Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Curionópolis

Projeto ouro da montoeira de Serra Pelada pode ter implantação concluída neste ano

70% do ouro apurado no rejeito irá para a empresa e 30% para a Coomigasp.

O projeto de exploração da montoeira de ouro da Serra Pelada, em Curionópolis, no Pará, pode ter a sua implantação finalizada ainda neste ano, de acordo com Deivson Vidal, gerente da Sona. Em agosto de 2017, a Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada e a Sona Mineração assinaram um acordo para a exploração do minério no local.

“Estamos na fase de planejamento da implantação, o cronograma está em elaboração. Os projetos estão contratados, nos próximos 30 dias teremos informações mais precisas, que são fundamentais para obtermos assertividade. Análises preliminares indicam o fim da implantação para o final do ano. Estamos buscando alternativas para conseguirmos reduzir o prazo de implantação”, disse Deivson Vidal, gerente da Sona.

O projeto prevê o reprocessamento do rejeito de ouro da Serra Pelada. Segundo a empresa, é estimado entre 1,3 milhão e 1,5 milhão de toneladas de rejeito com 0,7 gramas de ouro por tonelada.

Segundo a empresa, a infraestrutura tem sido uma das grandes dificuldades para a implantação do projeto. “As maiores dificuldades são: a parte ambiental e infraestrutura local. Teremos que investir em toda a infraestrutura, inclusive as mais básicas como água e energia elétrica para o projeto”, afirma.

A empresa já iniciou a reforma da guarita de entrada do projeto, a instalação de energia elétrica e o cercamento de toda a área do empreendimento.

Acordo com a Sona

Em agosto do ano passado, cerca de 89% dos garimpeiros da Coomigasp aceitaram a proposta da Sona, em Assembleia Geral Extraordinária (AGE), para exploração mineral dos rejeitos do garimpo de Serra Pelada, no Pará. O novo aditivo determinou a mudança da cláusula do contrato principal para 70% para a empresa e 30% para a cooperativa.

Segundo o presidente da cooperativa na época do fechamento do acordo, Edinaldo de Aguiar Soares, a expectativa era que a usina do projeto da montoeira seja implantada até o fim do ano. O gerente da Sona revelou que existe uma grande pressão dos garimpeiros para que o projeto se inicie.

Fonte: Notícias de Mineração Brasil
Foto: Anderson Souza
Eleições 2018

Geraldo Alckmin visita a região de Carajás neste sábado (07)

Pré-candidato do PSDB fará campanha para presidente em Marabá, Curionópolis e Canaã dos Carajás

O pré-candidato a presidente da República pelo Partido da Social Democracia Brasileira – PSDB – Geraldo Alckmin, desembarca em Marabá às 8 horas do sábado (07), onde se reúne com empresários e apoiadores do PSDB no município. De lá, o pré-candidato segue de carro para os municípios Curionópolis – onde pretende visitar Serra Pelada – e, depois, vai à Canaã dos Carajás.

Geraldo José Rodrigues Alckmin Filho (Pindamonhangaba, 7 de novembro de 1952) é um médico, professor universitário e político brasileiro. Foi Governador do Estado de São Paulo entre 2001 e 2006 e de 2011 a 2018, quando renunciou para disputar as eleições de outubro daquele ano.

Formado em medicina pela Universidade de Taubaté, iniciou sua carreira política em Pindamonhangaba, onde foi eleito vereador, presidente da Câmara dos Vereadores e prefeito. Depois, foi eleito para a Assembleia Legislativa nas eleições de 1982 e para deputado federal em 1986 e 1990. Em 1988, foi um dos fundadores do PSDB. Entre 1991 a 1994, presidiu o PSDB-SP. Em 1994, elegeu-se vice-governador de Mário Covas. Em 2000, concorreu à prefeitura de São Paulo, sendo derrotado no primeiro turno. Com a morte de Covas, em março de 2001, assumiu o governo e se reelegeu em 2002.

Em março de 2006, renunciou ao governo paulista para concorrer à presidência na eleição do mesmo ano. Obteve 39,17% dos votos no segundo turno, sendo derrotado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em 2008, candidatou-se a prefeitura de São Paulo, sendo novamente derrotado no primeiro turno. Em 2009, foi nomeado secretário de desenvolvimento do estado de São Paulo pelo governador José Serra.

Foi eleito governador no primeiro turno da eleição de 2010, retornando ao Palácio dos Bandeirantes em janeiro de 2011. Em 2014, reelegeu-se governador no primeiro turno. Alckmin foi o político que por mais tempo comandou o governo de São Paulo desde a redemocratização do Brasil.

