Comando do 17° BPM instala cabine de desinfecção no combate ao novo coronavírus

A cabine higieniza todo o uniforme, armamentos e equipamentos dos policiais militares
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O 17° Batalhão da Polícia Militar(17° BPM), que integra o Comando de Policiamento Regional XIII (CPR XIII), localizado em Xinguara, no sudeste do Pará, instalou uma cabine de desinfecção, que higieniza todo o uniforme, armamentos e equipamentos dos policiais. A cabine foi instalada na manhã de ontem, sexta-feira, 15 de maio, em frente da entrada da unidade militar.

Segundo o comandante do 17° BPM, tenente-coronel Keythson Valente, a instalação da cabine foi viabilizada por intermédio de produtores rurais e doada por uma empresa particular, visando a proteção dos policiais militares da unidade contra a pandemia  da Covid-19. Ela possui altura e largura suficientes para que pessoas passem em pé.

No interior da cabine são instalados sensores de presença e, ao adentrar, o militar tem um tempo médio de 8 a 13 segundos para fazer a desinfecção. Existem jatos que, pelo sistema de esguicho, borrifa um tipo de desinfetante capaz de combater bactérias, vírus e demais microrganismos causadores de vários tipos de doenças infecciosas.

“A finalidade da cabine de desinfecção é a diminuição da carga microbiológica existente na superfície da pele, do uniforme/roupa, armamentos e equipamentos do militar, não havendo nenhuma contraindicação de uso. É muito simples o sistema: basta entrar na cabine, erguer os braços e andar lentamente enquanto a solução é espirrada. O produto seca rapidamente sem deixar manchas e não traz nenhum perigo a pele ou ao sistema respiratório das pessoas”, explicou o técnico da empresa, que realizou a doação do equipamento para a PM.

De acordo com o comandante da corporação, a instalação da cabine de desinfecção representa mais uma ferramenta de proteção dos policiais militares, que estão diuturnamente no enfrentamento à criminalidade e no combate direto à Covid-19. “O equipamento gera uma maior segurança e tranquilidade ao profissional de segurança pública ao entrar e sair do seu respectivo turno de serviço, o que não elimina a utilização de máscaras, álcool em gel e todas as outras medidas protetivas que já estão sendo utilizadas”, acrescentou o tenente-coronel Keythson.

(Tina Santos)

Publicidade