Prefeito e pais de alunos discutem retomada de aulas presenciais em Jacundá

Administração municipal, em nota, afirma que não concordou nem discordou da decisão das demais cidades participantes do Compart, quanto ao adiamento da retomada das aulas presenciais
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Mais de 8 mil alunos matriculados na rede municipal de ensino de Jacundá, atualmente estudam remotamente. A situação gerou um debate depois de o governo estadual marcar para o dia 2 de agosto a retomada das aulas pelo sistema presencial e o Consórcio dos Municípios Alagados pelo Rio Tocantins (Compart), pelo contrário, sugerir o adiamento do retorno do ensino presencial.

Inconformados com a demora na retomada das aulas presenciais na rede municipal de ensino, pais de alunos e profissionais da Educação se reuniram com o prefeito Itonir Tavares (PL) e a secretária de Educação Iara Meireles, na manhã desta terça-feira (28), na sede do Legislativo Municipal, para discutir uma data para o reinício das aulas presenciais nas escolas públicas.

“Milhares de estudantes estão sendo prejudicados. E, hoje (28), estivemos dialogando com pais de alunos e professores da rede municipal sobre as dificuldades desse período remoto e as condições para retorno às salas de aula”, diz o prefeito Itonir Tavares.

“As escolas não estão fechadas. Estamos atendendo aos alunos na entrega e orientação das apostilas”, explica Iara Meireles. Sobre a estrutura física das unidades educacionais, ela diz que “muitas escolas estão em manutenção, e até o final do ano queremos deixar todas reformadas”.

“Iniciaremos agosto com base no decreto das aulas remotas e na próxima semana já começaremos a discutir com os conselhos e sindicato a questão das aulas presenciais. O que acredito que após a vacinação dos professores, já será possível”.

Sobre a decisão dos prefeitos ligados ao Compart, a Prefeitura de Jacundá se manifestou em nota: “A Prefeitura Municipal de Jacundá esclarece que em momento algum se manifestou institucionalmente sobre o assunto. O que houve foi o consenso com outras cidades que compõem o Consórcio de Municípios Paraenses Alagados pelo Rio Tocantins (Compart) de que o retorno às escolas somente será possível quando houver condições seguras, tanto para alunos quanto para educadores.

A prefeitura informa ainda que, enquanto isso não acontece, a Secretaria Municipal de Educação vem atuando em outras frentes, como a aquisição de notebooks para auxiliar os professores no período de aulas remotas, doação de kits de merenda para os alunos e a realização de reforma ou ampliação em todas as escolas da rede municipal. O governo municipal segue trabalhando para tornar a educação municipal mais robusta, para que todos os prejuízos causados pela pandemia de Covid-19 sejam minimizados quando as aulas presenciais retornarem”.

(Antonio Barroso)