Publicidade: Vale entra em nova fase para definir agência

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

As oito agências de publicidade que estão na disputa pela conta de mídia da mineradora Vale devem participar de uma reunião com a empresa na terça-feira, na sede do grupo, no Rio de Janeiro. O investimento publicitário da companhia deve ficar entre R$ 50 milhões a R$ 70 milhões em 2012 (sem incluir eventuais descontos aplicados pelo mercado). Foram cerca de R$ 40 milhões em 2010.

É possível que a mineradora seja atendida por mais de uma agência no Brasil e fora do país. O contrato com a Vale é considerado interessante pelo mercado, mas a soma investida não está entre as principais do setor. Em 2010, a Vale ocupava a 49ª posição entre as maiores contas do mercado publicitário no país, segundo levantamento do Projeto Inter-Meios.

A Vale não confirma essas informações e tem tratado a questão com muita discrição. Nem mesmo as agências sabem o grupo de companhias que continua na disputa. A mineradora tem feito, basicamente, investimentos em sua imagem corporativa nos últimos anos.

Com a reunião na próxima semana, as empresas passam para uma segunda fase do processo de concorrência, que envolverá o recebimento do “briefing” da empresa, com informações preliminares que o cliente fornece à agência para orientar os trabalhos da empresa. As oito companhias que estão nesse processo são: Africa, DPZ, Euro RSCG, Giovanni +Draftfcb, JWT, Leo Burnett, LewLara /TBWA e Publicis, conforme informações colhidas no mercado. A atual agência é a Africa, do grupo ABC, de Nizan Guanaes.

Há seis anos a Vale não abria licitação para renovar esse contrato, pois o acordo com a África tinha renovação automática. A agência do grupo ABC trabalhou um primeiro período por três anos e após mais três anos teve a conta renovada. O acordo entre as partes termina no próximo mês.

A Vale informa, por meio de nota oficial, que a mudança no comando de sua conta publicitária é uma movimentação de “praxe” da empresa.

Com informações do Valor Econômico