Author Archives: Zé Dudu

Serra Pelada: CEO da Sandstorm, controladora da Colossus, afirma que sem investimento projeto não será retomado

Sem investidores não há como retomar a implantação do projeto Serra Pelada, disse o CEO da Sandstorm, Nolan Watson, em reunião com o interventor da Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada (Coomigasp), Marcos Alexandre Mendes, no último dia 15. A canadense Sandstorm é a atual controladora da Colossus, sócia da Coomigasp no projeto de ouro em Curionópolis.

Acesso a mina subterrânea de Serra Pelada. Crédito: Colossus

Segundo informações da Coomigasp, Watson teria dito que sem novos investidores além de não ser possível a retomada das operações de Serra Pelada, a negociação sobre a revisão dos percentuais da divisão societária entre Coomigasp e Colossus também seria inviável. Apesar disso, o executivo afirmou que continuaria a buscar parceiros comerciais para a viabilização da operação.

Durante a reunião, Watson falou sobre as dificuldades em encontrar no Canadá novos investidores. Um dos motivos seria a aprovação da anulação da concessão de lavra da joint-venture entre Colossus e Coomigasp, em uma das comissões da Câmara dos Deputados no dia 11 de abril.

O executivo falou, ainda, sobre os atuais números da companhia, as dívidas existentes e a necessidade imediata de novo aporte para continuar o bombeamento da água que alagou algumas galerias.

marcos-alexandre2-300x223O interventor da Coomigasp, Marcos Alexandre, disse na reunião que não abre mão da discussão sobre o percentual que cabe aos cooperados no contrato inicial e que também continuará buscando parceiros comerciais para o projeto.

No contrato inicial entre cooperativa e empresa, foi estabelecido um percentual de 49% para a cooperativa e 51% para a empresa, mas posteriormente a porcentagem foi modificada para 25% cooperativa e 75% empresa, sem autorização dos garimpeiros.

O interventor exigiu, ainda, a entrega de todos os dados geológicos de posse da Sandstorm para que seja, pela primeira vez, realizada a análise pela Coomigasp, sem interferências, e assim os cooperados tenham a real dimensão do potencial de seu ativo mineral. De acordo com o interventor, a antiga diretoria da Colossus havia se negado a fornecer os dados.

“Quero dizer aos garimpeiros que as equipes técnica e jurídica da Coomigasp continuam atentas na defesa do patrimônio da cooperativa e que está aberto ao diálogo com o novo controlador da Colossus, mas, continuamos vigilantes e atentos para que os garimpeiros não sejam prejudicados e que a operação possa ser retomada o quanto antes”, afirmou o interventor.

A reunião aconteceu no hotel Radisson Maiorana, em Belém, e contou com as presenças do promotor Hélio Rubens, dos garimpeiros Edinaldo de Aguiar Soares, João Amaro Lepos e Etevaldo Arantes, que representavam os garimpeiros, do advogado da interventoria Ivaldo Marques Freitas Júnior, e do assessor técnico e gerente de produção da Coomigasp Francisco Carlos Lima.

Esse foi o segundo encontro entre representantes da Coomigasp e o CEO da Sandstorm. Nolan Watson esteve no Brasil no final de março para tratar do projeto Serra Pelada. Na primeira reunião o interventor apresentou as reivindicações da cooperativa e as condicionantes ambientais para a retomada do projeto. Watson havia prometido levar as propostas ao Canadá e dar a resposta na nova reunião, que aconteceu na semana passada. As informações são do blog oficial da Interventoria da Coomigasp.

Exclusivo: juiz de Parauapebas pronuncia três pela morte do delegado André Albuquerque

Delegado André AlbuquerqueO juiz de direito da 3ª Vara Penal de Parauapebas, Líbio Moura, emitiu hoje (23) sentença de pronúncia contra os réus Joel Bispo de Sousa ou dos Santos, Roni Moura
Eleutério e Vailton Pereira Evangelista. Eles são acusados de matar o delegado André Nunes Albuquerque (foto) em 03 de outubro de 2010, à época diretor da 20ª Seccional de Polícia de Parauapebas. O processo contra Marcos Maciel Gomes da Silva, também indiciado, está temporariamente suspenso.

O crime se deu no bairro Jardim América, quando o delegado, em companhia de outros agentes daquela Depol, se deslocou para o local com o objetivo de prender Joel Bispo, foragido do CRAMA em Marabá.  Segundo os autos, o delegado foi recebido a bala pelos quatro marginais que estavam na casa, sendo alvejando e vindo a falecer, tendo os assassinos abandonado imediatamente o local.

