesses casos, o aluno deixa de ser tratado como estrangeiro, podendo haver uma exigência por notas mais altas.

Só faltam 9 dias para o Enem ser aplicado em todo o país. Mesmo que você não consiga a pontuação suficiente para ingressar em uma universidade pública ou estudar em uma instituição no exterior, muitas alternativas existem aqui no Brasil.  Uma delas é o Educa Mais Brasil, programa educacional que oferta bolsas de estudo para várias modalidade de ensino. Se interessou? Acesse o site do Educa Mais Brasil e confira todas as oportunidades disponíveis na sua região. Você pode conseguir uma bolsa de estudo de até 70%.

Fonte: Bárbara Maria – Ascom Educa Mais Brasil
Parauapebas

Ministério Público apura caso de assédio sexual no IFPA de Parauapebas

Reitor do instituto esteve na cidade, onde manteve reunião com a comunidade escolar e garantiu que situações assim, classificadas por ele como abomináveis, não continuem a acontecer

Após ganhar relevância nas redes sociais e atrair atenção do Conselho Tutelar da Criança e do Adolescente, que interveio, levando a denúncia ao Ministério Público Estadual, o caso das estudantes vítimas de assédio sexual no IFPA (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará), em Parauapebas, viveu um novo capítulo nesta quarta-feira, 24.

A manhã foi agitada, com a presença do reitor Cláudio Alex Jorge da Rocha (foto), em Parauapebas. Ele se reuniu com estudantes e servidores a fim de buscar saída para a denúncia feita contra Rubens Chaves Rodrigues, diretor do instituto no município, acusado de assédio sexual a diversas estudantes adolescentes.

 

De acordo com o reitor, ele não vai permitir que a situação continue e será implacável contra o assédio, que ele qualificou como “abominável”. Alex, entretanto, reconhece não poder sair demitindo pessoas apenas baseado em uma acusação. “É preciso que se apure de forma responsável. Mas, daremos garantia de que este instituto possa ser visto como ele é: um lugar de formação de cidadãos com qualidade”, disse o reitor, recomendando que a comunidade acompanhe o desenrolar do caso.

De acordo com a petição apresentada pelo Conselho Tutelar ao MP, o reitor afastou o acusado, Rubens Chaves Rodrigues, da função e também das dependências do instituto. Porém, ao nomear uma diretora substituta, Tábata Araújo, encontrou resistência de alguns alunos e servidores que dizem entender ser necessário uma eleição direta ou nomeação de comissão para decidir a respeito da escolha de quem dirigirá o instituto interinamente até o mês de março.

Sobre o caso

De acordo com informações do Conselho Tutelar, estudantes adolescentes vinham sofrendo assédio sexual por parte do diretor do IFPA, que oferecia negociação de notas ou promessas de outros favores, situações que não eram denunciadas porque as vítimas não acreditavam que providências fossem tomadas, assim, apenas seriam alvos de represálias.

No entanto, ao tomar conhecimento, o coordenador do Conselho Tutelar, Neil Armstrong da Silva Soares, foi ao local e conversou com as adolescentes e outras testemunhas. “Tivemos o cuidado de ouvi-las no local, para não as expor ao constrangimento ou de não serem coagidas a não comparecer ao conselho”, explicou Neil, detalhando ainda tê-las encaminhado à Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), para que fosse instaurado inquérito policial. Ao mesmo tempo, a denúncia foi feita ao Ministério Público Estadual e, imediatamente, acatada.

De acordo com o conselheiro tutelar, diversos casos como esses circulam em silêncio pelos corredores de escolas e ganham força em salas fechadas, onde ocorre troca de favores entre adolescentes e professores.

Isso, segundo ele, é motivo para que sejam abertas investigações em diversas escolas, para que se garanta o direito das crianças e adolescentes. “Não é fácil transpor barreiras como esta, pois, muitos se protegem enquanto outros se calam”, lamenta Neil, dizendo acreditar que, assim como este caso, outros serão denunciados e os envolvidos punidos.