Agricultores familiares do Mosaico Lago de Tucuruí recebem mudas de plantas frutíferas

No total, foram entregues 1.750 mudas de cacau e açaí para comunidades de Tucuruí e Jacundá. A iniciativa é do Ideflor-Bio e rede de parceiros
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Mudas de plantas frutíferas foram doadas aos agricultores do Mosaico Lago de Tucuruí

Continua depois da publicidade

Agricultores familiares da Região do Mosaico Lago de Tucuruí, no sudeste do Pará, receberam mudas de plantas frutíferas, para diversificar a sua produção e ajudar no reflorestamento das áreas onde vivem.  A inciativa é do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-Bio), com o apoio de uma rede de parceiros.

Foram doadas 750 mudas de cacau (Theobroma cacao) e mil mudas de açaí (Euterpe Oleracea Mart) para beneficiar 28 agricultores familiares, sendo 20 em Tucuruí, na Comunidade João Canuto, e oito em Jacundá, nas comunidades da Vicinal 11 e Ilha do Bacurau. Segundo o sociólogo Patrick Passos, do Ideflor-Bio, a ação ocorreu devido à integração entre as instituições parceiras e a gestão do Mosaico Lago de Tucuruí.

De acordo Jossandra Pinheiro, gerente em exercício da Região Administrativa Tucuruí, apoiar a produção de mudas e sementes nas comunidades pertencentes ao Mosaico é acreditar que ações que visam ao reflorestamento geram benefícios coletivos e ajudam o desenvolvimento local. O projeto tem como parceiros as Centrais Elétricas do Norte do Brasil S/A (Eletronorte), Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Associação de Moradores da Vila Quatro Bocas do município de Jacundá (Amvila), Associação de Trabalhadores Rurais João Canuto (do município de Tucuruí) e Prefeitura de Jacundá.

O presidente da Amvila, José Rubens Lima, agradeceu pela iniciativa. “As mudas chegam em boa hora e vão para as mãos de agricultores comprometidos com a produção sustentável”, ressaltou.

O presidente da Comunidade João Canuto, Raimundo Waldemir, destacou o trabalho realizado em parceria com as instituições. “Recebemos a instalação do viveiro de mudas, o curso de capacitação para a produção de mudas de plantas regionais e, nessa semana, recebemos as mudas com quatro meses de desenvolvimento, fato que nos enche de esperança, pois produzir é acreditar na vida”, enfatizou.

As doações foram realizadas nos dias 25 e 26 deste mês. Segundo o Ideflor-Bio, o investimento em plantas frutíferas da flora amazônica objetiva não só gerar renda aos agricultores familiares, que diversificam suas produções agrícolas, mas também contribuir para o reflorestamento das áreas degradadas.

Tina DeBord – com informações do Ideflor-Bio