Em 9 de dezembro de 2017, Alckmin foi eleito presidente nacional do PSDB, substituindo o senador mineiro Aécio Neves. A convenção que o elegeu com 470 votos a 3, foi uma das maiores da história do partido, com mais de quatro mil presentes.

Após a eleição como presidente do PSDB, em 9 de dezembro de 2017, Alckmin lançou sua pré-candidatura ao Planalto. Em 23 de fevereiro de 2018, após a desistência do prefeito manauara Arthur Virgílio Neto, virou candidato único das prévias. A cúpula do partido homologou em 6 de março de 2018 a candidatura de Alckmin.

Ao deixar o governo paulista, Alckmin perdeu o foro privilegiado e passou a ser investigado pela Justiça Eleitoral de primeira instância devido a alegação, refutada por Alckmin, de que a empreiteira Odebrecht repassou-lhe ilicitamente 10 milhões de reais nas campanhas de 2010 e 2014.

Educação

Curionópolis: Serra Pelada ganha escola e 3,8 km de asfalto

Inauguração foi ontem, 25, com a presença do governador Simão Jatene

A Escola Estadual Joaquina Diamantina é a única de Serra Pelada, distrito do município de Curionópolis, no sudeste paraense, a oferecer acesso ao ensino médio. Os 232 alunos matriculados na unidade ganharam, nesta segunda-feira, 25, uma escola totalmente reformada.

O espaço passa a contar com três novas salas de aula, além de bloco administrativo com sala da direção, sala dos professores e secretaria, uma copa cozinha, uma dispensa para armazenamento de alimentos da merenda escolar e banheiros masculino, feminino e de pessoa com deficiência (PCD).

A obra foi iniciada pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc), que investiu cerca de R$ 434 mil, e concluída pela prefeitura, em convênio com a Secretaria Extraordinária de Estado de Municípios Sustentáveis (Semsu), que transferiu ao município mais R$ 218.731 mil – recursos oriundos do Tesouro do Estado.

A unidade que funcionava em regime modular passa a funcionar com o sistema regular de ensino. A oportunidade fez com que Rita de Cássia da Silva, ex-aluna, voltasse à Serra Pelada com a missão de lecionar. “Eu considero um privilégio poder trabalhar aqui com essa nova estrutura. Meu filho também voltou pra escola quando eu soube que seria implantado o ensino regular. Nem pensei duas vezes e trouxe ele de volta”, comemorou.

O governador Simão Jatene esteve em Serra Pelada para a inauguração da unidade ensino ao lado do prefeito Adonei Aguiar. Também participaram da cerimônia o senador Flexa Ribeiro (PSDB/PA); a secretária Extraordinária de Municípios Sustentáveis, Izabela Jatene; o secretário Regional de Governo da Região Sudeste, Jorge Bittencourt; o presidente da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), deputado Márcio Miranda; o deputado Eliel Faustino e o gestor da Diretoria de Recursos Técnicos e Imobiliários (DRTI) da Seduc, José Ângelo, que na ocasião representou a secretária de Educação, Ana Cláudia Hage.

“Esse País tem uma grande dívida com esta região, no sentido de que muitas pessoas que contribuíram com o ouro que foi retirado das entranhas deste município, não tiveram reconhecimento. Aqui a gente sente uma energia fantástica de um povo que não desiste de lutar, que continua acreditando e tendo esperança de que é capaz de construir um município e uma sociedade melhor. Saio daqui maior do que cheguei, porque levo grande parte dessa energia”, comentou o governador Simão Jatene.

Asfalto na Cidade

A via que leva até a escola Joaquina Diamantina também está recebendo melhorias. A rua da Cooperativa faz parte dos 3,8 km que estão recebendo asfalto em Serra Pelada. “Estamos vivendo um momento histórico. Tudo isso graças à parceria entre o Governo do Estado e o Município”, festeja o prefeito Adonei Aguiar.

Curionópolis é um dos 99 municípios paraenses que assinaram o Termo de Asfalto do Programa Asfalto na Cidade. Este é um dos benefícios disponibilizados aos municípios que integram o Programa Municípios Sustentáveis (PMS), da Secretaria Estadual de Municípios Sustentáveis (Semsu), que trabalha, essencialmente, no fortalecimento das gestões municipais como uma das ferramentas para o desenvolvimento do Estado.

(Fonte: Agência Pará)

Curionópolis

Serra Pelada comemorou os 30 anos de Curionópolis com grande festa

A comunidade festejou bastante neste sábado (12) com muito forró da banda Anjo Azul.

