Jacundá chega aos 66 dias sem mortes por covid-19

O último óbito, o 24º, em decorrência de contaminação pelo novo coronavírus aconteceu no dia 19 de novembro do ano passado
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Ontem, segunda-feira, 25, o Sistema de Saúde Pública de Jacundá, na região sudeste paraense, completou 66 dias sem registro de morte causada pelo novo coronavírus. O último registro ocorreu em 19 de novembro do ano passado quando a 24ª vítima perdeu a vida para a covid-19.

Naquela o município registrava 902 casos confirmados de covid-19. Sessenta e seis dias depois os números permanecem estáveis. Até o momento a secretaria de Saúde Jacundá registrou 963 casos confirmados para o novo coronavírus e outros 1.009 descartados. Atualmente 32,2% dos leitos estão ocupados com pacientes e 45 pessoas seguem monitorados. 910 pacientes são considerados curados. O número de óbitos permanece em 24.

Nesse cenário estável, um novo decreto foi assinado pelo prefeito Itonir Tavares, no último dia 23. Segundo o documento, “fica proibida a abertura de bares no âmbito do município de Jacundá, nos termos que determina o Artigo 27-A do Decreto Estadual 800/2020”.

Por outro lado, os restaurantes, lanchonetes e estabelecimentos afins ficam autorizados a funcionar até o limite de meia-noite, proibida a permanência de pessoas no seu interior para além da capacidade dos lugares sentados”.

Na semana passada o município recebeu as primeiras doses de vacinas contra a covid-19. Do total de 203 doses destinadas aos grupos prioritários de Jacundá, 43 foram exclusivamente para os indígenas Guarani Mbyá, que já foram vacinados. E 160 doses estão sendo aplicadas nos profissionais da saúde.

(Antonio Barroso)