Canaã dos Carajás

Prefeitura de Canaã vai usar R$ 6 milhões em monitoramento de trânsito

Blog do Zé Dudu levantou que, em 2014, a “Terra Prometida” teve o trânsito proporcionalmente mais assassino do Pará. Na garupa desses óbitos, frota disparou quase 300% esta década.

Em uma década, Canaã dos Carajás, uma das principais praças financeiras da Região Norte, sepultou 141 cidadãos, que perderam a vida em seu trânsito cada vez mais caótico. O tráfego de veículos automotores, diga-se de passagem, cresce em ritmo muito mais frenético que o aumento populacional. De 2007 a 2017, houve enxerto de 200% nas fatalidades decorrentes de acidentes de trânsito, conforme levantou com exclusividade o Blog do Zé Dudu, a partir de dados do Ministério da Saúde, os quais apontam 2013 e 2014 como auge da turbulência no tráfego da próspera “Terra Prometida”.

Por causa disso, o prefeito Jeová Andrade soltou ontem, quarta-feira (21), um megaedital de licitação que disponibiliza R$ 6.360.841,46 para usar no trânsito de Canaã dos Carajás. A ideia é registrar preços para contratar futuramente, e se necessário, uma empresa de locação de equipamentos que atue no monitoramento e na fiscalização automática do tráfego. Quem organizou o processo (que pode ser consultado aqui) foi a Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte.

Para justificar a licitação graúda, a pasta compilou números do Ministério da Saúde em base de terceiros para mostrar que entre 2010 e 2013 o número de mortes de trânsito em Canaã saltou de oito para 21 registros e que as taxas proporcionais estão altas. Mas são dados caducos demais e que não abarcam o maior crescimento da década no município, entre os anos de 2014 e 2016, período durante o qual foi registrado o pico das obras do projeto de minério de ferro S11D, da Vale, e que arregimentou cerca de 20 mil trabalhadores para o município. E fez o trânsito agitar.

Canaã entre os mais letais no trânsito

O Blog do Zé Dudu foi diretamente na fonte do Ministério da Saúde, avançou nos números e computou que, entre 2014 e 2017, foram registrados 69 óbitos no trânsito local, praticamente metade do contabilizado nos últimos dez anos. Foram 21 mortes em 2014; 15 em 2015; 18 em 2016; e 15 em 2017 — ano com o dado consolidado oficial mais recente.

Em 2014, aliás, o trânsito de Canaã dos Carajás foi proporcionalmente o mais letal do Pará, com 74,5 mortes para cada grupo de 100 mil moradores. Hoje, se não está em primeiro lugar, continua entre os dez, com taxa de 44,5 mortes por 100 mil — só Pau D’Arco, Sapucaia, Novo Progresso, Floresta do Araguaia, Ourilândia do Norte, Eldorado do Carajás e Magalhães Barata apresentam números relativos piores. No entanto, a queda na taxa em Canaã não necessariamente implica dizer que as mortes diminuíram. Elas só não aumentaram em velocidade maior que o crescimento demográfico.

As mortes pegam carona no crescimento da frota, que evoluiu de 4.918 veículos em 2010 para 19.335 em junho deste ano, conforme levantou o Blog junto ao Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Em termos percentuais, em menos de uma década o número de carros e motos emplacados no município disparou quase 300%. Só nos primeiros seis meses deste ano Canaã ganhou reforço de 763 novos veículos.

A prefeitura justifica que a segurança pública tem sido um ponto importante no programa de governo de Jeová Andrade, razão pela qual a administração pretende eventualmente adquirir equipamentos de controle eletrônico de velocidade, talonário eletrônico, central integrada de comando e controle, sistema de gerenciamento de infrações, sistema de infrações monitoradas por vídeo, entre outros produtos e serviços que constam do edital da licitação. “Os equipamentos, sistemas e recursos tecnológicos utilizados no monitoramento eletrônico do trânsito possibilitam combinar a segurança do trânsito com a segurança pública”, argumenta o governo municipal.

Deixe seu comentário