Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Parauapebas

Vereador Luís Castilho se empenha em ajudar população do bairro Cidade Jardim

De acordo com ele, é preciso que o Poder Público saia em busca de encontrar solução para auxiliar a população.

Fazendo jus ao lugar de Líder de Governo na Câmara Municipal, o vereador Luís Castilho (PROS) fez uso da tribuna saindo em defesa dos moradores do bairro Cidade Jardim, momento em que empenhou seu apoio àquela comunidade que, segundo ele, sofre as mazelas concebidas desde a assinatura dos contratos e sentidas agora com a atual situação econômica do município que não possibilita que os clientes da Incorporadora Buriti honrem seus compromissos.

“Tenho certeza de que todos que compraram terrenos não o fizeram com a intenção de dar calote, mas, devido à situação econômica que é sentida por todos, se tornou inviável sendo necessária hoje que se faça adequações nos contratos e assim, devolvamos a dignidade a estes pais de família, homens de bem, que não pode ter sua imagem arranhada nem seus filhos passar por tamanho constrangimento de ser retirados de suas casas”, relatou Castilho, lembrando que aquele bairro, tão logo criado, era Cidade Jardim, lugar de sonhos, que dá a ideia de flores, rosas. Porém, na situação atual se tornou “a cidade do pesadelo e dos espinhos”.

Veja também:  Vereadora Joelma indica implantação do Programa Rua do Lazer em Parauapebas

De acordo com Castilho, é preciso que o Poder Público saia em busca de encontrar solução para auxiliar a população. Ele propõe como solução digna emprego e um lar. O vereador admite que a população de Parauapebas, diante dos altos índices de desemprego, já está perdendo a dignidade situação que se agrava ao tentarem tirar um bem tão precioso que é a casa própria. “Não podemos ser omissos nesta situação, quando temos que cuidar de nossa sociedade”, assumiu Castilho, dando por empenhado a contribuir como desfecho bom para o restabelecimento daquela população.

Comentários ( 3 )

  1. Apoiado, todos tem direito a moradia e devem ser respeitados os limites da lei, de forma bilateral. Mediante a grave crise econômica o que se deve fazer é, renegociar de forma que enquadre a realidade da maioria, ou seja, do presente momento.

  2. Vereador, o correto seria abrir um processo administrativo para primeiramente identificar e apurar as irregularidades nos processos de liberação e regularização do loteamento Cidade Jardim e Nova Carajás, e identificar os agentes políticos que se beneficiarem com as regularizações irregulares, pois estes na maioria das etapas não contam com rede de esgoto ou mesmo sistema de captação de agua, tendo somente poços, que qualquer engenheiro ou ate leigos sabem que poços em excesso na região prejudica os lençóis freáticos de nossa cidade, o asfalto não existe, somente brita com pinche na maioria das ruas, exceto na sétima etapa do cidade jardim que o asfalto é de qualidade superior as demais etapas, a iluminação é péssima, as calcadas não tem medidas padrões, as ruas não são sinalizadas e identificadas, ou se seja a lei de código de postura do município foi rasgado e fizeram vistas grossas a tudo.

    Identificado as irregularidades e possíveis negligencias ( que são muitas ), notificar a loteadoras das correções em toda a massa asfáltica e a solução dos problemas de fornecimento de agua em todas as etapas dos loteamentos, pois não cabe a prefeitura assumir o compromisso de algo que as empresas de loteamento receberam e estão recebendo de seus clientes pelos lotes e infraestrutura do loteamento,

    E diante de todas as irregularidades apuradas, a Prefeitura através da procuradoria iria mover uma ação publica contra as empresas de loteamento, e na primeira audiência de conciliação a prefeitura colocaria o seguinte acordo, que a prefeitura assumiria todas as correções das obras de infraestrutura ( o que já ocorre, inclusive a prefeitura acabou de asfaltar a Avenida dos Ypes no cidade Jardim ) e as loteadoras entregue todos os lotes quitados aos proprietários, ou caso contrario ela teria que recuperar toda a malha viária, construir reservatórios de agua pluviais através de represas para abastecimento agua e a instalação de Estação de Tratamento de Agua e Esgoto, inserir em todas as ruas placas de sinalização de transito, placas com nomes de ruas e avenidas, instalar hidrantes nas esquinas, quebra molas, redutores de velocidade, instalar semáforos, faixa de pedestre e passarelas, limpar, cercar e manter as áreas verdes protegidas, instalar lixeiras nas vias, obedecer os padrões de calcadas, recuperar a rede de iluminação publica e tudo mais que o código de postura do município exigir. ( a risca ).

    No mínimo se perdemos as ações na justiça, mas moraremos em um lugar decente.

  3. O comentarista Wesley escreveu muito e escreveu certo. É exatamente isso que deve ser feito. Ir para cima das incorporadoras, que, para cobrar são uns leões, mas, para cumprir o que está nos famigerados contratos de letras miúdas e intermináveis páginas, só aos empurrões. O resto é discursinho demagogo de tribuna só para marcar território e depois dizer na hora da campanha: “No meu mandato, lutei pelos moradores dos loteamentos”, enquanto o povo continua lá no sofrimento.

Deixe uma resposta