Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Redenção

Redenção terá faculdade privada de Medicina e Engenharia Civil

Desde 2004 a instituição tentava trazer esses dois importantes cursos para o sul do Pará. Agora, finalmente, após preencher todos os requisitos exigidos pelo Ministério da Educação, projeto foi concretizado
Continua depois da publicidade

Aconteceu na tarde de ontem, terça-feira (2), no auditório da Fesar (Faculdade de Ensino Superior da Amazônia Reunida), o lançamento dos cursos de Medicina e Engenharia Civil em Redenção. Na ocasião, Celso Silveira Mello Filho, presidente da mantenedora local da Fesar, recebeu prefeito, secretários municipais, diretores de hospitais, médicos, enfermeiros e jornalistas para transmitir a boa notícia. Falou das dificuldades encontradas para trazer o curso para o sul do Pará, mas disse estar feliz por instalar dois cursos de grande responsabilidade na região.

“Fomos aprovados pelo Ministério da Educação com nota 5. Quero dizer, que para trazer os cursos de Medicina e Engenharia Civil não tivemos influência política. Sabemos que não foi fácil, foi sofrido, muita luta, fé e dedicação e, contudo, conseguimos trazer esses cursos que vão fazer crescer a nossa região”, destacou.

O prefeito Carlo Iavé Furtado de Araújo ressaltou da importância dos cursos apresentados pela instituição. “Fico feliz, pela faculdade apresentar dois cursos de tamanha importância para nossa cidade. Quero dizer que os hospitais e postos de saúde estão à disposição, Redenção só tem a ganhar”, afirmou o gestor municipal.

De acordo com a coordenação da Fesar, as inscrições para vestibular serão abertas a partir deste mês, no site da instituição, serão 120 vagas. O Início das primeiras turmas está marcado para dezembro deste ano.

Maria Josilene Fontenelle Rocha, diretora acadêmica da Fesar, disse que ficou feliz e falou do árduo trabalho que vem pela frente. “Estamos todos felizes por está conquista. Estamos lutando desde 2004 e somente agora conseguimos trazer o curso de Medicina para Redenção. É claro que teremos um grande desafio aí pela frente, nós queremos formar bons profissionais”, disse ela.

Os laboratórios da Faculdade Fesar, de Medicina e Engenharia, são de última geração. No de Medicina alunos terá contato com bonecos robóticos que imitam a realidade. A faculdade está dotada de aparelhos que custarem mais de meio milhão de reais.

Ensino Superior

Tucuruí tem faculdades selecionadas e habilitadas para implantação do curso de Medicina

Edital prevê que Tucuruí terá inicialmente 50 vagas para o curso de graduação
Continua depois da publicidade

Duas instituições de curso superior foram selecionadas pela Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres) para a implantação futura do curso de Medicina. A notícia foi divulgada pela Seres nesta terça-feira (19) informando que estão habilitadas as faculdades Minas Gerais Educação S/A e a Faculdades Integradas Brasil Amazônia S/S Ltda., respectivamente em primeiro e segundo lugar.

Tucuruí estava apto a receber o curso desde 2015, no entanto, na primeira seleção, nenhuma das seis Instituições que se candidataram conseguiram passar no processo seletivo, quando o Ministério da Educação (MEC) lançou o edital para a seleção de propostas de funcionamento de novos cursos de medicina no país.

Em julho, o MEC abriu a seleção para as mantenedoras de instituições de educação superior do sistema federal de ensino e além de Tucuruí, foram contemplados os municípios de Limeira, em São Paulo, e Ijuí, no Rio Grande do Sul. 

O edital prevê que o curso em Tucuruí tenha 50 vagas para o curso de graduação. No total, sete mantenedoras enviaram propostas. O MEC analisou a capacidade econômico-financeira; o mérito das propostas e a experiência regulatória, que inclui a verificação qualidade institucional da IES e seus cursos, além da experiência na oferta de cursos de graduação e pós-graduação na área de saúde.

O chamamento do MEC para a criação de novos cursos de medicina acontece dentro do programa Mais Médicos, que seleciona os municípios a partir de critérios que levam em consideração a relevância e a necessidade social da oferta do curso de medicina e a estrutura de equipamentos públicos.

Ao fim do processo, o município de Tucuruí deverá se comprometer em oferecer à instituição de ensino superior vencedora a estrutura da rede pública de saúde para a implantação e funcionamento de novo curso de graduação em medicina, que deverá incluir programas de residência médica nas modalidades de Medicina Geral de Família e Comunidade.

