Vale mantém 30 mil empregos e recolhe R$ 2,7 bilhões em tributos no Pará

Os dados constam no balanço do primeiro semestre de 2021 da mineradora, que foi divulgado nesta quinta-feira (19)
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A mineradora Vale divulgou, nesta quinta-feira (19), os dados da sua atuação no Pará no primeiro semestre de 2021. Os dados, que foram divulgados na publicação “Balanço Vale+ Pará”, mostram que, mesmo em um cenário desafiador marcado pela pandemia da Covid-19, foram mantidos 30.479 empregos diretos e indiretos dentro das operações, gerando em massa salarial um total R$ 900 milhões, dinheiro que circula na região em atividades como o comércio.

Os dados apontam que foram investidos R$ 3,9 bilhões em compras locais. Em tributos e compensação, foram recolhidos aos governos estadual e municipais, R$ 2,7 bilhões.

Desse total, R$ 1,9 bilhão em Contribuição Financeira pela Exploração Mineral (CFEM). A mineradora destaca que mantém, no Pará, seis unidades operacionais nos municípios de Parauapebas, Canaã dos Carajás, Ourilândia do Norte, Curionópolis e Marabá, além da Estrada de Ferro Carajás.

Na área social, foram investidos R$ 132 milhões em ações obrigatórias, voluntárias ou mitigatórias. Entre as iniciativas estão projetos de fomento a arranjos produtivos. A iniciativa tem como objetivo potencializar outras atividades econômicas, para além da mineração.

Em Ourilândia do Norte, destaca a empresa, os agricultores de Santa Rita, Agrovila Minerasul, Vicinal Picadão e PA União receberam apoio com assistência técnica e aquisição de insumos e equipamentos. Também foi realizada a construção de barcaças para secagem de amêndoas de cacau.

“Antes nós usávamos lonas plásticas para secagem das amêndoas. Com apoio do projeto, construímos uma barcaça que, além de melhorar a qualidade do produto, melhorou os processos do nosso trabalho”, conta Keyla Ambrosino, da Agrovila Minerasul.

A vale enfatiza que, diante dos desafios impostos pela pandemia, também foram pensadas novas formas de apoio por parte da empresa. Neste sentido, foram firmadas parcerias com as prefeituras e governo para doações de equipamentos de proteção individual (EPIs), materiais hospitalares, além de novos espaços para saúde.

Em Parauapebas, a empresa reformou mais uma ala do Hospital Geral (GHP), onde deverá funcionar o Centro Especializado de Atendimento de Covid-19, anunciado pelo governo do estado e prefeitura. A empresa também já havia entregue 28 leitos críticos e 40 leitos de enfermaria ao HGP.

A mineradora ainda entregou 30 respiradores à Canaã, Ourilândia do Norte, Parauapebas e Marabá. O balanço divulgado traz ainda algumas informações sobre a atuação da empresa na área ambiental.

Entre elas, destaque para os municípios como Parauapebas, Canaã dos Carajás e Marabá, que estão fora da lista dos dez municípios críticos em desmatamento da Floresta Amazônica, divulgada pelo Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). Nessas três cidades, há unidades de conservação da floresta, que são protegidas e fiscalizadas pelo Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio), com o apoio da Vale.

A publicação do Balanço Vale+ Pará na íntegra pode ser acessada em www.vale.com/pa .

Tina DeBord – com informações da Vale