Pará

Oito mortes são registradas em Belém após morte de policial militar (atualizado)

Uma noite de terror foi o que aconteceu em Belém durante a madrugada desta quarta-feira (05) depois que um policial militar (cabo Figueiredo, da Rotam), supostamente fora do seu horário …

Uma noite de terror foi o que aconteceu em Belém durante a madrugada desta quarta-feira (05) depois que um policial militar (cabo Figueiredo, da Rotam), supostamente fora do seu horário de trabalho, foi morto no bairro do Guamá. Imediatamente houve uma convocação via redes sociais para procurar os executores do cabo e o resultado, segundo a PM, foram oito mortos nos bairros da Terra Firme, Marco, Jurunas, Guamá e Sideral. A divulgação de áudios convocando os policiais militares para entrarem na caçada e logo em seguida fotos dos supostos mortos  foram disseminadas nas redes sociais.

Os comentários dos internautas sobre o que estaria ocorrendo no Estado fez com que o assunto fosse um dos mais comentados do Twiiter durante a madrugada, entrando nos Trending Topics do Brasil. Imagens de corpos também foram postadas por internautas nas redes sociais.

Nota Oficial – Polícia Militar e Polícia Civil

De acordo com informações oficiais do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves foram registradas na noite desta terça-feira (04) oito mortes em Belém, sendo quatro no bairro Terra Firme, uma no Marco, uma no Guamá, uma no Jurunas e uma no Sideral.

No início da noite, o cabo da PM Antônio Figueiredo foi morto em circunstâncias ainda em investigação e não estava em serviço. Os comandos de policiamento da capital foram acionados para identificação e captura dos criminosos.

As vítimas aguardam identificação e as mortes ocorridas nesta noite estão sendo investigadas pela Divisão de Homicídios da Polícia Civil para verificar a existência de relação entre os diferentes casos.

O Comando Geral da Polícia Militar também acionou a Corregedoria da Corporação para apurar quaisquer denúncias relativas aos casos. Também determinou reforço das equipes através do Comando de Missões Especiais e do serviço de inteligência da Corporação.

O Comandante Geral da Polícia Militar, Coronel Daniel Mendes, também acionou o gabinete interinstitucional para monitoramento e controle da situação. Diante das informações desencontradas e sem qualquer fundamento espalhadas por redes sociais, o Sistema de Segurança Pública informa ainda que também irá apurar, através da Corregedoria e da Inteligência, não só os casos específicos dos homicídios, mas também os responsáveis pela disseminação e compartilhamentos de informações inverídicas que acabaram por gerar um ambiente de preocupação na população sem qualquer correspondência com a realidade. 

A polícia convocou uma coletiva de imprensa para a manhã desta quarta-feira para esclarecer as circunstâncias dos crimes.

Atualização às 10h30

Um PM que solicitou o anonimato postou há pouco a seguinte mensagem em grupo do WhatsApp:

Senhores e senhoras, bom dia! queria deixar aqui um esclarecimento sobre os fatos ocorridos para que não se tomem como verdade essas muitas notícias desencontradas pelas redes sociais e que não tomem um juízo de valor e saiam criticando ou crucificando pessoas ou instituições.

  1. O Policial que morreu não estava em serviço e nem fardado. Ele estava afastado de suas funções há alguns anos devido a um problema de saúde  (levou um tiro no joelho há alguns anos atrás e estava na junta de saúde);
  2. Ele já foi da COE e da Rotam, mas devido ao problema de saúde, estava agregado na junta regular de saúde, porém era muito bem quisto devido sua coragem e companheirismo com os demais policiais, segundo informações já prendeu e matou muitos vagabundos (ladrões e traficantes) em operações policiais;
  3. Ele trabalhava para si, com sistemas de vigilância patrimonial  (instalação de alarmes e câmeras de segurança);
  4. Era muito conhecido, temido e prometido pela vagabundagem  não só do Guamá e TF, mas de toda a Região Metropolitana de Belém;
  5. Tudo indica que o PM foi executado por pessoas ligadas ao tráfico de drogas.
  6. Além da morte do PM, foram confirmados mais 9 Homicídios em bairros diversos  num total de 10 homicídios só  em Belém, tendo ou não,  envolvimento com o caso (1 Guamá, 4 Terra Firme, 2 Jurunas, 01 marco, 01 Tapanã e 01 no Sideral);
  7. Nenhum policial militar fardado e em serviço trocou tiro, acertou ou matou algum envolvido;
  8. Existem indícios de execuções em todos os crimes, porém, de autoria desconhecida, pessoas em motos passavam e atiravam em locais conhecidos por se tratar de áreas críticas e pontos de drogas;
  9. Se houve policiais envolvidos nos crimes, eles estavam a paisana e fora de serviço e muito provavelmente que não trabalham na área do BPM;
  10. Todos os oficiais do 20º BPM foram convocados para fiscalizar o serviço nos bairros da jurisdição  (Guamá, Terra Firme, Cremação, Condor, Jurunas e Batista Campos ) junto com uma equipe  da Corregedoria da PM, não constatando nenhum abuso por parte dos policiais de serviço”.

6 comentários em “Oito mortes são registradas em Belém após morte de policial militar (atualizado)

  1. Anônimo Responder

    ISSO NA FOI NADA, O PIOR É AGORA, ONDE OS VERDADEIROS CHEFÕES VÃO ASSASSINAR A SOCIEDADE COM MERAS DESCULPAS ESFARRAPADAS. O QUE VEM A TONA É A PONTINHA DO ICEBERG…

  2. Mandando Bala Responder

    O sistema financeiro foi engendrado de maneira que quem está na base passará uma vida inteira para subir um degrau, até mesmo para o mais avarento, agora imagine chegar ao topo? Isso significa dizer que o seu vizinho ou aquele que você viu pobre enquanto criança e agora estão por cima da grana é certo que tiveram que burlar, roubar, sonegar, cometer peculato e especular este mesmo sistema financeiro. Este sistema do qual recebemos severas ordens nos consome por dentro (juros) e nos oferece o paraíso para comprar. O crime é produto direto da má distribuição da renda e também da psicopatia sem punição, do seus crimes menores a o ediondo, vejam só, não tem presídios para se fazer cumprir a pena do apenado, assim quem tem dinheiro é Deus e quem não tem é o Diabo, porque as igrejas são os bancos e o paraíso é o lucro exagerado. Muitos ainda irão morrer impunes e uns tantos inocentes, maginais por morarem a margem da riqueza e endurecidos na dureza do caminho do rato. Prenda-se mais para verem morrer muito mais, então façamos mais presídios porque quando morre um nosso ficamos mais indignados com tudo e, sem saber, com o sistema financeiro.

  3. espirro de tripa Responder

    no brasil morrem por ano assassinados mais que no iraque,não vejo nada demais o que ocorreu em Belém,se forem pilas,tem mais é que “botar pra subir”mesmo.

  4. WSS Responder

    Só omitiram que ele (o policial) respondia a processo por homicídio, e pelas características das mortes são semelhantes a caso de execuções por retaliação ou vingança.

  5. Sena Responder

    Lamentável!
    Mas, uma coisa é certa. Do jeito que a violência se instalou na sociedade não pode continuar. A bandidagem tem que ser combatida.
    Os Órgãos de Segurança Pública certamente já está cuidando para que estes fatos não denigram ainda mais nossa combalida segurança.

Deixe seu comentário