Pesca ilegal: mais 450 metros de malhadeira são apreendidos no Lago de Tucuruí

Operação foi liderada por fiscais da Secretaria de Meio Ambiente de Jacundá como apoio do Ideflor-bio e PM e vai prosseguir até o final deste mês.
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

Fiscais da Secretaria de Meio Ambiente e Turismo (Sematur) de Jacundá apreenderam nesta terça-feira, 13, malhadeiras de pesca no Lago Tucuruí, dentro da região do município. Foram 450 metros lineares de redes em nylon utilizadas por pescadores no período de defeso, quando a pesca na região está proibida.

Iniciada em 1º de novembro, quando começou o período do defeso, a operação deflagrada pela Sematur contra a pesca ilegal conta com apoio da Polícia Militar e do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-bio). Na operação de ontem, além da quantidade de malhadeira, foram apreendidos 40 quilos de pescado. “Neste caso, 20 quilos de peixe estavam presos nas redes e, como estavam vivos, eles foram devolvidos ao lago”, informou o titular da Sematur, Jhony Araújo Oliveira. O restante do pescado foi distribuído para moradores das vilas Santa Rosa e Porto Novo.

Conforme balanço apresentado ontem pelo Ideflor-bio, a operação já apreendeu mais de cinco toneladas de pescado em ações ambientais na região do mosaico Lago de Tucuruí, que além de Jacundá e Tucuruí compreende ainda os municípios de Breu Branco, Goianésia do Pará, Nova Ipixuna e Itupiranga. Afora o pescado, foram apreendidos 6.250 metros de malhadeiras irregulares, 8 armas de fogo, 27 arpões, pássaros e caças como tatu e capivara.

As ações fazem parte do planejamento para o período de defeso da pesca comercial na região, que vai até 28 deste mês. “A continuidade das ações em pleno período de transição do governo do Estado veio reafirmar o compromisso que o Ideflor-bio tem com a região, pois em apenas alguns dias à frente do órgão a presidente Karla Bengtson não mediu esforços para que as ações fossem continuadas”, garantiu a gerente da região administrativa do Lago de Tucuruí, Mariana Bogéa.

A fiscalização conta com apoio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Eletronorte, Polícia Militar CPR IV e das secretarias municipais de Meio Ambiente de Tucuruí, Breu Branco, Novo Repartimento, Jacundá, Goianésia do Pará, Nova Ipixuna e Itupiranga.

Defeso – A região do Lago de Tucuruí encontra-se no período do defeso, em que a pesca comercial é proibida por lei durante os meses de novembro a fevereiro. O defeso é necessário para a preservação dos peixes durante o seu período de reprodução, a fim de garantir a manutenção do estoque pesqueiro do lago.

Publicidade

Relacionados