PF deflagra nova operação para combater crimes praticados em terras indígenas no Pará

Mais de 300 agentes participam das Operações Trincheira Parakanã I e II, que visam reprimir a prática de crimes nas Terras Indígenas Trincheira Bacajá e Apyterewa, no sul e sudoeste do estado
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão em quatro municípios do Pará

Continua depois da publicidade

A Polícia Federal (PF), com o apoio das Forças Armadas, da Força Nacional de Segurança Pública, Instituto Brasileiro dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Fundação Nacional do Índio (Funai), deflagrou as operações “Trincheira Parakanã I e II”, para reprimir a prática de crimes nas Terras Indígenas Trincheira Bacajá e Apyterewa, localizadas nos municípios de São Félix do Xingu, Altamira, Anapu e Senador José Porfírio no Pará.

A operação, iniciada nesta segunda-feira (22), conta com o apoio de mais de 300 integrantes de todos os órgãos envolvidos. Foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão, expedidos pela Vara Federal da Subseção Judiciária de Redenção, no sul do Pará.

Mais de 300 agentes da PF e outros órgãos participam das Operações “Trincheira Parakanã I e II”

A ação tem como uma de suas bases à decisão judicial proferida pelo Supremo Tribunal Federal (STF,) no bojo da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental – ADPF nº 709/2020- e possui como foco o combate ao desmatamento e a retirada de invasores das referidas terras indígenas, bem como a desativação de garimpos, por meio da apreensão de materiais e destruição de maquinários utilizados na prática ilegal, além da repressão de outros crimes ambientais oriundos da extração ilícita de minérios.

Segundo a PF, as Operações Trincheira Parakanã I e II se inserem no contexto de atuações do órgão para proteção dos povos indígenas mais vulneráveis, a partir da identificação das terras indígenas submetidas a maior atuação de invasores no território nacional.

Tina DeBord – com informações da PF