Depois de muitos anos sem festa de comemoração do aniversário da cidade no distrito Serra Pelada, a comunidade festejou bastante neste sábado (12) com muito forró da banda Anjo Azul. O show de encerramento dos 30 anos de Curionópolis atraiu centenas de pessoas da própria Serra Pelada, da sede do município e também das localidades vizinhas.

“A festa está linda. Agora o povo de Serra Pelada não é mais esquecido, estamos sendo lembrados pela prefeitura em tudo, até nas festas”, destacou Maria Lúcia Vieira, ex-garimpeira e moradora de Serra Pelada desde 1986.

O prefeito Adonei Aguiar prestigiou o evento e em sua fala destacou seu carinho pela comunidade de Serra Pelada, “tive aqui o início da minha vida política, é uma emoção pra mim está junto dos meus amigos e poder participar dessa festa tão bonita para o nosso povo”.

As melhorias que estão chegando para Serra Pelada também foram lembradas durante o evento: o tão sonhado asfalto, realizado pelo governo estadual, que beneficiará com a comunidade; a entrega de uma ambulância; a conclusão da escola estadual Joaquina Diamantina, onde será implantado o Ensino Médio regular, em substituição ao modular; a implantação do sistema de abastecimento de água, pela primeira vez a comunidade de Serra Pelada terá água tratada.

A festa contou com o apoio da Polícia Militar e Civil na segurança, corpo de bombeiros e Departamento Municipal de Trânsito de Curionópolis.

Polícia Militar

Pá carregadeira roubada no Maranhão encontrada pela PM em Serra Pelada com ajuda de GPS

A máquina pesada estava desaparecida havia aproximadamente um mês, a 675 km do local em que foi surrupiada

Um trator Volvo, tipo pá carregadeira, roubado na cidade de Balsas (MA), há cerca de um mês, foi localizado em Serra Pelada, por volta das 19h30 de sábado (3). A máquina pesada estava na Fazenda Serra Grande, na Vila Alto Bonito, já com a numeração do chassi alterada. Para chegar ao local onde foi encontrado, o equipamento viajou 675 km. A apreensão foi feita pela guarnição composta pelo sargento J. Ricardo, cabo P. Silva e soldado Oliveira, que saíram em busca do equipamento por ordem do major Sérgio Pastana Ribeiro, subcomandante do 23º Batalhão de Polícia Militar, de Parauapebas, conforme orientação do coronel Mauro Sérgio Marques da Silva, comandante de Policiamento Regional II.

Ao Blog, o sargento J. Ricardo detalhou a operação. Segundo o militar, após receber a ordem para localizar o trator, passou a fazer uma varredura naquela região, que até então era desconhecida para ele. Nessa busca contou com a ajuda de uma pessoa identificada apenas como Ataíde, que, de Balsas, estava fazendo o monitoramento por satélite, pois a máquina é dotada de GPS (sigla em inglês de Sistema de Posicionamento Global). Desse modo, sempre ao celular e com as coordenadas sendo repassadas de minuto a minuto por Ataíde, a guarnição chegou ao local onde o trator estava, uma mina de exploração de manganês, no alto de um morro, porém se identificação com placa. Ali os PMs só encontraram um mecânico. O rapaz explicou que o apontador, que controla o carregamento e a saída do minério em basculantes, não se encontrava, muito menos o encarregado da mina. Ele levou o sargento e sua equipe a um galpão onde o trator se encontrava.

J. Ricardo, então, fotografou a pá carregadeira tanto por fora quanto por dentro e enviou as fotos a Ataíde, que constatou que se tratava do equipamento roubado. “Além do chassi adulterado, quem roubou também trocou a concha e o painel, que era circular, trocando por um quadrado”, detalha o militar, informando que ninguém foi preso.

Pá Carregadeira (1)

J. Ricardo afirma que recebeu de várias pessoas a informação de que naquela área existem muitas máquinas roubadas de outros Estados, mas as declarações foram feitas informalmente, pois ninguém quis sequer dizer o nome.

Diante da impossibilidade de conduzir a máquina até a Delegacia  de Polícia Civil, a pá carregadeira foi levada para Posto Policial Destacado da PM lá em Serra Pelada mesmo, onde aguarda as providências legais.

Reportagem: Ronaldo Modesto

Opinião

Artigo: Se descuidarmos, Judiciário comerá duas Serras Peladas a cada ano

Confira o artigo do colunista Elio Gaspari publicado hoje (06) na Folha de São Paulo

Senhora presidente do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça.