Segundo a pronúncia, os acusados deverão permanecer presos aguardando o julgamento. Segundo o juiz Líbio de Araújo Moura, não há ainda uma previsão para a data do julgamento, já que da decisão cabe recurso.

Confira aqui a íntegra da sentença.

Após 36 dias, avião que estava desaparecido no Pará é encontrado

jl2_1803_aviaojacareacangaApós 36 dias desaparecido, equipes da Força Aérea Brasileira (FAB) confirmaram que o bimotor que sumiu no mês passado no sudoeste do Pará foi encontrado em região de mata fechada, próximo ao município de Jacareacanga, no final da tarde desta terça-feira (22).

A Salvaero, unidade da FAB que coordena as buscas da região Norte, informou que uma equipe terrestre localizou a aeronave, não informações de sobreviventes.

O bimotor desapareceu no dia 18 de março, após o último contato do piloto e a acusação dos radares, aproximadamente 29 quilômetros à nordeste de Jacareacanga.

A aeronave levava as técnicas de enfermagem Rayline Sabrina Brito Campos, Luciney Aguiar de Sousa e Raimunda Lúcia da Silva Costa, o motorista Ari Lima, funcionários Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), ligada ao Ministério da Saúde e o piloto Luiz Feltrin de Itaituaba para Jacareacanga.

Eles iriam substituir outro grupo que prestava serviço em uma aldeia Munduruku, na região.

Buscas

Em dois dias de buscas, a FAB já havia sobrevoado toda a aérea estimada em que o avião poderia ter caído.

O trajeto foi estendido, mas nenhuma pista foi encontrada. As buscas foram prejudicadas pelas condições climáticas desfavoráveis de chuva e forte nevoeiro.

13976152441_9fe6dd9f85Fonte : Blog do Jeso

Blog do Jeso

Blog do Jeso

Coluna do Zé Dudu no jornal Correio do Tocantins de 22/04/2014

Respeito
A nova administração do Unique Shopping Parauapebas resolveu tratar com o devido respeito os idosos e deficientes que frequentam o empreendimento. A antiga administração deixou que o espaço reservado a eles no estacionamento fosse ocupado por motos, fato que está agora sendo coibido. Parabéns!

Assassinato
No último dia 19 foi assassinado o comerciante Pedro Rodrigues Filho, de 32 anos, seu depósito de bebidas no bairro Caetanópolis, em Parauapebas. A Polícia investiga com cautela o caso, já que há indícios da participação de um conhecido político de Eldorado dos Carajás como mandante.

PEN
Uma fonte segura do Partido Ecológico Nacional – PEN – em Parauapebas, sinalizou que o partido tem dois nomes para apresentar à Legislatura Estadual. Um deles é o Engenheiro Herbert Viana, um profissional bastante conhecido no meio mineral do município. A fonte indica que o nome do engenheiro é sinônimo de competência e trato com as pessoas, sendo homem de uma sensibilidade acentuada quanto aos problemas socioeconômicos da região.

Varredura
O diretor da 20ª Seccional de Polícia Civil de Parauapebas, Rodrigo Paggi, resolveu fazer uma verdadeira varredura no setor de investigação em Parauapebas. A partir de hoje (22) a Seccional passa a contar com um novo corpo investigativo, formado basicamente por antigos colaboradores de Paggi quando o mesmo chefiava a divisão de homicídios em Marabá. Para  a ação, dizem, Paggi teve o aval do delegado geral e do secretário de segurança pública do Pará.

Varredura II
Não há notícias de que a varredura tenha alcançado os atuais delegados, permanecendo Thiago, Nelson e Regina, além do próprio Rodrigo Paggi. Vários crimes ocorridos no município nos últimos anos estão sem solução, fato que pode mudar com a nova equipe montada por Paggi.

Copa do Mundo
A rádio Clube do Pará transmitirá ao vivo todos os jogos da Copa do Mundo 2014 no Brasil. A emissora paraense comprou os direitos de transmissão da Rede Globo e será a única da região Norte a transmitir os jogos.

Copa do Mundo II
A rádio Clube do Pará fez uma parceria com a rádio Futebol do Interior, que tem maior audiência entre todas as emissoras da internet do Brasil, com uma média de 22 mil ouvintes por partida, viabilizando as transmissões dos jogos também pela internet. Parabéns e sucesso à equipe Bola de Ouro.

