Educação prepara volta às aulas remotamente em Jacundá

Um total de 7.100 alunos terão aulas remotas a partir do dia 1º de março. Gestão pretende comprar computadores para os professores e alunos
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Mais de 7 mil alunos da rede de ensino público do município de Jacundá voltam às aulas em sistema não presencial a partir da próxima segunda-feira, 1º de março. A informação é da Secretaria de Educação (Semed) que definiu o calendário do ano letivo de 2021.

Para atender as recomendações de enfrentamento contra o novo coronavírus, foram necessárias algumas medidas de segurança para o retorno das aulas. “As aulas não presenciais e atividades complementares não presenciais, planejamento dos guias e cadernos de atividades e a avaliação para acompanhamento das aprendizagens dos alunos deverão ocorrer conforme orientações contidas nos documentos Planejamento da Semed para o Desenvolvimento do Biênio 2020-2021 e Proposta de Validação das aulas não presenciais, que foram homologados pelo Conselho Municipal de Educação”, informa parte do Decreto 018 de 2021, publicado pela Prefeitura de Jacundá.

No mesmo documento “fica estabelecido que os primeiros dias de aula sejam com atividades de acolhimento das famílias, em virtude da importância de fortalecer a relação família e escola em prol do desenvolvimento efetivo das aulas não presenciais e atividades complementares não presenciais”.

A titular da Secretaria de Educação, lara Alves Meireles, explica que as “atividades para os alunos serão realizadas on-line e o material impresso entregue na escola onde o aluno estuda. “Os professores estarão dois dias nas escolas para a entrega do conteúdo impresso”.

Outra medida é a aquisição de notebooks destinados aos professores. Iara Meireles detalha que está em fase de estruturação o edital para a aquisição dos terminais eletrônicos e a gestão municipal pretende estender a compra também para os alunos.

Para o retorno das aulas, a ex-secretária de Educação, Leila Barbosa havia adquirido 30mil máscaras de proteção em tecido, para uso de todos os alunos da rede pública de ensino conforme orientação do MEC pelo valor de R$ 45 mil, da empresa R da S Costa e Mendonça Comércio de Tecidos Ltda. com sede na cidade de Marabá. E mais dez impressoras multifuncional, com capacidade de impressão de até 80 mil páginas para a Secretaria Municipal de Educação, no valor de R$ 37 mil. Os equipamentos seriam para imprimir as atividades dos alunos.

(Antonio Barroso)