Comissão quer melhorar parceria do governo com setor privado

Deputados defendem maior participação de empresas principalmente em obras de infraestrutura do País.
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

Brasília – O presidente da Câmara dos Deputados, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), quer acelerar a votação de matérias que possam melhorar o ambiente econômico no País. O Brasil chega ao fim da década imerso em uma crise de geração de empregos, de falta de investimentos e de crescimento considerado pequeno.

Nesse sentido, um grupo de parlamentares membros da comissão especial que discute o Projeto de Lei nº 3.453/08, que trata das parcerias público-privadas (PPPs), reuniu-se com Maia para discutir as propostas do Governo Federal sobre a matéria.

O deputado federal Eduardo Costa (PTB-PA), membro da comissão especial, adiantou que o objetivo da nova legislação “é dar segurança jurídica para que um número cada vez maior de empresas possa investir no País, elevando desta forma a participação do setor privado em obras de infraestrutura, como saneamento, por exemplo, que necessita de mais de R$ 55 bilhões em investimentos.”

Quase quatro anos se passaram entre a aprovação, pelo Congresso Nacional, da lei que instituiu as PPPs e a assinatura dos primeiros contratos federais baseados nessa inovadora forma de cooperação entre o setor público e a empresa particular. Diante das dificuldades do cenário econômico, Rodrigo Maia avalia que uma das saídas para a crise é a melhoria da lei que trata da parceria com o setor privado, para concessões de obras e serviços no País.

Na visão do presidente da Câmara, os estados estão no limite e sem capacidade para investir, com orçamentos já comprometidos. A carga tributária sustenta uma estrutura ineficiente na devolução de serviços à população. Com a construção de nova lei, mais moderna, transparente e segura, o capital pode voltar a investir no País, estados e municípios.

Por meio da comissão especial, a Câmara e o governo preparam um plano para destravar investimentos em projetos de infraestrutura no País, incluindo na legislação da PPPs propostas como contratos de concessão simplificados; nova modalidade de licitação (‘colação’); criação de um fundo garantidor de hedge cambial e o fortalecimento da atualização contratual por fatores de risco. O deputado Arnaldo Jardim (Cidadania-SP) pretende entregar seu relatório até o fim deste mês dada a urgência da matéria.

Modernização das regras

Segundo o presidente da Câmara, a discussão representa um avanço na pauta de desenvolvimento. “As parcerias público-privadas são fundamentais. A maioria dos estados perdeu sua capacidade de investir. Temos de melhorar esta lei para garantir mais segurança jurídica aos investidores”, disse.

O PL 3.453/08, de autoria do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), altera o art. 116 da Lei nº 8.666/93, para condicionar a celebração de convênios com pessoas jurídicas de direito privado a prévio processo seletivo. Na prática, pretende modernizar as regras para concessões e contratações de parcerias público-privadas (Lei 11.079/04).

Segundo o presidente da comissão especial que analisa o projeto, deputado João Maia (PL-RN), o objetivo é apresentar, até o final deste mês, uma proposta de marco legal amplo que possibilite os investimentos privados, principalmente na área de infraestrutura. A nova legislação deve tornar claras as regras para as PPPs.

“Já estamos no sexto ano sem crescimento no Brasil. Não vamos retomar isto com o consumo, nem oferecendo crédito, nem com os gastos do governo. Precisamos de investimentos privados”, defende. O relator da matéria, deputado Arnaldo Jardim, explica que um dos pontos do projeto é evitar o excesso de judicialização nas parcerias. “Estamos preocupados na construção de um projeto que seja um instrumento da retomada do crescimento”. 

Reportagem: Val-André Mutran – Correspondente do Blog do Zé Dudu, em Brasília.

Publicidade

Relacionados