Gripe
A Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe começa nesta terça-feira (22), quando deverão ser vacinados idosos, gestantes, crianças de seis meses a 4 anos, mulheres no período de até 45 dias após o parto, indígenas, presos, doentes crônicos e profissionais de saúde. Se você se enquadra nesse perfil procure um posto de vacinação. A vacina a ser ministrada protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no inverno passado (H1N1; H3N2 e influenza B).

Imunização
Na última campanha nacional patrocinada pelo Ministério da Saúde, a HPV, pouco menos de 70% da meta foi alcançada pelo Estado do Pará.

Ficha Limpa
A Procuradoria Regional Eleitoral no Pará (PRE/PA) vai solicitar a diversos órgãos no Estado informações para a produção de um cadastro de candidatos potencialmente inelegíveis nas próximas eleições.

Servidores da Saúde fazem manifesto em Marabá contra redução de insalubridade

Na sessão desta terça-feira, 22, na Câmara Municipal de Marabá, um grupo de mais de 300 servidores municipais da Secretaria Municipal de Saúde ocupou o Plenário da Câmara Municipal de Marabá para pedir aos vereadores para não votarem em um Projeto de Lei do Executivo Municipal, que tenta diminuir o adicional de insalubridade em 50% para cerca de 2 mil trabalhadores em hospitais e centros de saúde.

Demerval Bento da Silva, presidente do Sintesp (Sindicato dos Trabalhadores na Saúde Pública do Pará) Subsede Marabá, disse que chegou à Câmara o projeto de Lei 109/2014, pedindo redução do percentual de insalubridade. Uma parte dos servidores recebe 40% de insalubridade, outra 20% e a terceira 10%. Com a proposta do Executivo, passariam a receber apenas a metade de cada um desses valores.

Bento explicou que há um laudo realizado pelo Ministério do Trabalho em 1993, o qual está em vigor e estabelece os percentuais pagos pelo município até hoje, que resguarda os trabalhadores das secretarias de Saúde e Obras. Ele observou que para o gestor atual mudar esse percentual, é preciso que se faça um novo laudo com médico do Trabalho, engenheiro do Trabalho, para determinar, em cada setor da saúde, quais os graus de insalubridade em cada setor. “A mesa de sindicatos tentou negociar com o governo para contratar uma empresa para fazer a avaliação, mas isso não prosperou”, destacou.

Segundo Demerval, o sindicato convocou os trabalhadores porque eles não concordam com o projeto, devendo afetar os vencimentos de cerca de 2 mil servidores da saúde de Marabá. “Estamos aqui para demonstrar para os vereadores os riscos que os trabalhadores estão correndo, porque desenvolvem suas funções sem EPI (Equipamento de Proteção Individual) nem coletivo e não possuem uniformes”, criticou.

Na avaliação do presidente do Sintesp, a Secretaria de Saúde deveria ter revisado o laudo de 1993, analisando as condições do trabalho dos servidores. “Pedimos que que vocês, vereadores, retirem o projeto da pauta e devolvam ao Executivo. É preciso primeiro discutir com o sindicato. É vergonhoso o que o prefeito fez. Não podemos perder o pouco que temos”, disse Demerval.

Representante do Sindicato dos Enfermeiros, Flávia Renata Varela, lembrou que os enfermeiros e técnicos é que estão na ponta, servindo de um elo entre a comunidade e o acesso à saúde. “Só vemos a gestão querendo cortar salário. Não é simplesmente encaminhar um documento pra Câmara sem um debate. A cada dia se fala que vão valorizar o profissional, mas só vemos o contrário. Queremos uma avaliação correta, um laudo técnico para esse corte”, sustentou ela.

A vereadora Vanda Américo explicou que o Projeto estava na Câmara, mas não foi apresentado ainda aos vereadores. A retirada dele depende do Executivo, que deve pedir de volta. “o governo precisa ser pressionado pela categoria para poder pedir de volta, senão isso não ocorre”, disse Vanda.

A vereadora Antônia Carvalho, da base aliada do governo, advertiu que não votará no referido projeto da insalubridade se ele for para a votação. “A gente não tem como apoiar o prefeito diante da retirada de direitos adquiridos por trabalhadores. Isso apenas vai desgastar a imagem do governo e da Câmara. Não houve clareza suficiente por parte da equipe do prefeito e esse assunto precisa ser debatido e aprofundado. É preciso estudar de forma ampla como reduzir gastos com a saúde”, disse Toinha, cobrando auditoria geral na folha de pagamento da prefeitura.

