Parauapebas e Canaã se seguram entre os 5 na balança comercial de julho

Maiores produtores de minério de ferro do país garantiram ao Pará a confortável posição de 3º lugar geral no ranking de exportações no mês passado; estado ficou atrás apenas de SP e MG.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

As duas maiores potências da indústria extrativa mineral brasileira estão firmes e fortes na exportação de commodities, depois de um período tenso ocasionado pela pandemia do novo coronavírus no primeiro semestre. Em julho, Parauapebas exportou 721,51 milhões de dólares em produtos da terra, enquanto Canaã dos Carajás transacionou 686,09 milhões de dólares. As informações, em nível de município, foram liberadas pelo Ministério da Economia na manhã desta sexta-feira (7).

O Blog do Zé Dudu analisou os dados e constatou que Parauapebas foi o 3º principal exportador do país no mês passado, ao passo que Canaã foi o 5º. Parauapebas, por exemplo, exportou mais que a maior cidade das Américas, São Paulo, de onde partiram 689,51 milhões de dólares. Já Canaã dos Carajás movimentou, em recursos minerais, mais dólares que todas as cargas do porto de Santos, o maior da América Latina, que somou 237,27 milhões.

No acumulado do ano, de janeiro a julho, Parauapebas é o 3º maior exportador nacional, com 3,41 bilhões de dólares transacionados. Canaã é o 4º, ligeiramente atrás, com 3,137 bilhões de dólares. Em sete meses, Parauapebas computa 51,7 milhões de toneladas de minério de ferro enviadas ao exterior e Canaã dos Carajás, 43,7 milhões de toneladas. No mesmo período do ano passado, esses municípios registraram 55,3 milhões de toneladas e 39,1 milhões de toneladas, respectivamente — Parauapebas diminuiu a produção e Canaã aumentou.

Outros paraenses que também exportaram bem em julho foram Barcarena, com 162,5 milhões de dólares, e Marabá, com 142,6 milhões de dólares. O carro chefe das transações originárias de Barcarena é o alumínio, enquanto Marabá tem uma gama de produtos que vão de cobre, do qual é o maior produtor nacional, a carnes.

Pará é 3º em julho

A movimentação de commodities no Pará também foi excelente em julho. Tanto que o estado fechou o mês com R$ 1,995 bilhão de dólares em produtos embarcados, o 3º melhor desempenho entre as Unidades da Federação. Só São Paulo (3,205 bilhões) e Minas Gerais (2,129 bilhões) conseguiram exportar mais. No acumulado do ano, o Pará computa 10,33 bilhões de dólares em exportações e está em 5º lugar no ranking nacional.