Fonoaudiólogos e pediatras debatem crescimento e desenvolvimento infantil

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Proporcionar à criança a oportunidade de um desenvolvimento infantil saudável desde a gestação, o nascimento e a sua entrada na fase da adolescência são passos determinantes que podem oferecer a construção de pilares estruturantes da formação de um cidadão participativo, produtivo e integrado socialmente.

Com estes desafios, a Sociedade Paraense de Pediatria (SPP), juntamente com a Associação dos Fonoaudiólogos do Estado do Pará (Afepa), realizam de 5 a 7 de novembro de 2009,   na sede do Computer Hall, o Fonoped, evento  que compreenderá o I Congresso Paraense Multidisciplinar de Crescimento e Desenvolvimento Infantil,  I Congresso Internacional de Audição e Linguagem, o IV Fórum Amazônico Multidisciplinar sobre Audição e Deficiência Auditiva e o I Fórum sobre Desenvolvimento Infantil para Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Cuidadores de Creches.

A presidente da Sociedade Paraense de Pediatria (SPP), Amira Figueiras, afirma que o objetivo do Fonoped é integrar profissionais e especialistas de vários países para aprofundar a construção e o intercâmbio de conhecimentos visando aprimorar as políticas públicas para fortalecer o crescimento e o desenvolvimento infantil brasileiro e amazônico. “Fortalecer e intensificar o olhar profissional para a atenção primária à saúde é reduzir os índices de mortalidade infantil, além de atualizar os conhecimentos na detecção precoce e terapia dos distúrbios da fala, linguagem e audição com o uso de métodos e tecnologias práticas, cientificamente bem fundamentadas e socialmente justas. Neste sentido, os ganhos são universais para os indivíduos, as famílias, o poder público e a sociedade”, enfatiza Amira.

A programação científica do Fonoped é composta 23 conferências nacionais e internacionais, 18 mesas-redondas e sete cursos com especialistas do México e Argentina. Os conteúdos do Fonoped são direcionados para pediatras, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, psicólogos, pedagogos, nutricionistas, assistentes sociais, pais de crianças com deficiência e outros profissionais e universitários que atuam com crianças e adolescentes.

Para que o desenvolvimento neuropsicomotor e social da criança ocorra de forma integrada, Socorro Machado, da Associação dos Fonoaudiólogos do Estado do Pará (Afepa), afirma que são necessários esforços na formulação de políticas adequadas de saúde, educação, assistência, garantia de direitos e distribuição de renda, até a atuação da família com seu papel de proteção, cuidados e satisfação de suas necessidades imediatas. “As deliberações do Fonoped serão fundamentais para construir estes indicadores que servirão de base para novas práticas profissionais e sociais, além de reverterem os dados apresentados pelas estatísticas. No Brasil, aproximadamente 15 milhões de indivíduos possuem algum tipo de dificuldade auditiva, sendo 350 mil pessoas totalmente surdas”, alerta.

Dados Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que cerca de 42 milhões de pessoas com idade acima de três anos são portadoras de algum tipo de deficiência auditiva, de grau moderado a profundo. Em 2000, os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostravam que 3,4% da população brasileira e 3% da população paraense apresentavam alguma deficiência auditiva, diz Socorro. Ela defende que os profissionais médicos podem interferir neste cenário com um olhar holístico desde o início da gravidez. “Eles podem desde a vida intrauterina intervir preventivamente e alertar, por exemplo, sobre as doenças que  podem  interferir no desenvolvimento  auditivo do bebê ou detectar  riscos para  a  audição”, explica.

O evento tem o apoio do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), da Organização Pan-Americana de Saúde e da Nestlé Nutrição, além de instâncias governamentais da União, Estado e Município e entidades não governamentais. As inscrições podem ser feitas diretamente no site da Fonoped – www.fonoped.com.br e maiores informações na Sociedade Paraense de Pediatria, www.sopape.com.br.

Texto: Kid Reis

Publicidade