Polícia de Manaus tem imagens do momento do assassinato do advogado Jakson Silva

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

imageO titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Ivo Martins, afirmou que a polícia deve usar imagens do circuito de vigilância de uma casa para tentar identificar os suspeitos de assassinar o advogado Jakson Silva. A polícia também já tem imagens do taxi que conduziu o advogado do aeroporto Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, situado na Zona Oeste de Manaus, até a próximo a casa de uma amiga, onde ele teria desembarcado para comprar comida e tenta descobrir se o advogado foi seguido desde então.

Segundo o delegado, Jakson Silva teria ido a Manaus para o aniversário de uma amiga. O advogado voltaria ao Estado do Pará na quarta-feira (28).

Ele desembarcou em Manaus por volta de 22h30. Pegou um táxi e foi para a casa da amiga. Ele parou em um local antes para comprar comida. Antes de entrar na residência, ele foi atingido. A gente tem uma imagem de uma casa do lado, em que duas pessoas chegam ao local de moto por volta do horário descrito na denúncia (23h30). Em contrapartida, a gente tem um depoimento que coloca a motocicleta em outro local. Estamos confrontando as informações para ver qual das duas motos pode ser realmente aquela que participou do crime“, informou Ivo Martins.

O delegado informou ainda que a amiga do advogado e outas pessoas serão ouvidas ao longo desta semana.

O corpo do advogado Jakson Silva saiu de Manaus às 8h39 com destino a Parauapebas, onde será velado na sede da OAB local, localizada na Rua D, 137. O enterro está previsto para às 10 horas da terça-feira (27).  O avião fará ainda uma parada em Itaituba, no Pará, para abastecer e depois segue para Parauapebas.

A OAB-PA programou para hoje, 26, às 16h, uma grande manifestação em todas as subseções da Ordem no estado. Elas deverão promover caminhadas nos seus municípios em repúdio à onda de violência no estado e que já vitimou de morte oito advogados nos últimos quatro anos.

Com informações do G1-AM

Publicidade