Parauapebas: Mulheres do Vale do Sol participam de Curso de Produção de Panetone Artesanal

Ao todo, 15 moradoras do bairro receberam a certificação de conclusão do curso, que foi realizado em uma parceria entre a Prefeitura de Parauapebas e o Senar
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Visando a geração de emprego e renda, a Prefeitura de Parauapebas firmou parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), para capacitar mulheres do Residencial Vale do Sol na confecção de panetone artesanal. Na última sexta-feira (26), 15 moradoras concluíram a formação e vão poder confeccionar panetones para vender no período natalino.

O curso teve duração de uma semana, onde as alunas aprenderam receitas e técnicas para confecção do produto, que é bastante consumido durante o Natal. De acordo com a instrutora do Senar, Dinar de Lima Silva, foram 36 horas de muito empenho das alunas, com as aulas iniciando às 8h30 e finalizando às 17h.

“Produzimos muitos panetones recheados com frutas, ganache de chocolate, além de chocotone gourmet”, conta a instrutora, acrescentando que todas as participantes estão preparadíssimas para o mercado de trabalho.

Aproveitando a oportunidade, Jafé Oliveira, de 36 anos, foi uma das alunas que concluíram o curso que, para ela, é um grande estímulo para quem deseja montar o próprio negócio. “Esse é o terceiro treinamento em que eu participo aqui no Centro Comunitário. Eu já fiz os cursos de panificação e de produção de salgadinhos. Os cursos são todos ótimos. Tento aproveitar todos porque tenho o sonho de montar uma padaria”, afirma.

Segundo a assistente social, Camila Aragão, que atua no atendimento social às famílias no Vale do Sol, esse é mais um treinamento fruto da importante parceria entre o Senar e o Programa de Saneamento Ambiental, Macrodrenagem e Recuperação de Igarapés e Margens do Rio Parauapebas (Prosap). No total, mais de 45 mulheres da comunidade já foram capacitadas este ano em cursos que visam à geração de emprego e renda.

“São ações sem custo algum para a comunidade. Já estamos pensando em novas oportunidades para o próximo ano, para que essas mulheres possam ter, sobretudo, oportunidades de uma realidade diferente e reforçar a economia familiar”, destaca a técnica social do Prosap.

Segundo ela, para que as 36 horas do curso fossem cumpridas com 100% de aproveitamento, a prefeitura, por meio do Prosap, disponibilizou todos os materiais para a produção dos panetones e alimentação para as mulheres.

Tina DeBord- com informações da Ascom PMP