Sindicância vai apurar entrada de celulares em presídio de Tucuruí

Corregedoria irá investigar facilidade de acesso. Em julho e novembro, 38 aparelhos foram apreendidos no Centro de Recuperação, além de drogas e dinheiro.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A Corregedoria do Sistema Penitenciário do Estado do Pará instaurou uma sindicância para investigar a entrada de celulares nas celas dos detentos no Centro de Recuperação Regional de Tucuruí. O documento foi publicado no Diário Oficial do Estado, no final de novembro.

Renato Nunes Valle, corregedor-geral Penitenciário, considera que é obrigação da autoridade pública, ao tomar conhecimento de irregularidade no serviço público, “promover a apuração imediata dos fatos, mediante sindicância ou Processo Administrativo Disciplinar”.

Por meio da sindicância instaurada, a corregedoria pretende apurar a apreensão de aparelhos celulares no CRRT. E para isso designou o corregedor do Interior, Bruno Costa Pinheiro de Sousa, para conduzir o processo.

No mês passado, o secretário para Assuntos Penitenciários do Estado do Pará, Jarbas Vasconcelos, editou portaria determinando intervenção no CRRT, após uma fuga de quatro presos e apreensão de diversos aparelhos celulares, acessórios e armas de fabricação artesanal e mais de R$ 2,5 mil.

No início de novembro deste ano, uma operação apreendeu 21 celulares no CRRT e mais 22 carregadores, 10 fones de ouvido, 17 petecas de maconha e sete estoques. Antes disso, em julho, ali foram encontrados 18 aparelhos de celulares, cerca de 300 gramas de maconha bem como carregadores e fones de ouvido.

Com mais de 500 custodiados, o Centro de Recuperação enfrenta superlotação e, principalmente, facilidade na entrada de equipamentos eletrônicos, o que a sindicância pretende identificar e bloquear o acesso a esses equipamentos.

Publicidade