Vale Florestar desenvolve parcerias para pesquisas na área de silvicultura

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Vale_Florestar_1_2_1A Vale Florestar S.A, uma empresa que atua no ramo de reflorestamento no Pará, desenvolve parcerias e convênios que visam a produção de espécies de eucalipto de alta qualidade, com a utilização de modernas tecnologias em silvicultura, ciência que trata do cultivo, reprodução e desenvolvimento de árvores florestais. Entre as instituições parceiras estão a Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), a Suzano Papel e Celulose e a Sociedade de Investigações Florestais (SIF).

O convênio com a UFRA, em desenvolvimento desde o ano passado, promove estudos sobre classificação de solos, definição de programas de nutrição dos plantios de eucalipto e acompanhamento da sucessão ecológica  nas áreas de Reserva Legal da Vale Florestar, ou seja, a evolução do processo de recuperação da vegetação nessas áreas.

A parceria com a Suzano Papel e Celulose, iniciada em 2009, viabiliza pesquisas voltadas para o melhoramento genético do eucalipto, a fim de obter clones mais produtivos e resistentes a doenças, além de mais adaptados às condições ambientais da região. O diretor Operacional da Vale Florestar, Carlos Garcia,  explica que o programa de melhoramento genético é de longo prazo e que a empresa vem dando continuidade às pesquisas iniciadas pela Vale na década de 1990, através da Florestas Rio Doce e da Ferro Gusa Carajás. “Fruto destas pesquisas possuímos atualmente 14 clones comerciais, que estão em uso na operação, e outros 200 que estão em fase de teste”. Já do convênio com a Suzano, os resultados dos diversos cruzamentos de materiais genéticos, resultarão nos primeiros clones comerciais em um prazo de onze anos”

Vale_Florestar__2_1Um terceiro convênio da Vale Florestar está em andamento com a  Sociedade de Investigações Florestais (SIF), uma entidade de pesquisa florestal vinculada à Universidade Federal de Viçosa, (MG). “A iniciativa permite que os profissionais da Vale Florestar tenham acesso a toda a estrutura de laboratórios da instituição, além de acesso a publicações técnico-científicas e de treinamentos, congressos e outros eventos promovidos pela instituição”, destaca Garcia. A SIF tem por objetivo promover o desenvolvimento sustentável do setor florestal por meio da pesquisa cientifica.

A Vale Florestar S.A nasceu como um projeto da Vale em 2007 e atualmente conta com a participação do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES), dos fundos de Pensão dos funcionários da Caixa Econômica Federal ( Funcef) e da Petrobras (Petros). Sua atuação abrange os municípios de Dom Eliseu, Ulianópolis, Paragominas, Rondon do Pará, Abel Figueiredo e Bom Jesus do Tocantins que,  segundo o Macrozoneamento Ecológico-Econômico (MZEE) do Estado do Pará, estão localizados em uma zona de consolidação e expansão das atividades produtivas, sendo permitido, portanto, o uso de até 50% das áreas para reflorestamento.

A empresa tem por objetivo proteger e recuperar florestas nativas e áreas degradadas na Amazônia, associado à implementação de florestas industriais, além de promover a ocupação ordenada do território e o desenvolvimento socioeconômico sustentável. A previsão é de que até 2015 sejam aplicados cerca de R$ 600 milhões no fundo, que pretende atingir uma área total de 450 mil hectares em 2022, dos quais 150 mil serão de florestas industriais e 300 mil para proteção e recuperação de florestas nativas e de áreas degradadas.

Publicidade