Na avaliação da vereadora Vanda Américo, enquanto os servidores lutam por outras conquistas, estão perdendo o que já tinham conquistado. Na visão dela, jamais deveria enviar à Câmara um projeto dessa forma. “É hora de a categoria ficar atenta. Tem insalubridade em vários serviços e servidores de diversos locais. Não podemos retroceder em ganhos e garantias. Quem faz a coisa acontecer é o povo. Vereador não pode se deixar cooptar por outro. O dinheiro que vai tirar do bolso do trabalhador, não vai melhorar o serviço para a comunidade”.

O vereador Pedro Correa revelou que o referido Projeto de Lei deu entrada no dia 28 de março na Câmara, mas nem sindicato nem conselho de saúde tinha conhecimento do mesmo, tampouco a mesa de negociação permanente. “Prefeito pode ser capacitado, secretário pode ser inteligente, mas sem o servidor eles não vão chegar a lugar algum”.

Na avaliação de Correa, houve alguns desmandos e perdas para os servidores nos últimos 16 meses, como redução do vale alimentação do servidor contratado; redução de gratificação de quem trabalha em comissões; tentativa de demissão de todos os agentes de endemias do município, sem justa causa. “O governo está inseguro, não sabe de que forma tem de fazer melhorias estruturais que Marabá precisa. Por isso vem para cima do servidor, e não se pode aceitar isso”, disse Pedro Souza, sugerindo uma contraofensiva, exigindo prestação de assistência à saúde do servidor, fora a complementar, o que é garantido por lei.

Por sugestão dos vereadores, ainda na manhã de terça-feira, 22 de abril, o secretário municipal de Saúde recebeu representantes do Sintesp e de trabalhadores na saúde para discutir o assunto. Em seguida, o grupo seguirá para o Gabinete do Prefeito João Salame para ampliar a discussão.

O secretário de Saúde, Nagib Mutran Neto, disse hoje pela manhã, em entrevista coletiva, que o Projeto de Lei foi enviado pela Progem (Procuradoria Geral do Município) para a Câmara, mas que ela busca equiparar a lei municipal com uma federal, mais recente, a qual determina que a gratificação por insalubridade deve ser nos percentuais de 5%, 10% e 20%. Nagib considera que muitos servidores que ganhavam um percentual mais baixo, poderão ser beneficiados com valores maiores. “O que vai determinar qual o percentual de cada um é o laudo que deverá ser feito no período de seis meses. Quero tranquilizar a categoria, dizendo que só haverá mudança no contracheque depois que o laudo for feito, não necessariamente com a aprovação da lei”, sustentou.

Inicia nesta terça-feira campanha de vacinação contra gripe

Inicia nesta terça-feira (22) em Parauapebas, e vai até o dia 9 de maio, a campanha de vacinação contra gripe, em todas as unidades de saúde. No próximo sábado (26), em 27 pontos espalhados no município, será realizado o Dia D de vacinação.

Apresentando o tema “Xô gripe”, a campanha é destinada a trabalhadores da saúde, comunidade indígena, pessoas portadoras de doenças crônicas, crianças com idade entre seis meses e quatro anos, mulheres com até 45 dias de pós-parto, pessoas com idade acima de 60 anos e gestantes.

Se você faz parte desses grupos, procure o posto de vacinação mais próximo de sua residência, afaste a gripe e traga mais saúde para perto de você.

Postos de vacinação no dia D :

Sede do município:

  • Centro de Especialidades do Bairro Cidade Jardim
  • Centro de Saúde da Cidade Nova (HMP)
  • Centro de Saúde do Bairro Altamira
  • Centro de Saúde do Bairro Guanabara
  • Centro de Saúde do Bairro Novo Brasil
  • Centro de Saúde do Bairro Rio Verde
  • Escola Antônio Matos (Bairro Nova Vida)
  • Escola do Bairro Ipiranga
  • Escola Irmã Laura (Bairro Bela Vista)
  • Escola Jozias Leão (Bairro Maranhão)
  • Escola Luiz Magno (Bairro Amazônia)
  • Escola Vinicius de Morais (Bairro dos Minérios)
  • Igreja Assembleia de Deus Congregação Betânia (Bairro da Paz)
  • Supermercado Hiper Sena (Bairro Beira Rio)
  • Unidade de Saúde da Família do Bairro Casas Populares II
  • Unidade de Saúde da Família do Bairro da Paz
  • Unidade de Saúde da Família do Bairro Jardim Canadá
  • Unidade de Saúde da Família do Bairro Liberdade I
  • Unidade de Saúde da Família do Bairro Liberdade II

