Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Esporte

Estádio Olímpico Mangueirão é interditado para receber jogos no mês de janeiro

Apesar da interdição, a FPF mantém início do Parazão para o próximo final de semana

Em uma reunião realizada na tarde desta segunda-feira (14), no auditório da Federação Paraense de Futebol (FPF), que fica localizado na capital Belém, envolvendo a cúpula da FPF, a Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), Polícia Militar (PM), Corpo de Bombeiros Militar (CBM) e os representantes dos clubes que disputarão o Parazão, foi decido que o Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, será interditado, e a princípio, não receberá jogos durante o mês de janeiro. A informação foi repassada por Arlindo Silva, que é o titular da Seel.

O encontrou foi para debater a segurança nos estádios que vão receber os jogos do Campeonato Paraense de 2019. O auditório da FPF estava lotado e foi colocada toda a real situação do Mangueirão aos presentes. O diretor de competições da FPF, Paulo Romano, comunicou a decisão do Corpo de Bombeiros Militar, de que o estádio está temporariamente sem condições de receber qualquer atividade e será interditado. O Mangueirão vem recebendo atenção redobrada depois do episódio que aconteceu na semana passada, quando uma parte do teto do estádio desabou e o reboco caiu sobre assentos na arquibancada.

Apesar do Mangueirão ser interditado pelos órgãos de segurança, a FPF confirmou a 1ª rodada do Parazão para o próximo final de semana, dando algumas alternativas para a competição não ser adiada. A única partida que foi adiada até então, foi o jogo de estreia entre Remo e Tapajós, que estava marcado para domingo (20). A FPF vai marcar outra reunião para saber quando o Leão Azul poderá estrear de fato na competição estadual. Como ficou sem estádio para jogar, já que o Evandro Almeida, o Baenão, também está interditado, o Remo foi o clube que saiu mais prejudicado com a interdição do Mangueirão.

A FPF discutiu sobre algumas possibilidades de alterações na tabela com datas e adversários alterados. Uma das situações colocadas é de que o Remo faria os dois primeiros jogos fora de casa, com sua estreia contra o São Raimundo dia 26 de janeiro, no Estádio Jader Barbalho, o Barbalhão, em Santarém, e depois enfrentaria o Independente, no dia 31 de janeiro, no Estádio Navegantão, em Tucuruí. O Leão Azul faria o confronto contra o Tapajós, no dia 09 de fevereiro, possivelmente no Estádio Mangueirão, em Belém.

Os dois maiores clubes de futebol do Pará, Clube do Remo e Paysandu Sport Club, não concordaram com as sugestões da federação de alterar datas e jogos, principalmente a cúpula do Leão Azul, já que as possíveis soluções não agradaram o presidente azulino Fábio Bentes, que aguarda a liberação do Mangueirão ainda para o mês de janeiro. O Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, já vem recebendo reparos em sua estrutura danificada.

Por Fábio Relvas
Esporte

Independente Tucuruí vence e Águia de Marabá perde em amistosos visando ao Parazão

O Galo Elétrico derrotou o Novo Horizonte e o Azulão perdeu para o Imperatriz

As equipes seguem realizando amistosos visando à estreia no Campeonato Paraense de 2019. A dupla do sudeste, Independente Tucuruí e Águia de Marabá, entraram em campo nesse último final de semana para medir forças com outras equipes e fazer testes com seus elencos para o Parazão. O Galo Elétrico venceu o time do Novo Horizonte da cidade de Breu Branco, por 1 a 0, na última sexta-feira (11), no Estádio Navegantão, em Tucuruí. Já o Águia encarou o Imperatriz-MA e perdeu, por 3 a 2, no último sábado (12), no Estádio Municipal Frei Epifânio, em Imperatriz.

Na partida entre Independente e Novo Horizonte da cidade de Breu Branco, que fica aproximadamente 28 km de Tucuruí, o Galo Elétrico contou com a força de sua torcida no Estádio Navegantão. Mais de mil torcedores empurram a equipe rumo à vitória. A partida não foi nada fácil e o gol único saiu contra do zagueiro Nhem, em favor do Independente, no segundo tempo de jogo. Apesar do placar magro e com a ajuda do adversário, o técnico Charles Guerreiro enalteceu o desempenho do time.

