Vale: investimentos na ordem de US$24 bilhões em 2011

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Apostando na forte recuperação da economia mundial, a Vale anunciou ontem investimento recorde de US$ 24 bilhões em 2011, quase o dobro dos US$ 12,9 bilhões que deverão ser desembolsados neste ano e 125% a mais do que acumulado nos últimos 12 meses até setembro passado (de US$ 10,7 bilhões).
O anúncio contrasta com o período logo após a crise de 2008, quando a companhia cortou gastos e engavetou projetos de expansão.
Dos investimentos previstos, US$ 15,318 bilhões (63,8% do total) serão direcionados para as operações da empresa no Brasil, onde está a maior parte da produção de minério de ferro, logística e ativos de fertilizantes, além de negócios no segmento de metais leves. Também receberão investimentos Canadá (US$ 1,959 bilhão), Argentina (US$ 1,393 bilhão) e Guiné (US$ 1,134 bilhão), entre outros.
Além disso, a mineradora brasileira — que registrou lucro recorde no terceiro trimestre deste ano, impulsionado pela alta de preços do minério e maiores vendas — pretende contratar até 2015 mais 40 mil trabalhadores em todas as suas unidades no mundo. Atualmente, a companhia emprega 65 mil trabalhadores diretos e outros 40 mil indiretos.
— O cenário é positivo para trabalhar a plena capacidade nos próximos 12 meses — afirmou o presidente da Vale, Roger Agnelli.
O executivo acrescentou que a empresa está operando no limite de sua capacidade de produção em todas as suas unidades do mundo e que o mercado continua muito forte, puxado pela demanda da China, já que Europa e Estados Unidos ainda estão em processo gradual de recuperação.
— Certamente, este é o maior plano de investimento da história de mineração.
Boa parte será canalizada para o Brasil e mais da metade para minério de ferro e logística.

Agnelli critica política cambial

Ele afirmou ainda que a mineradora investiu, nos últimos quatros anos, também em ativos que ainda não começaram a gerar receita.
— A nova empresa que estamos construindo é quase do tamanho da que opera hoje.
Agnelli criticou a política cambial brasileira e de outros países produtores de commodities, onde a moeda local tem se valorizado muito ante o dólar. Segundo ele, o câmbio valorizado gera custos exagerados e pode prejudicar projetos de produção.
Agnelli disse que o preço do minério vai depender da demanda, mas ele crê que haverá uma tendência à estabilidade no início de 2011, após as oscilações registradas este ano. O sistema de reajuste de preços da Vale foi mudado em abril passado, quando os aumentos passaram a ser trimestrais e não mais uma vez por ano. Até agora, houve alta de 90% dos preços em abril e entre 30% a 35% em julho.
O foco dos investimentos em 2011 será o crescimento orgânico: 81,3% do orçamento (US$ 19,521 bilhões) serão alocados para financiar pesquisa e desenvolvimento e para projetos greenfield (começando do zero). Os investimentos serão gerados pelo próprio caixa da mineradora. A empresa espera ritmo de crescimento de produção anual de 16,3% entre 2011 e 2015.
Ao ser indagado sobre sua permanência na companhia após a eleição presidencial, o presidente da Vale disse que “o posicionamento da empresa está bem claro e dispensa comentário”.
Para ele, a empresa é importante para o Brasil e qualquer que seja o governo trabalhará “próximo da companhia”.
Um dia depois de anunciar lucro recorde, as ações da Vale recuaram ontem, com os investidores embolsando lucros da véspera. Os papéis preferenciais (sem direito a voto) caíram 1,68% e os ordinários (com direito a voto), 1,92%.

Fonte: O Globo

[ad code=3 align=center]

3 comentários em “Vale: investimentos na ordem de US$24 bilhões em 2011

  1. Nome (obrigatório) Responder

    espero que agora eles deem oportunidades reais para os filhos de parauapebas, tem pessoas pioneiras por aqui que jamais tiveram oportunidade;

    nem de aprender,nem de trabalhar… gostaria muito que a assessoria da vale visse isso e passace a vê que tem muita gente genuinamente parauapebense, que deram o máximo de si para construir essa cidade que hoje tem seus filhos desempregados e caindo na marginalidade por falta de oportunidade planejada. me refiro a oportunidade mesmo e não a intermináveis processsos seletivos.

  2. INDIGNADO!!! Responder

    Depois vem o Lula e sua cordeirinha Dilma dizer que não se deve privatizar. Imaginem se esta empresa fosse estatal e na mão do PT. Será que o Brasil estaria com estes lucros?
    ACORDA POVO AINDA DÁ TEMPO DE MUDAR O FUTURO DO PAÍS.

Deixe seu comentário

Posts relacionados

%d blogueiros gostam disto: