Prefeitura de Canaã vai distribuir 30 mil cestas básicas

Atualmente, 19.800 habitantes do rico município encontram-se em situação de vulnerabilidade social, sobrevivendo em famílias cuja renda média mensal não ultrapassa meio salário mínimo.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

É hoje, terça-feira (5), que a administração de Jeová Andrade vai dar início à compra de diversos gêneros alimentícios e produtos de uso diário para montar cestas básicas e kits de higiene a fim de distribuir à população carente do município de Canaã dos Carajás cujas condições socioeconômicas, na observação do governo local, pioraram em razão da pandemia do novo coronavírus, que impôs isolamento social, desempregou muita gente e tirou o pão de cada dia de trabalhadores informais.

Um pregão eletrônico vai ser realizado para escolha do fornecedor dos produtos. O orçamento previsto para a empreitada é de R$ 5.166.600,00, conforme pode ser visto aqui. A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social é quem fará a distribuição, observando-se as famílias cadastradas em programas sociais do Governo Federal, no âmbito da política de assistência social do município de Canaã.

Pela proposta da prefeitura, no kit de higiene haverá detergente, sabão em barra, água sanitária e álcool em gel. Já a cesta básica, composta por 14 itens, contém arroz, feijão, macarrão, sardinha e leite em pó. Ao todo serão comprados 30 mil kits de higiene por R$ 43,51 e 30 mil cestas básicas por R$ 128,71, em média.

Segundo o governo local, o benefício — na forma de alimentação e material de limpeza —constitui-se em gratuidade temporária para reduzir os transtornos provocados pela falta de condições financeiras em razão da pandemia. Decorre disso a medida de aquisição de “produtos de qualidade e quantidade suficientes como forma de garantir atendimento satisfatório às famílias”.

A Prefeitura de Canaã dos Carajás também ressalta que o cenário de vulnerabilidade social e econômica que muitas famílias já enfrentavam se agravou pelo coronavírus, “que está ocasionando impactos à vida de centenas de famílias no município”. A administração lembra que a prestação de benefícios eventuais em situações de emergência e calamidade está prevista em lei.

Dados levantados pelo Blog do Zé Dudu junto ao Ministério da Cidadania revelam que, no início deste ano, 19.800 habitantes de Canaã estavam inscritos no Cadastro Único do Governo Federal como pessoas pobres, que vivem em lares cuja renda mensal é inferior a meio salário mínimo. Nos últimos oito anos, segundo o cadastro, o número de pessoas nessa situação aumentou em 4.500 indivíduos. Por outro lado, a receita da prefeitura local avançou de R$ 140 milhões para R$ 650 milhões no mesmo período. É mais um exemplo clássico — e paradoxal — de cidade rica com população pobre.

Publicidade