Paratletas do All Star Rodas recebem doações de cestas básicas de um grupo de basquete

O Tributo Basquetebol doou 30 cestas aos paratletas em ação no Mangueirão
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Em tempos difíceis com a pandemia do novo coronavírus se agravando em todo o estado do Pará, a solidariedade das pessoas vem aumentando afim de ajudar o próximo. O grupo Tributo Basquetebol, formado por ex-atletas dos três grandes clubes da capital Belém, Clube do Remo, Paysandu Sport Club e Tuna Luso Brasileira, realizaram doações de 30 cestas básicas ao paratletas do time All Star Rodas, equipe paraense que disputa competições de basquete em cadeira de rodas. A entrega foi feita no Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém.

“Estes ex-atletas de basquete se sensibilizaram com a situação da nossa equipe, o All Star Rodas, e nos doaram estas cestas de alimentos. Recebemos aqui no Mangueirão por ser o ponto certo, ser uma casa que sempre nos acolheu, acolheu o esporte paralímpico e é do povo paraense”, afirmou Wilson Caju, técnico do All Star Rodas.

A equipe do All Star Rodas possui times de basquete e atletismo, tanto no masculino como no feminino. Em novembro do ano passado, as meninas fizeram bonito, representando o All Star Rodas/Remo, parceria com o Leão Azul, conquistaram o 18° título da equipe no Campeonato Brasileiro Feminino de Basquete em Cadeira de Rodas, realizado em São Paulo, no Centro de Treinamento do Comitê Paralímpico, e organizado pela Confederação Brasileira de Basquetebol em Cadeira de Rodas.

Para a temporada de 2020, a equipe paraense teria duas competições importantes pela frente, como os Campeonatos Brasileiros de Atletismo e de Basquete em Cadeira de Rodas, ambos em São Paulo. Como o calendário esportivo vive a incerteza devido a Covid-19, tudo segue com interrogações para as competições, mas a previsão é que se consiga fazer no segundo semestre.

“O momento é muito difícil, pois não temos um patrocínio que ajude em um cenário de crise como este que vivemos. E além de a maioria dos atletas serem trabalhadores informais, estamos com dois atletas que estão diagnosticados com a Covid-19. Então, que outras pessoas possam olhar pelos atletas neste momento, todo mundo precisa”, disse Wilson Caju.

Por Fábio Relvas com informações da Agência Pará

Publicidade