Número de assassinatos cai 28% no Pará em 2019

Belém e Ananindeua, na região metropolitana, e Marabá e Redenção, no interior, são grandes responsáveis por puxar a redução na letalidade; Altamira, entretanto, aumentou quase 100%.
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on print

Continua depois da publicidade

A violência recuou no mais populoso estado da Região Norte no comparativo entre 2018 e 2019. Números coletados pelo Ministério da Justiça para o período entre janeiro e setembro do ano passado revelam que o volume de assassinatos despencou de 2.927 registros para 2.105, uma queda de 28,08%. Os dados foram levantados pelo Blog do Zé Dudu neste sábado (8) e mostram, ainda, que as cidades mais violentas do Pará diminuíram substancialmente suas estatísticas de homicídios.

A Grande Belém é a região do país onde os assassinatos mais diminuíram proporcionalmente. O bom desempenho é puxado principalmente pelo município da capital, Belém, que passou de 653 mortes violentas em 2018 para 345 em 2019; Ananindeua, que reduziu de 287 para 120; Marituba, que viu os números despencarem de 86 para 36; e Santa Izabel do Pará, que passou de 56 homicídios para 22.

Belém, com queda de 47,2% nas estatísticas, deixou de ser o 5º município mais violento do Brasil em 2018, considerando-se o número absoluto de mortes, para ser o 7º. As cidades de São Paulo e Recife tomaram a frente da capital paraense. Já Ananindeua, que era o 14º mais letal, tornou-se o 30º, acumulando uma diminuição de 58,2% nos números. É a primeira vez, em duas décadas, que o segundo mais populoso município do Pará aparece em levantamento de violência fora do circuito das 20 localidades com mais homicídios absolutos do país.

Marabá e Redenção são destaque no interior

O município do interior mais famoso do Pará lá fora quando se trata violência sempre foi Marabá. Mas, no ano passado, o principal município do sudeste do estado tem passado discretamente pelos holofotes da mortandade porque, segundo o Ministério da Justiça, reduziu seus indicadores de mortalidade em 26,5%. O número de assassinatos em Marabá caiu de 136 para 100, de 2018 para 2019. Com esse resultado, Marabá saiu da 35ª colocação nacional para a 39ª, entre os lugares mais mortais.

Reduções significativas também foram registradas em outros municípios sempre pejorados como extremamente violentos, a exemplo de Parauapebas (24,7%, de 81 mortes para 61), Paragominas (36%, de 50 mortes para 32) e Redenção (55,2%, de 67 mortes para 30).

Em Altamira, violência dispara quase 100%

Mas nem tudo foram flores no Pará. E o município de Altamira está aí para mostrar que a semente da violência conseguiu germinar e dar “frutos” em meio à supressão estatística. Estimulado pelas mortes durante rebelião no presídio local, Altamira viu o número de homicídios disparar 98,4%, passando de 63 registros para absurdos 125. Até setembro, o principal município da região do Rio Xingu era o 26º mais violento do Brasil, superando várias capitais em número de vítimas de assassinatos.

Mas nada foi tão absurdo quanto em Rurópolis, que saltou de apenas um homicídio em 2018 para oito em 2019, inglório aumento de 700%. Cametá (salto de 125%, passando de oito para 18), Viseu (116,7%, de seis para 13), Ipixuna do Pará (112,5%, de oito para 17) e Monte Alegre (100%, de dois para quatro) foram os municípios do estado onde, em meio aos números do Ministério da Justiça, o Blog identificou as maiores taxas de crescimento de crimes.

Entre 57 municípios com mais de 40 mil habitantes com indicadores computados, o Blog contabilizou 22 com aumento no número de assassinatos de 2018 para 2019 e 32 com redução nos índices. Três localidades repetiram os números no comparativo. Confira o panorama comparativo dos 22 municípios que apresentaram maior número de homicídios em 2019.

Publicidade