Vosmicê não me conhece. Vivi no mato, nas terras do “Velho Genésio”, perto de Marabá. Um dia meu filho achou uma pedra que brilhava. Isso foi quando a senhora era uma jovem advogada.

Era ouro. A gente estava na Serra Pelada e ela se tornou o maior garimpo a céu aberto do mundo. Em 1980 as gentes correram pra lá. Veio até estrangeiro, e durante cinco anos 120 mil homens carregaram sacos de cascalho naqueles barrancos.

Tiraram dali 30 toneladas de ouro.

Pois veja, há aqui um doutor que fez a conta. Na cotação de hoje essas 30 toneladas valem R$ 4,16 bilhões. Em 2015, os penduricalhos, gambiarras e puxadinhos dos magistrados e servidores do Judiciário custaram R$ 7,2 bilhões. Hoje, a conta deve estar por aí.

Em agosto passado, em Minas Gerais, quatro magistrados e 12 servidores receberam mais de R$ 100 mil líquidos cada um. Um juiz paulista que extorquia dinheiro de um empresário foi condenado a oito anos de prisão, está em regime semiaberto, foi aposentado compulsoriamente e em agosto recebeu R$ 52 mil. Se descuidamos, daqui a pouco, os doutores comerão duas Serras Peladas a cada ano.

A Constituição diz que existe um teto de R$ 33,7 mil mensais para cada brasileiro que trabalha para o governo, e os juízes garantem que cumprem as leis. Deve ser verdade, porque juiz não mente, mas eu penso naqueles caboclos que ralavam no morro. Teve muito sujeito que perdeu tudo com mulheres e cachaça. Foi dinheiro mal gasto, mas duas Serras Peladas anuais para pagar pelos penduricalhos desses doutores será dinheiro mal recebido.

A senhora veja como são as coisas deste mundo. Desde sempre, espanhóis, portugueses e brasileiros procuraram a tal montanha de ouro que existiria na Amazônia.

Há quase 500 anos o Francisco de Orellana desceu de Quito, passou fome, até couro comeu e não achou nada. Está aqui um Bartolomeu. Ele viveu no Pará e jura que por volta de 1640 passou a uns 200 quilômetros de Serra Pelada. A montanha de ouro existia. Como brasileiro não desiste, desentocamos 30 toneladas de riqueza. Pra quê? Pra pagar a cada ano uma Serra Pelada de “puxadinhos”. Talvez duas. É pena, mas a burocracia que cria prebendas não produz montanhas de ouro.

Gente de sabedoria me conta que o Brasil cresceu, os Três Poderes custam caro e isso é natural. Só quem não entende é o tabaréu sem estudo, gente como eu. Mas procurei saber melhor e li nos livros que o ouro das vossas Minas Gerais enricou maganos de Portugal.

O Francisco de Orellana, que até hoje masca pedacinhos de couro, ficou assombrando com a conta dos penduricalhos. Desde 2014 as gambiarras comeram o equivalente a 20 mil toneladas de prata das minas coloniais espanholas Os maganos de Madri tiraram da América umas 100 mil toneladas de prata e, mesmo assim, a Espanha teve pelo menos dez bancarrotas. Orellana explica o que houve: entre 1556 e 1700, quatro reis nomearam 334 marqueses e 171 condes, cada um deles com direito ao seu puxadinho.

Senhora, livre-se desse cascalho alheio.

Assino em cruz e respeitosamente despeço-me.

Zezinho do Genésio

Texto originalmente publicado aqui.

Curionópolis

Alepa: Adonei Aguiar defende retomada de Projeto do Ouro durante sessão sobre mineração

“É interessante para o município e para o Estado a retomada desse projeto, tendo em vista que vai gerar emprego e renda, uma das principais reivindicações do nosso povo”, afirmou o prefeito de Curionópolis.

Durante a Sessão Especial realizada na Assembleia Legislativa do Pará (Alepa) nesta segunda-feira (16) para discutir as Medidas Provisórias que alteram a Lei de Mineração no Brasil, o prefeito de Curionópolis, Adonei Aguiar (DEM), foi muito aplaudido ao usar a tribuna e defender a retomada do Projeto de Exploração de Ouro em Serra Pelada, parado desde 2012.

“É interessante para o município e para o Estado a retomada desse projeto, tendo em vista que vai gerar emprego e renda, uma das principais reivindicações do nosso povo”, declarou o prefeito. O presidente da Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada (Coomigasp), Ednaldo Aguiar, propôs medidas que atendam aos interesses dos garimpeiros. “Importante que a MP 790 inclua a garantia de aposentadoria aos garimpeiros. Eles precisam ter seus direitos garantidos. Eles contribuíram para gerar riquezas ao Estado e ao país. Hoje, muitos estão na terceira idade e necessitam se aposentar”, concluiu.