Ensino Superior

Senador Paulo Rocha (PT-PA) propõe a criação da Universidade Federal do Xingu – UFX

A proposta é desmembrar a Universidade Federal do Pará para criar a instituição, que terá sede em Altamira.
Continua depois da publicidade

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte analisa uma proposta do senador Paulo Rocha (PT-PA) que autoriza a criação da Universidade Federal do Xingu – UFX – (PLS 359/2017). A ideia é desmembrar a Universidade Federal do Pará para criar a instituição, que terá sede em Altamira, no sudoeste paraense, e ficará vinculada ao Ministério da Educação.

Segundo Paulo Rocha, o projeto pretende dar continuidade à interiorização e expansão do ensino superior federal, e gerar desenvolvimento da Região Norte, que é uma imenso campo de pesquisas científicas e tecnológicas, especialmente sobre hidrelétrica, mineração e biodiversidade.

A proposta está em análise na Comissão de Educação, Cultura e Esporte, onde aguarda a escolha do relator.

Educação

MEC publicou hoje (05) o edital suplementar para implantação de uma Faculdade de Medicina em Tucuruí

O curso de medicina é um antigo sonho da população de Tucuruí
Continua depois da publicidade

O Ministro Mendonça Filho, da Educação, mandou publicar hoje edital de chamada pública para instituições de educação superior do sistema federal de ensino para seleção de propostas para o curso de medicina no município de Tucuruí, no Pará. Veja o edital publicado no Diário Oficial da União.

O deputado federal Helio Leite (DEM-PA) havia anunciado na semana passada que esse edital seria publicado no início do mês, logo após uma reunião com o ministro da Educação. Tucuruí é o primeiro município paraense a receber o curso de medicina dentro da estratégia do Programa Mais Médicos, voltada à reestruturação do atendimento médico no país.

Durante o processo de seleção, Tucuruí foi visitado por uma comissão de especialistas. Entre os critérios avaliados, estava a quantidade de pelo menos cinco leitos no Sistema Único de Saúde disponíveis por aluno e unidade hospitalar com potencial para hospital de ensino. Para escolher a localidade, o governo federal também considerou a necessidade do curso, a organização da rede de saúde para desempenhar as atividades práticas e a capacidade para criação da residência médica.

O Município de Tucuruí assinou, em 26/9/2014, o Termo de Compromisso para implantação da faculdade, mas o município havia ficado de fora da primeira chamada. Após intervenção do deputado Helio Leite e um conjunto de ações do município, este conseguiu se adequar para se enquadrar em um conjunto de ações do Governo Federal para ampliar e interiorizar as vagas de graduação em medicina em todo o país.

Fundado em 1779 (238 anos), o município de Tucuruí, segundo o IBGE, tem uma população de 108.885 (2016).

“A implantação do curso de medicina em Tucuruí é resultado de trabalho das autoridades locais e de empenho junto ao MEC. Os ganhos com o curso virão em melhorias nos serviços prestados à população. Além disso, irá contribuir decisivamente com as ações na área da saúde e consequentemente com o desenvolvimento”, afirmou Hélio Leite.

As instituições interessadas já podem se cadastrar, de acordo com informações do edital, o resultado final será divulgado no dia 31 de janeiro de 2018. Tucuruí será o primeiro município paraense, com papel de destaque no desenvolvimento regional, a receber o curso de medicina dentro da estratégia do Programa Mais Médicos, voltada à reestruturação do atendimento médico no país.

Política

Sergio Balduíno, vice-prefeito de Parauapebas participa de encontro político em São Paulo

Durante a reunião tratou-se da possibilidade da USP realizar cursos de graduação à distância no Pará
Continua depois da publicidade

O vice-prefeito de Parauapebas, Sergio Balduíno, do PSB, esteve na quinta-feira em São Paulo para uma reunião política com o governador daquele Estado, Geraldo Alckmin, junto com os correlegionários do PSB, Marcio França, vice-governador paulista, Jonas Donizette, prefeito de Campinas-SP, e o deputado Federal Dr Ubiali. A pauta foi a discussão de projetos que desenvolvam a educação no Pará e a conjuntura política nacional e as relações partidárias.

Sergio Balduíno, o deputado Cássio Andrade, e o deputado Sidney Rosa discutiram com os paulistas a possibilidade de apoio da USP na educação paraense. Como resultado, há uma perspectiva da Universidade de São Paulo realizar cursos de graduação à distância em diversas áreas, em convênio com prefeituras paraenses e o governo do Pará, sem custos relacionados ao excelente material didático e professores. Estudos neste sentido já começarão a ser feitos.

Especula-se nos meios políticos da capital paulista a possibilidade de Geraldo Alckmin deixar o PSDB e desembarcar no PSB, sigla pela qual disputaria a eleição para presidente no ano que vem. Existe ainda aqueles que defendem a saída de Alckmin do Palácio dos Bandeirantes para a campanha já no início do ano, abrindo a vaga para Marcio França (PSB).