A equipe do Independente entrou em campo com o futebol de: Redson; Diego, Dedé, Charles e Mocajuba; Jarí, Chicão, Wellington Cabeça e Fabinho; Ray Gol e Deivid Caça-Rato. O técnico Charles Guerreiro também utilizou outros atletas no decorrer da partida como: Capitão, Igor, Rafael, Zé Henrique, Fazendinha, Tiago Mandi, Cabecinha, Renatinho, Xinho e Lucas Sheldon. O Independente estreia contra o Castanhal no próximo sábado (19), às 19h, no Estádio Maximino Porpino, em Castanhal.

Já o Águia de Marabá conheceu a sua segunda derrota em dois jogos amistosos. A equipe do técnico João Galvão encarou um time mais qualificado, o Imperatriz que vai disputar o Campeonato Brasileiro da Série C. A torcida do Cavalo de Aço compareceu no Estádio Municipal Frei Epifânio, com mais de dois mil torcedores para acompanhar o duelo entre maranhenses e paraenses.

O Imperatriz abriu o placar com o atacante Júnior Chicão, cobrando pênalti, aos 10 minutos do 1° tempo. O Águia de Marabá empatou o jogo com Ramonzinho, que pegou uma sobra de bola e chutou, contando com a colaboração do goleiro Jean, aos 17 minutos. Não deu nem para comemorar e na sequência, aos 18 minutos, a bola foi cruzada da direita e mais uma vez Júnior Chicão assinalou, raspando de cabeça, 2 a 1 Cavalo de Aço.

O time marabaense não desistiu e chegou ao empate com Ramonzinho cobrando pênalti, ainda no primeiro tempo, 2 a 2. Quando tudo parecia empatado e já nos acréscimos do segundo tempo, Lucão ficou de frente e chutou, o goleiro defendeu e na sobra, o mesmo Lucão cabeceou e fechou o marcador, aos 47 minutos. Placar final: Imperatriz 3 x 2 Águia. O Águia de Marabá faz sua estreia no Parazão contra o São Raimundo, no próximo domingo (20), às 18h, no Estádio Jader Barbalho, o Barbalhão, em Santarém.

Por Fábio Relvas / Foto: Carloto Júnior
Esporte

Parte do teto do Estádio Mangueirão desaba e preocupa às vésperas do Parazão

O Remo é o mais interessado na situação, já que manda suas partidas no estádio

O Estádio Olímpico Edgar Proença, o popular Mangueirão, maior palco do futebol paraense, que fica localizado na capital Belém, passou por um incidente nesta segunda-feira (7). É que parte do teto do estádio desabou sobre as cadeiras e danificou vários assentos do setor. O Mangueirão passa por problemas estruturais faltando menos de duas semanas para a bola rolar no Parazão para a partida entre Remo e Tapajós, marcada para o dia 20 de janeiro no estádio.

Após o ocorrido, a Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (SEEL) e a Federação Paraense de Futebol (FPF), se reuniram nesta terça-feira (8) para tratar do assunto. Segundo Maurício Bororó, vice-presidente da FPF, o encontro já estava marcado entre secretaria e federação para tratar sobre o Campeonato Paraense, mas o incidente com o Mangueirão, acabou entrando na pauta da reunião.

A Federação Paraense de Futebol vai esperar o laudo do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar para se pronunciar sobre o assunto. Os órgãos de segurança devem fazer a vistoria do estádio na manhã desta quarta-feira (9). O Clube do Remo é o mais interessado na situação, já que o Leão Azul manda suas partidas no Mangueirão, inclusive, o presidente azulino, Fábio Bentes, afirmou que os azulinos não tem um plano B, caso o estádio seja interditado. A situação preocupa a direção remista, já que mais de três mil ingressos foram vendidos antecipadamente para a partida de estreia contra o Boto.

A parte que desabou do teto do estádio ocorreu no setor B, na qual fica concentrada a torcida do Paysandu Sport Club em clássicos contra o Clube do Remo. A FPF ainda não confirmou, mas o setor pode ser interditado para a partida de estreia do Leão. Atualmente, o Estádio Mangueirão tem capacidade para 45.007 pessoas, mas por medida de segurança, apenas 35 mil pessoas podem entrar nas dependências do estádio.

A reportagem do Blog do Zé Dudu procurou a Federação Paraense de Futebol para saber sobre uma possível interdição do estádio. Paulo Romano, vice-presidente e diretor de competições da FPF, em uma frase afirmou: “O Mangueirão não será interditado!”, disse.

Por Fábio Relvas / Foto: José Francisco