Ainda em seu discurso, o prefeito de Curionópolis destacou a importância da criação da Agência Nacional de Mineração (ANM), autarquia que vai regular o setor e substituirá o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), uma das mudanças propostas pelas MP’s.

“Esperamos que essa nova agência tenha maior aproximação junto aos municípios, pois tem aumentado o número de pequenas mineradoras atuando no Brasil, especialmente no Pará. Precisamos dessa conexão direta do município com a agência reguladora. Com a criação da agência também esperamos conquistar junto à Vale a cessão de áreas que não sejam de interesse da mineradora para destiná-las aos pequenos mineradores de Curionópolis, ação que beneficiará nossa população com a geração de mais emprego e renda e inibirá a prática ilegal de mineração, como ocorre hoje”, informou Adonei.

Alterações propostas pelas MP’s

O texto da MP 789 trata da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM), os chamados royalties da mineração. As alíquotas passarão a incidir sobre a receita bruta, excluídos os impostos, e não mais sobre a receita líquida.

“Os municípios mineradores estão defendendo junto às bancadas federais para que essa taxa da CFEM se eleve e tenha um percentual único de 4% sobre a produção bruta do minério de ferro extraído pelas mineradoras do Brasil”, informou Adonei Aguiar.

Já a MP 790, altera vários pontos do Código de Mineração, entre eles, amplia o prazo para a realização de pesquisa mineral, que será de dois a quatro anos. Hoje é de um a três anos.

A MP 791 cria a Agência Nacional de Mineração (ANM), uma autarquia especial para substituir o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), órgão do Ministério de Minas e Energia.

Curionópolis

Ação Cívico Social beneficia centenas de moradores de Serra Pelada

Para a Aciso, o Exército trouxe todo o seu aparato, a Prefeitura os serviços públicos e a Vale deu o apoio logístico.

Atendimento médico e odontológico, entrega de medicamentos, aferição de pressão e diabetes, orientação e atualização de cadastro do Bolsa Família, entre outros atendimentos de saúde e sociais foram disponibilizados para a comunidade de Serra Pelada, em Curionópolis, na manhã desta sábado (9), na Escola Municipal Ângela Bezerra, durante a Ação Cívico Social (Aciso) do Exército Brasileiro.

A Prefeitura de Curionópolis e a Vale foram parceiras na realização do evento, que atendeu centenas de pessoas.

Rogério Macedo, chefe de Gabinete do Executivo destacou a importância do evento para a comunidade: “mais de 400 atendimentos foram feitos hoje e isso é só o início. Nós tivemos um compromisso de campanha, de atender Serra Pelada em suas principais demandas, e assim o governo do nosso prefeito Adonei Aguiar tem feito. Temos estado bem próximo à essa população tão carente”.

“Para a Aciso, o Exército trouxe todo o seu aparato, a Prefeitura os serviços públicos e a Vale deu o apoio logístico. Escolhemos Serra Pelada para a ação por que entendemos que é uma comunidade carente e que está próxima das nossas operações. O apoio da Prefeitura no evento é fundamental, sem ele não teria como se realizar”, afirmou Adenilson José de Souza, do setor de relações com a comunidade da Vale.

Kelma Oliveira, secretária de saúde de Curionópolis, informou que foram disponibilizados para ação: dois médicos, quatro enfermeiras, duas técnicas de enfermagem, uma farmacêutica, duas técnicas administrativo, além dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) da Serra Pelada e também aparelhos de medir pressão e glicose.

“É uma ação muito importante porque a gente atrai um grande público e assim conseguimos detectar pessoas que têm alguma doença crônica e que precisam de acompanhamento, como o caso da diabetes, e em seguida fazer a busca ativa desse paciente”, informou a secretária de saúde.

A dona de casa Maria de Lorde Pereira mora há 30 anos na Serra Pelada, ela tem diabetes e faz acompanhamento no postinho de saúde da localidade, mas sempre aproveita essas ações para monitorar ainda mais sua saúde. “Senti que minha diabetes estava alterada hoje, aproveitei o evento para vir me consultar e trazer meus netos para se divertir um pouquinho”.

Durante o Aciso houve uma programação especial para as crianças, com distribuição de pipoca, cachorro-quente e pirulito, além de muitas brincadeiras e pintura de rosto. Os pequenos e os adultos prestigiaram também apresentações folclóricas, de karatê e da banda do Exército do 52º Batalhão da Infantaria de Selva, que tocou músicas conhecidas da população.