Professores da UFPA decidem não retornar às aulas presenciais em 2020

Categoria também defendeu o cancelamento do segundo período letivo. As decisões foram tomadas durante Assembleia Geral Virtual
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Os professores da Universidade Federal do Pará (UFPA) optaram que não irão retornar às atividades presenciais até o final de 2020. A decisão foi tomada em Assembleia Geral Virtual da Associação dos Docentes da UFPA (ADUFPA) realizada na última quinta-feira (16), mas só foi divulgada nesta sexta (17). Os docentes também se posicionaram contra o ensino remoto e defenderam o cancelamento do segundo período letivo de 2020.

A ADUFPA informou que as decisões tomadas em assembleia serão apresentadas ao Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) e à Comissão da Universidade que analisa o trabalho remoto e o retorno das atividades acadêmicas.

A Assembleia durou mais de cinco horas e a categoria manifestou a preocupação com as condições de trabalho, de ensino e de saúde dos docentes e da comunidade universitária no período da pandemia. Na avaliação dos professores, não há segurança para o retorno das atividades presenciais na UFPA ainda neste ano. Uma comissão foi formada para monitorar e analisar as condições de trabalho docente na instituição.

A UFPA, que tem mais de 50 mil alunos em 12 campi do Pará, informou, através de comunicado encaminhado à imprensa, que o calendário acadêmico segue suspenso e que uma comissão está analisando a situação da pandemia e as condições de retorno às aulas. De acordo com a assessoria, não há uma decisão final sobre o tema.