Parauapebas

Infraero ressuscita processo que busca ocupar Aeroporto de Carajás com artesanato

Quem ganhar a concessão poderá explorar comercialmente uma área de 16 metros quadrados por onde transitam 110 mil passageiros por ano. Em 2018, licitação de quase R$ 190 mil fracassou.

Uma publicação no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira (13) traz um desejo antigo da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) de ocupar comercialmente parte da área do Aeroporto de Carajás, em Parauapebas, com artesanato e bugigangas. Após uma licitação fracassada no ano passado, o Blog do Zé Dudu levantou que a empresa pública ressuscitou o processo licitatório (de código atual 033/LALI-7/SBCJ/2018) para a concessão de uso do espaço. A abertura da concorrência será às 9 horas do dia 27 deste mês.

Se seguir as mesmas especificações da licitação aberta no ano passado, a área de 16,64 metros quadrados do aeroporto poderá ser utilizada para exploração comercial de artesanato, incluindo-se jornais e revistas, sendo também permitida a venda de produtos de higiene pessoal, acessórios de informática e recarga telefônica.

O valor global, um ano atrás, era de R$ 187.992,00 para o período de 48 meses. No entanto, a licitação foi declarada fracassada no dia 20 de abril de 2018 por não haver interessados. O processo do ano passado — que só muda o número (26) em relação ao de agora (33) — chegou a ser até prorrogado, mas não vingou.

Se a licitação conseguir ir adiante desta vez, quem ganhar a concessão terá um público formado por aproximadamente 110 mil passageiros por ano para atender. De acordo com a Infraero, durante 2018, cerca de 54,2 mil passageiros embarcam e 55,5 mil chegaram pelo Aeroporto de Carajás. O terminal de Parauapebas foi o 4º mais movimentado do Pará durante o ano passado, sendo superado pelo de Belém (3,44 milhões de passageiros), Santarém (449 mil) e Marabá (266 mil).

Deixe seu comentário