Seleção Xikrin do Cateté conquista mais um título do Campeonato de Seleções Indígenas 2021

A competição teve início no mês de março e contou com a participação de 16 times envolvendo 11 aldeias
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O fim de semana foi de muito agito entre duas etnias: Xikrins do Cateté e Kayapós. É que os rivais chegaram à grande final do Campeonato de Seleções Indígenas 2021, evento interno entre as aldeias, que movimenta os povos indígenas na região há mais de 20 anos. O duelo aconteceu na manhã de domingo (19), na aldeia Ô-ÔDJA, e alguns convidados especiais foram conferir de perto essa disputa que valoriza a cultura desses povos – o prefeito Darci Lermen; seu vice-prefeito, João do Verdurão; o secretário de Esporte e Lazer de Parauapebas, Leandro Gambeta, junto com alguns coordenadores da pasta, além da equipe do Departamento de Relações Indígenas (DRI).

A competição teve início no mês de março e contou com o envolvimento de 16 times, sendo 11 aldeias dos povos Xikrins, que fazem parte da região de Parauapebas e participaram das competições contra as aldeias dos povos Kayapós. As finalistas foram a Seleção Kriny, representando a etnia Kayapó, que ficou com o título de vice-campeã, e sua adversária, a Seleção XiKrin do Cateté, que se consagrou em mais um ano como  campeã, vencendo por 2 a 0 no último tempo da prorrogação. 

Para as finais, os indígenas receberam o apoio da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Semel) de Parauapebas, que cedeu os uniformes, medalhas e a preparação do campo da aldeia que foi o palco do último jogo. O secretário Leandro Gambeta agradeceu o convite para assistir a final, e apresentou algumas novidades sobre o calendário esportivo da secretaria, as quais incluem o esporte indígena, com uma copa de futebol já no próximo mês. 

“No mês de junho haverá outra competição entre as aldeias, onde vamos lançar a 1ª Copa de Futebol Xikrin do Cateté. Serão 22 times que devem disputar entre si – mas o detalhe é que, de 23 a 26 de junho, uma comissão técnica do Parauapebas Futebol Clube (PFC), composta por preparador de goleiros, preparador físico, auxiliar técnico e o técnico foi convidada para acompanhar de perto os jogos e conferir o nível dos jogadores indígenas que se  destacarem. Quem sabe poderão convidá-los a ter a chance de  treinar no PFC,” detalhou o secretário. 

O coordenador de Esporte Rural e Indígena, Abreu Lima, reforçou a necessidade dessa valorização. “Quando colocamos na mesa a necessidade de ter os índios também no calendário [da Semel], mostramos mais uma vez que o esporte é para todos. Hoje, ver a alegria deles aqui disputando essa final é a certeza de que o futebol é a linguagem universal de todos os povos,” pontuou. 

O lançamento da 1ª Copa de Futebol Xikrin do Cateté terá como destaque duas categorias, masculina e feminina, sendo que as jogadoras devem se apresentar na modalidade do futsal. Além disso, mais ao final do mês de julho, está previsto um amistoso entre  a Seleção de Futebol  Xikrin do Cateté e o PFC, o qual iniciará sua preparação para a disputa da Segundinha do Parazão 2021. A partida deve acontecer no Estádio José Raimundo Roseno Araújo, o Rosenão, em Parauapebas, mas ainda sem data e horário confirmados. 

Por Cleidi Rodrigues e Fábio Relvas
Publicidade