Serra Pelada: acionista da Colossus toma a frente nas negociações para recuperar o projeto

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O CEO da Sandstorm Gold, Nolan Watson, se reuniu, na semana passada, com representantes da Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada (Coomigasp), para tratar do projeto de ouro e paládio Serra Pelada no Pará. A Sandstorm é um dos maiores acionista da Colossus Minerals, sócia da Coomigasp na joint venture Serra Pelada Companhia de Desenvolvimento Mineral (SPCDM).

Serra_Pelada_Colossus

Nolan Watson é um empreendedor prodígio canadense conhecido pela sua contribuição à inovação financeira no setor de mineração. Aos 26 anos ele foi nomeado CFO da Silver Wheaton Corp, onde desenvolveu um modelo de negócios baseado na compra antecipada de metais preciosos a preços fixos. Com isso, levantou US$ 1 bilhão, que fez com que a empresa se tornasse a maior streaming company do mundo.

A reunião aconteceu em Curionópolis (PA) e contou com a presença do interventor Marcos Alexandre Mendes, os garimpeiros José Antônio e Gildásio Vieira, o advogado Ivaldo Marques, do núcleo jurídico da interventoria, e Francisco Carlos Oliveira de Lima, assessor técnico e gerente de produção da Coomigasp.

Segundo o assessor técnico, Francisco Carlos Lima, o CEO da Sandstorm disse que a intenção é que a mineradora tenha uma nova relação com a Coomigasp e com a comunidade de Curionópolis. Ele aproveitou a oportunidade para dizer que a nova diretoria da Colossus está trabalhando na reestruturação da empresa.

Watson apresentou o novo membro do Conselho Administrativo da Colossus no Brasil, que é canadense, mas o nome ainda não foi divulgado. O NMB entrou em contato com a Sandstorm, no Canadá, mas foi informado que somente John Frostiak, diretor e presidente do conselho administrativo da Colossus pode falar sobre esses assuntos.

Marcos Alexandre Mendes - Interventor na CoomigaspDurante a reunião, o interventor apresentou as propostas e exigências da Coomigasp, entre elas a correção do percentual de divisão de participação no projeto para 49% para a cooperativa e 51% para a mineradora, como era o acordo original.

A cooperativa exigiu, ainda, o fornecimento de dados técnicos do projeto para a Coomigasp. “A Coomigasp é sócia do projeto, mas não tem acesso aos dados”, disse o assessor.
O interventor também solicitou que fossem cumpridas condicionantes em relação ao tratamento de água na região, programas de valorização da população e respeito aos idosos. “A população de idosos na região é muito grande, especialmente de garimpeiros que vieram há anos e ficaram por aqui”, explicou Lima.

Segundo Lima, Watson prometeu pensar sobre o assunto e voltar ao Brasil depois do dia 15 de abril e marcar uma nova reunião com a Cooperativa.

O representante da Sandstorm teria dito que está buscando novos sócios para financiar a continuidade do projeto de ouro Serra Pelada.

No Canadá, a Colossus está em concordata. Em janeiro, a mineradora anunciou a saída de J. Alberto Arias, que é fundador, sócio e gerente de portfólio da Arias Resources Capital Management LP, principal acionista da Colossus.

O deputado federal Arnaldo Jordy (PPS-PA) afirmou que, em outra reunião da Colossus na semana passada com representantes do governo do Estado do Pará, a Colossus dissera que está buscando captar os R$ 700 milhões que estariam faltando para dar seguimento ao projeto.

Fonte: Notícias de Mineração Brasil