Projeto de Lei inclui Dia sem carro no calendário do município de Parauapebas

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Bruno Soares - PSDA data de 22 de setembro será incluída no calendário oficial de eventos do município como “Dia Municipal sem Carro” em Parauapebas. É o que prevê o Projeto de Lei nº 038/2015, de autoria do vereador Bruno Soares (PSD), aprovado na última terça-feira (14), durante sessão da Câmara Municipal.

No texto do projeto, o autor argumenta que a celebração desta data já ocorre em diversas cidades do mundo, com o objetivo de estimular as pessoas a refletir sobre o uso excessivo do automóvel, além de incentivá-las a reduzir o uso de carros e motos, ou substituí-los por meios de transporte mais sustentáveis, como bicicleta.

A ideia é que as pessoas experimentem, pelo menos nesse dia do ano, formas alternativas de mobilidade, descobrindo que é possível se locomover pela cidade sem usar automóvel”, relatou Bruno Soares.

Segundo Bruno, a inclusão da data no calendário municipal é importante, pois assim o poder público ampliará esforços para promover atividades e campanhas educativas no intuito de atrair adeptos ao não uso de veículos motorizados.

Já existem vários grupos de ciclistas no nosso município. E é importante que o governo dê suporte para incentivar cada vez mais pessoas a aderirem ao uso da bicicleta. Acredito que este foi o governo que mais fez ciclovias. Podemos observar na rodovia PA 160 e na Estrada Faruk Salmen. Essa lei vai contribuir para que a municipalidade esteja no centro da promoção dessa atividade, que é tão saudável e sustentável”, argumentou o vereador.

O vereador Charles Borges (Pros), que faz parte de grupos de ciclistas, destacou que é preciso haver mobilização para proteger a Floresta Nacional de Carajás. “Moramos em um lugar privilegiado e não nos damos conta do mal que fazemos à natureza. Estamos degradando, derrubando morros e usando veículos que também agridem o meio ambiente. Um dia sem carro é uma forma de começarmos a nos moldar. Além disso, é economicamente viável para o bolso, pois temos um dos combustíveis mais caros do país”.

O projeto foi aprovado em discussão única e será encaminhado para sanção do prefeito Valmir Mariano. (ASCOM CMP)