Polícia Civil prende homem que estuprou e assassinou jovem em Breu Branco

Wemerson Lima Cavalcante, conhecido como “Moabe”, disse que cometeu o crime por ciúmes da vítima, que não correspondia aos assédios dele, cuja intenção era namorar com ela
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O principal suspeito do assassinato da jovem Camila de Souza Rocha, 23 anos de idade, foi preso na noite de ontem, terça-feira (12), em Breu Branco. Wemerson Lima Cavalcante, conhecido como “Moabe”. Ele confessou o crime e alegou ciúmes para cometer o ato. Policiais cumpriram mandado de prisão preventiva contra ele por estupro e homicídio.

Camila Rocha morava sozinha em uma quitinete, localizada na Travessa Mário Covas, no Bairro Liberdade. Ela foi vista pela última com vida no dia 7 passado. Dois dias depois, familiares preocupados com o sumiço da garota foram ao apartamento e. quando abriram a porta, a encontraram sem vida, na tarde de sábado (9). Comunicada sobre o fato, a Polícia Civil chegou ao local e chamou o IML de Tucuruí. A moça estava com profundo corte na região do pescoço e nua.

“Iniciadas as investigações, graças ao empenho dos policiais civis da DP do Breu Branco, o autor do crime foi identificado, qualificado e localizado o seu esconderijo. E, na noite de terça-feira, ao perceber a aproximação dos policiais civis, ‘Moabe’ atentou contra a própria vida, ingerindo substância venenosa”, conta um policial.

Ele foi encaminhado ao Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Breu Branco, passou por avaliação médica e recebeu alta. Em seguida, foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil, onde prestou depoimento à autoridade policial. Inicialmente, ele confessou que matou a jovem motivado por ciúmes. “Eu gostava dela e ela não queria nada comigo”, disse.

A investigação chegou ao assassino da jovem Camila ao ouvir depoimentos de familiares e amigos, que apontaram “Moabe” como principal suspeito haja vista que ele nutria sentimento amoroso não correspondido pela vítima. O suspeito é irmão do padrasto da jovem, que era solteira e trabalhava com venda de produtos alimentícios para pronta-entrega.

(Antonio Barroso)

Publicidade