Serra dos Carajás

  • Hospital Yutaka Takeda

Zona Rural

  • Posto de Saúde da APA
  • Posto de Saúde da Vila Sanção
  • Posto de Saúde da Vilinha
  • Posto de Saúde de Palmares II
  • Posto de Saúde de Palmares Sul
  • Posto de Saúde do Cedere I
  • Posto de Saúde do Garimpo das Pedras

Prefeitura de Parauapebas doa terrenos para Sesi e Senai

A Prefeitura de Parauapebas, por intermédio do Gabinete do Prefeito, torna público que na última sexta-feira (11) oficializou a doção de uma área urbana medindo 21.558,884 metros quadrados para o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e outra com 34 mil metros quadrados para o Serviço Social da Indústria (Sesi), ambas localizadas no Bairro Parque dos Carajás, Etapa III, município de Parauapebas.

Os termos de doação dos dois imóveis para as duas instituições obedecem às Leis nº 4.558 e 4.559, ambas de 28 de março de 2014, autorizadas pela Câmara Municipal de Vereadores para que o Poder Executivo doe os referidos imóveis ao Sesi e ao Senai.

O parágrafo segundo das referidas leis estipula que se no prazo máximo de dois anos as donatárias deixar de dar a destinação de instalação de unidades operacionais das entidades os imóveis doados retornarão de pleno direito ao patrimônio público municipal.

Clique aqui para visualizar as leis e decretos do Senai

Clique aqui para visualizar as leis e decretos do Sesi

Jovem de 16 anos sobrevive a voo de 5 horas em trem de pouso

O menino foi atendido por médicos assim que pousou no Havaí

O menino foi atendido por médicos assim que pousou no Havaí

Um jovem de 16 anos sobreviveu a uma viagem de cinco horas dentro da cavidade do trem de pouso de um avião.

O adolescente foi interrogado pelo FBI pouco após o voo, que ia da Califórnia ao Havaí, ter pousado. O garoto foi submetido a um exame médico, que indicou que seu quadro era estável.

O menino teria fugido de casa, pulado a cerca do aeroporto de San José, na Califórnia, e entrado no avião. Ele sobreviveu à escassez de oxigênio e a temperaturas congelantes quando o avião alcançou uma altura de 11,8 mil metros.

O menino teria sido notado pela tripulação na pista, pouco depois do pouso. Segundo um porta-voz do FBI, o adolescente saiu do trem de pouso e começou a andar pela pista de pouso do aeroporto de Maui, segunda maior ilha do Havaí. “(Ele) foi excepcionalmente sortudo em estar vivo”, afirmou o porta-voz.

O único pertence que ele carregava quando o avião pousou era um pente de cabelo.

Desde o início dos registros desse tipo de caso na aviação internacional, em 1947, 96 passageiros clandestinos teriam tentado embarcar em 85 voos. Destes, 73 teriam morrido e apenas 23 sobrevivido.

STF decidirá se juiz deve ser chamado de doutor

O Supremo Tribunal Federal deverá analisar na próxima semana uma ação em que um juiz do estado do Rio de Janeiro exige ser chamado de “doutor” e “senhor” pelos funcionários do prédio onde mora. O processo foi distribuído ao ministro Ricardo Lewandowski na semana passada.

 5.0.2O caso data de agosto de 2004. Antônio Marreiros da Silva Melo Neto, juiz titular da 6ª Vara Cível de São Gonçalo, na região metropolitana do Rio, pediu ajuda a um funcionário do prédio para conter um vazamento em seu apartamento. Por não ter permissão da síndica, o empregado negou o socorro. Os dois discutiram e, segundo o juiz, o homem passou a chamá-lo de “cara” e “você”, com o intuito de desrespeitá-lo. Marreiros pediu para ser tratado como “senhor” ou “doutor”. “Fala sério” foi a resposta que obteve.

Marreiros, então, entrou com uma ação na Justiça e, em setembro do mesmo ano, obteve liminar favorável do desembargador Gilberto Dutra Moreira, da 9ª Câmara Cível do TJ-RJ. Moreira criticou o juízo de primeiro grau, que não proveu a antecipação de tutela ao colega de profissão, classificando a recusa de “teratológica”.

