Jacundá

Protestos marcam primeira sessão no Legislativo de Jacundá

O assunto em pauta foi a queda de braço entre os professores em greve e a secretária de Educação. Vereadores prometeram mediar s discussões com o poder público e tentar resolver a quetsão

O impasse entre a Secretaria de Educação e Sintepp marcou a primeira sessão da Câmara Municipal de Jacundá, realizada na noite de ontem, 18, no Plenário “Ulisses Guimarães”. Seis dos 13 vereadores subiram à tribuna da Casa e, entre aplausos e vaias, o assunto dos educadores continua ocupando espaço no decorrer desta semana.

Os profissionais da educação chegaram cedo ao prédio da Câmara. Logo as cadeiras destinadas ao público foram ocupadas. Às 19h30 a sessão ordinária teve início e foi presidida pelo vereador Clayton de Maria Guimarães. Trata-se da 60ª sessão ordinária da 14ª Legislatura que está no quinto período.

Durante a sessão foram apresentados 18 requerimentos, dos quais apenas um teve aprovação. Versa sobre a realização de uma Sessão Especial para o Dia Internacional da Mulher, 8 de março. Após a leitura da pauta, o assunto principal tratou sobre a greve na educação e suspensão do PSS.

Para a vereadora Eliane Pinheiro, o problema enfrentando no setor educacional não é jurídico e sim administrativo. “Esse problema vem sendo empurrado desde 2018, e precisamos resolvê-lo”.

Líder do governo Ismael Barbosa, o professor e vereador José Wilson se comprometeu em resolver a situação dos educadores. “Comprometo-me a negociar junto ao governo essa situação”.

Os vereadores Lindomar Marinho, Rafael Comin, Daniel Siqueira Neves e Marta Costa também se pronunciaram sobre a situação dos educadores, que estão em greve desde a semana passada.

Hoje, por volta de 10h, a secretária de Educação, Leila Barbosa recebeu dois coordenadores do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sintepp) – Subsede de Jacundá. Até o momento não houve divulgação sobre o resultado da reunião.

Deixe seu comentário