Ex-diretor da Câmara Municipal de Parauapebas rebate críticas de leitor

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Sinvaldo BragaSinvaldo Braga (foto), ex-diretor na Câmara Municipal de Parauapebas quando o vereador Euzébio Rodrigues presidiu aquela casa, em 2009, responde aos questionamentos feitos por um leitor na postagem “Adiada a eleição para a mesa da CMP

Primeiramente gostaria de louvar a hombridade que teve em assinar o comentário sobre minha atuação na direção da CMP – Câmara Municipal de Parauapebas –, dessa forma posso responder sabendo a quem devo me reportar, mesmo reconhecendo a possibilidade que há em, o senhor Francisco das Chagas, ser apenas mais um pseudônimo de alguém que deseja falar qualquer coisa de qualquer um, mas tudo bem, pois vivemos em um país democrático e devemos respeitar e tolerar a liberdade de expressão e pensamentos de todos os cidadãos. É um direito constitucional que nos assiste.

Se não foi por isso que vários morreram nos porões da ditadura, para que foi então?

Pois bem, primeiro gostaria de lhe tranquilizar, não voltarei para a direção da CMP. Atualmente tenho projetos pessoais aos quais considero muito mais importante do que qualquer coisa. Sou proprietário de uma empresa que tem crescido a passos largos e que tem consumido todas as minhas energias e, antes que pense que minha empresa é mais uma daquelas fundadas para fins obscuros, que se vão com os governos, devo esclarecer-lhe que temos hoje, como clientes, as prefeituras de Eldorado dos Carajás, Sapucaia, Água Azul do Norte, Rio Maria, Canaã dos Carajás, Bannach; estamos, também, com negociações em andamento para prestarmos serviços no primeiro semestre de 2011 às prefeituras de Jacundá, Tucuruí, Tomé Açu, Soure, Castanhal e várias outras, além é claro, de escolas particulares em todos esses municípios que usam nossos serviços. Ah! Já ia me esquecendo, quero também convidar-lhe para a inauguração, no mês de março de 2011, de nosso escritório em Belo Horizonte, pois temos propostas de vários municípios do estado de Minas Gerais. Em breve seremos uma das maiores empresas no ramo TI de todo o Brasil. Não esqueça, você é nosso convidado, é em março viu!

Voltando a falar da CMP, tenho certeza que seu comentário é fruto da total falta de conhecimento da estrutura interna daquela casa. Veja bem Francisco e Anônimo do comentário #3, o Diretor Administrativo não passa de um mero assessor para “assuntos aleatórios”, vou explicar o porquê: o Diretor Administrativo não tem verba de gabinete, quem tem é o vereador, nem pode nomear assessor algum, quem nomeia é o vereador; o Diretor Administrativo não assina contrato, quem assina é o vereador; o Diretor também não paga ninguém, pois quem assina o cheque são os vereadores (Presidente e 1º secretário); o duodécimo é administrado diretamente pelo presidente da casa, sem intermediário, sem repasse de verbas, sem nada!

Agora me digam, diante do exposto, que Diretor Administrativo teria poderes para deixar “marcas indeléveis” na CMP?

Por favor, não queimem seus preciosos neurônios, eu mesmo respondo. Nunca houve, não há e nem haverá um Diretor com esses poderes, isso são apenas devaneios de pessoas que, simplesmente, não fazem a menor idéia do que estão dizendo.

E para finalizar, gostaria de fazer uma defesa aos mandatos dos nobres vereadores Euzébio Rodrigues e Adelson Fernandes dizendo que essas tais “MARCAS INDELÉVEIS”, simplesmente, não existem no mandato do Euzébio e nem devem existir no mandato do Adelson, pois são, de longe, os presidentes daquela casa que mais se preocuparam no trato com a coisa pública. Esse segundo mandato do vereador Euzébio vem para coroar um trabalho que deixou marcas sim, mas marcas de competência, seriedade e dedicação.

Um grande abraço a todos e obrigado a você, Zé Dudu, por este espaço de debate que só contribui na conscientização política de nossa população.

Estamos precisando!

Siga o Blog do Zé Dudu no Twitter

[ad code=5 align=center]

Publicidade