“Tratando-se de magistrado, cuja preservação da dignidade e do decoro da função que exerce, e antes de ser direito do agravante, mas um dever e, verificando-se dos autos que o mesmo vem sofrendo, não somente em enorme desrespeito por parte de empregados subalternos do condomínio onde reside, mas também verdadeiros desacatos, mostra-se, data vênia, teratológica a decisão do juízo a quo ao indeferir a antecipação de tutela pretendida”, escreveu o desembargador.

celNa época, o presidente da Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro, Octávio Augusto Brandão Gomes, repudiou a decisão. “Todos nós somos seres humanos”, afirmou. “Ninguém nessa vida é melhor do que o outro só porque ostenta um título, independente de ter o primeiro ou segundo grau completo ou curso superior”, completou.

A decisão foi confirmada em março do ano seguinte, quando a 9ª Câmara Cível da Corte fluminense atendeu, por maioria de votos (2 a 1) o pedido de Marreiros.

Em maio, no entanto, Marreiros obteve decisão contraria do juiz Alexandre Eduardo Scisinio, da 9ª Vara Cível de Niterói, que entendeu não competir ao Judiciário decidir sobre a relação de educação, etiqueta, cortesia ou coisas do gênero.

De acordo com a deliberação de Scisinio, “doutor” não é forma de tratamento, e sim título acadêmico utilizado apenas quando se apresenta tese a uma banca e esta a julga merecedora de um doutoramento. O título é dado apenas às pessoas que cumpriram tal exigência e, mesmo assim, no meio universitário.

Ele ressaltou, ainda, que o tratamento cerimonioso é reservado a círculos fechados da diplomacia, clero, governo, Judiciário e meio acadêmico, mas na relação social não há “ritual litúrgico” a ser obedecido.

Marreiros recorreu ao TJ-RJ e obteve outra decisão contrária. Em 2006, enviou Recurso Extraordinário ao STF, argumentando que o caso diz respeito à Constituição por envolver os princípios da dignidade da pessoa humana e da igualdade.

Fonte: Consultor Jurídico

Comissão da Anistia julga processos da ditadura em Marabá

Nesta segunda, 21, serão avaliados os casos de sete pessoas. Prejudicadas pela ditadura pedem indenização.

Integrantes da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça estão no município de Marabá, sudeste do Pará, nesta segunda-feira (21), para avaliar e julgar pedidos de indenização de pessoas que tiveram a vida prejudicada pela ditadura militar ou que foram torturados no período do regime, que foi de 1964 a 1985.

download (1)Está à frente do julgamento a conselheira Sueli Bellato, vice-presidente da Comissão. Juntamente com outros cinco conselheiros, a Comissão de Anistia vai avaliar sete processos que já tramitavam há anos na Justiça.

O Conselho foi instalado pelo Ministério da Justiça no dia 28 de agosto de 2001. Criada pela Medida Provisória n.º 2.151, a Comissão está analisando os pedidos de indenização formulados pelas pessoas que foram impedidas de exercer atividades econômicas por motivação exclusivamente política desde 18 de setembro de 1946 até 5 de outubro de 1988.

Ditadura no Pará
Segundo o pesquisador Paulo Fonteles, cerca de 350 camponeses do Pará foram mortos durante a Guerrilha do Araguaia – algo que contradiz os dados oficiais, que apontam 400 desaparecidos em todo o país durante os 21 anos do regime militar.

Guerrilheiros que propunham a reforma agrária foram torturados nos estados do Pará e Tocantins entre 1972 e 1975. O conflito foi uma reação dos grupos de resistência armada contra os proprietários de terra e militares.

Caravana da Anistia
Nos últimos cinco anos, a Caravana da Anistia visitou 20 estados brasileiros. No Pará são 600 processos, 40 já julgados e com resultados positivos. Existem dois tipos de indenização: de pessoas que tiveram suas vidas prejudicadas e de pessoas que foram torturadas.

No caso de pessoas, por exemplo, que tinham uma produção agrícola em suas chácaras e tiveram que sair com a chegada dos militares, a indenização é avaliada em cima do que se ganha, já que a pessoa perdeu a atividade agrícola. Será calculado ainda tempo o retroativo do processo.

Processos de pessoas que foram torturadas também serão julgados. As vítimas receberão uma indenização vitalícia, além do valor retroativo do tempo que o processo tramita na Justiça. (G1-PA)