Câmara de Parauapebas prepara compra de cestas natalinas para servidores

Presente de fim de ano dos 450 servidores da Casa de Leis vai custar menos aos cofres, mas será mais graúdo em relação ao pacote de itens da cesta do ano passado; confira os detalhes
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O parlamento mais rico do interior do Pará já começou a se movimentar para fazer a ceia dos cerca de 450 servidores da Câmara de Parauapebas. O presidente da Casa, Ivanaldo Braz, autorizou a realização de um pregão eletrônico para cotar preços de, pelo menos, 22 itens que devem embarcar nas cestas natalinas a serem distribuídas neste final de ano. As propostas comerciais devem ser apreciadas na semana que vem.

As informações foram levantadas com exclusividade pelo Blog do Zé Dudu. Uvas passas, ameixas secas, nozes, amendoim, castanhas, torradas, pão de mel, panetone, geleia, pêssego em calda e atum, entre outros produtos, vão ser adornados numa caprichosa cesta e entregues aos servidores do legislativo. O custo estimado da delicadeza é de aproximadamente R$ 106 mil, sendo que cada cesta é orçada em R$ 235,50.

No ano passado, sob a gestão do vereador Luiz Castilho, a Casa também entregou cestas natalinas aos servidores compradas por meio de um convite. À época, foram pagos cerca de R$ 110 mil por 441 cestas, cada uma das quais ao custo inicialmente estimado em R$ 249, por 21 itens. Mesmo com a inflação nas alturas por que passa o Brasil e, particularmente, Parauapebas, a cesta proposta pelo atual presidente está mais barata e, ainda assim, mais gorda.

Ato da Presidência

De acordo com nota de justificativa da Câmara de Parauapebas para respaldar a contratação, a entrega das cestas é prevista desde 2017, quando resolução emitida pela Casa autorizou a aquisição e a distribuição dos produtos. A medida tem em vista fomentar a política de valorização do servidor público do legislativo municipal, reconhecendo sua prestação de serviços à comunidade durante o ano.

“Os itens que compõem a cesta são costumeiramente consumidos no período natalino”, alega a Câmara, que se ampara no Ato da Presidência 34/2021, assinado pelo presidente Braz, que regulamenta a concessão de cestas natalinas e os itens nelas constantes. Quando assinou o ato, em 13 de outubro, Braz autorizou 19 itens, três a menos que o volume que está sendo licitado. Ainda assim, deixou em aberto que os itens seriam especificados na etapa de planejamento da contratação.

Dados informados pela Câmara mostram que, em outubro, o parlamento contava com 82 servidores efetivos, 19 servidores não estáveis em cargos de confiança de direção, outros 19 também não estáveis em cargos de confiança na presidência mais 330 assessores lotados em gabinetes de vereadores.

%d blogueiros gostam disto: