Prefeitura de Parauapebas vai pegar quase R$ 115 milhões em royalties; veja valores

Já prefeitura de Canaã dos Carajás vai degustar R$ 80 milhões, o que é sabidamente muito para um município pouco populoso. Canaã é a que proporcionalmente mais arrecada no Brasil.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Meia dúzia de prefeituras vai faturar valores que partem de R$ 1,5 milhão e podem chegar a quase R$ 115 milhões, em decorrência de royalties de mineração, neste mês de maio. As informações foram levantadas com exclusividade pelo Blog do Zé Dudu, que foi às contas antes mesmo da Agência Nacional de Mineração (ANM) apurar quanto cada município vai embolsar a título de cota-parte da Compensação Financeira pela Exploração Mineral (Cfem). A ANM só deve divulgar os valores a partir do final da semana.

A Prefeitura de Parauapebas, líder nacional em produção de recursos minerais, vai faturar R$ 114,75 milhões, praticamente o mesmo valor do mês passado, quando degustou em conta corrente R$ 114,39 milhões. Assim que a dinheirama cair na conta, e somada às outras fatias de royalties já recebidas este ano, Parauapebas terá recebido impressionantes R$ 524,84 milhões apenas em Cfem em apenas cinco meses, o suficiente para sustentar Araguaína (TO) durante o ano inteiro.

Por seu turno, a Prefeitura de Canaã dos Carajás vai levar R$ 79,54 milhões, cerca de R$ 2,5 milhões a menos em relação ao que faturou no mês passado, ainda assim muito dinheiro para um município que, nas contas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), tem 39 mil habitantes, enquanto, para a prefeitura, são 65 mil. Seja qual for o recorte populacional, hoje não existe no Brasil prefeitura alguma que enriqueça à mesma velocidade de Canaã dos Carajás. Até final de maio, o governo canaaense terá recebido R$ 389,83 milhões apenas em royalties, quantia superior à receita do ano todo de municípios como Altamira, Paragominas ou Tucuruí.

51 prefeituras

Além dos dois medalhões que sufocam o ranking da Cfem por serem, também, os dois maiores produtores de minério de ferro do país, outras quatro prefeituras — de um total de 51 com direito a royalties este mês — vão ver mais de R$ 1 milhão desfilando na conta. É o caso de Marabá, que, por produção, embolsará R$ 5,608 milhões, além de outros tantos milhões que receberá por conta do tráfego do minério de ferro de Parauapebas em seu território. Esse tipo de faturamento da Prefeitura de Marabá gira em torno de R$ 4,4 milhões por mês.

A Prefeitura de Paragominas vai ganhar R$ 3,387 milhões, enquanto a de Itaituba vem na cola, com R$ 3,187 milhões. Enquanto isso, o governo de Oriximiná vai saborear R$ 1,583 milhão. Correndo por fora, a Prefeitura de Curionópolis — que andou mal das pernas sem Cfem durante todo o ano de 2020 — começou a receber royalties pelas atividades da mineradora multinacional Vale na Serra Leste. Este mês, o minério extraído pela empresa vai render aos cofres do município cerca de R$ 745 mil.

Ao todo, as 51 prefeituras paraenses vão ratear R$ 211,05 milhões, um pouco menos que os R$ 218 milhões divididos em abril.

CONFIRA QUANTO VAI CAIR EM ROYALTIES

1. Parauapebas: R$ 114.751.616,87

2. Canaã dos Carajás: R$ 79.541.073,54

3. Marabá: R$ 5.607.600,04

4. Paragominas: R$ 3.387.161,97

5. Itaituba: R$ 3.187.360,31

6. Oriximiná: R$ 1.583.273,17

7. Curionópolis: R$ 744.795,67

8. Ipixuna do Pará: R$ 573.113,99

9. Terra Santa: R$ 366.306,24

10. Santa Maria das Barreiras: R$ 341.747,66

11. Novo Progresso: R$ 311.757,71

12. Santana do Araguaia: R$ 158.024,11

13. Floresta do Araguaia: R$ 126.689,45

14. São Félix do Xingu: R$ 111.215,00